Archive for the 'Pois é!' Category

Letter for U

terça-feira, fevereiro 2nd, 2010

Eu sinto tanta saudades suas, tanta vontade de te ver, te abraçar e olhar esses seus olhos grandes e tão cheios de coisas. Queria ouvir tua voz, dizendo qualquer uma dessas besteiras que você fala só pra me ver sorrindo e concordando ironicamente com você.

Eu sei, tá certo que somos do mundo e você mais ainda. Sei também, apesar de ser toda insegura, que distancia nenhuma é capaz de cortar laços. Inclusive, sei que de um dia pro outro você vem e me bagunça toda novamente!

Mas porque? Porque não dá pra ser quando eu quero ou talvez quando eu preciso?! Porque sempre sobra pra mim compreender as coisas e aceitar que é assim mesmo e coisa e tal?! Porque nunca é o outro lado que espera, que procura, que sente falta? Porque afinal, sempre tenho que te esperar viver pra quem sabe um dia a gente se ver?!

Sabe, eu quero tanto te ver, te ouvir, te abraçar forte, que vou esquecer que você existe! Tô decretando desistencia, pelo bem-estar da minha gastrite! Não dá mais pra esperar na janela quem talvez nunca chegue nem na minha esquina!!!!

E não me venha com promessas!!! Faça ou cale!! Não seja o brigadeiro diante de uma mulher de regime, estou fazendo dieta de ti!!!

Um beijo e até quando (você quiser)!!!!

Se eu puder falar com São Pedro…

quarta-feira, janeiro 27th, 2010

Se eu pudesse fazer um pedido hoje; eu pediria a São Pedro uma trégua nessas chuvas. Pediria que deixasse o sol brilhar até o anoitecer, e desse um espaço pra lua também aparecer. Se eu tivesse oportunidade, eu falaria com São Pedro pra ter um pouco de piedade desse povo todo sofrendo com as enchentes, com as casas caindo e as estradas se partindo.

Ah, todo dia meu coração acorda apertado! Vejo um sol tão lindo no céu e logo vejo tudo se transformar em água, barulho e desgraça! Será que São Pedro não poderia deixar o pessoal passear por aí bronzeado? Tão bonito as pessoas todas coloridas, estampandos belos sorrisos. É nessa época que tudo soa liberdade, que as pessoas caminham por toda a cidade, felizes, conversando, comemorando, fazendo música, arte, e amizades!!

Se eu tivesse um canal direto, eu pedia a São Pedro que nos desse o direito de dormir em paz, acordar em paz e viver esse verão em paz. Eu diria a São Pedro que já caiu água o sufficient, já morreu gente mais que o suficiente, e a galera já perdeu coisa o suficiente. Se eu pudesse, eu pediria mesmo a São Pedro que parasse com essa molhaceira toda!!!

Mas como eu não tenho um contato direto com o “cara da água”, eu então rezo. Eu rezo para que tudo dê certo, pra que ninguém mais saia machucado e que essa chuvarada toda sirva apenas para lavarmos a alma!!!

Toma lá, dá cá!

sexta-feira, janeiro 1st, 2010

Tenho um amigo que conheço há anos, é aquele moço que sabe de mim até as mais profundas fantasias sexuais e a cor que vou pintar o cabelo. Sabe aquele ser que sabe de você sem censura? Sabe cada monstro e casa anjo interno? Pois é… Ele me ensinou uma retrospectiva chamada Balanceamento Anal, que eu venho postando todo final de ano.

Mas dessa vez, cansada disso, sugeri um bate-bola entre nós. Sabendo que não haveriam pudores e sabendo que rolaria conectividade. Fizemos esse bate-bola, ou “rapidinha” e agora eu posto aqui, como uma especie de retrospectiva de 2009.

Obviamente pedi a ele permissão de expor suas respostas também! No mais, feliz 2010.

Rodrigo – Qual foi a MÚSICA do ano?
Iza – Foi “Pedaços de boas lembranças ” Banda Nuvens
Rodrigo – Only the strong survive – McFly

Iza – Dia que foi divisor de água no seu ano?
Rodrigo – 05/09, um problema de e-mails foi solucionado
Iza – dia 16 de julho. Aniversário do Fabio… dia que um peso saiu das minhas costas…

Iza – Melhor sonho do ano?
Rodrigo – O qual trombei com o amigo de alguém do meu passado em um shopping
Iza – Pra mim… não lembro de nenhum assim marcante…

Rodrigo – plano que realizou esse ano?
Iza – Meu curso de inglês!
Rodrigo – cantar em uma banda completa *-* a Your Mom Make Me Wet

Iza – Sonho realizado?
Rodrigo – ver os shows do McFly no Brasil
Iza – Tomar cerveja com Fernando!

Rodrigo – Momento que apagaria?
Iza – Humm…. deixa eu ver…. dia que minha mãe ligou pra Cláudia!
Rodrigo – Apagaria o mês de maio até dia 24 ;D

Iza – Sua palavra de 2009
Rodrigo – Sobreviver
Iza – Serenidade

Rodrigo – Melhor Mês?
Iza – Julho/Agosto
Rodrigo – Novembro/Dezembro

Iza – Descoberta do ano?
Rodrigo – ninguém morre de amor / Ganhar $$ definitivamente NÃO é fácil!
Iza – Que eu prefiro ver duas mulheres fazendo sexo, do que um casal hetero.

Rodrigo – Festa do Ano?
Iza – Casamento da minha irmã
Rodrigo – primeiro rolê no Eulália

Iza – Pessoa pra Guardar?
Rodrigo – Lis e Klee
Iza – Fernando

Rodrigo – Banda, cantor, etc, que conheceu esse ano e vai levar pra outros anos?
Iza – Nuvens
Rodrigo – Dashboard Confessional

Iza – Uma divida transferida para 2010?
Rodrigo – arrumar renda, fazer uma tattoo e tocar no Cão Pererê
Iza – Pós-graduação em Jornalismo Cultural

Rodrigo – Um lugar
Iza – o sesc de Santos
Rodrigo – meu quarto em Marília, não que seja um lugar bom, mas marcou.

Iza – Uma surpresa?
Rodrigo – Quando notei que fazia já 1 ano que não via nem sequer ouvia a voz da pessoa que gosto, e ainda assim, o sentimento tava ali, intacto.
Iza – A visita e o abraço do Fabio na minha despedida pro EUA

Rodrigo – Programa de TV?
Iza – Caras e Bocas
Rodrigo – Estranho o meu, mas acho que foi A Grande Família, que só conheci esse ano e achei muita graça.

Iza – Uma música que você não pode mais ouvir, por trazer maus sentimentos?
Rodrigo – Love Drunk do Boys Like Girls
Iza – Qualquer uma do Lenine

Rodrigo – Dia que viveria de novo?
Iza – 30-10-2009
Rodrigo – Show do Gloria em Santo André

Iza – Um susto/medo?
Rodrigo – Quando eu soube que uma determinada pessoinha tava vindo pra Marília…
Iza – Turbulência no caminho do Panamá até Orlando

Rodrigo – Um choro do ano?
Iza – meu.. num lembro…. vou falar um choro oculto… na turbulencia… não chorei mas chorei por dentro.
Rodrigo – foi numa ida de SP até Marília, em julho, ouvindo Not Alone do McFly.

Iza – Um ponto final.
Rodrigo – Amizades que vinham sendo arrastadas sei lá por que motivo
Iza – Meu “gostar” pelo ultimo cara que gostei.

Já nem sei mais!

quarta-feira, dezembro 23rd, 2009

Eu falo demais?
Já nem sei mais…

As vezes acho que escrevo demais
As vezes acho que twitto demais
As vezes acho que teclo demais

Eu falo demais?
Já nem sei mais…

As vezes acho que penso demais
As vezes acho que observo demais
As vezes acho analiso demais

Eu falo demais?
Já nem sei mais…

As vezes acho que amo demais
As vezes acho que sinto demais
As vezes acho que presinto demais

Eu falo demais?
Já nem sei…

As vezes acho que resmungo demais
As vezes acho que critico demais
As vezes acho que ignoro demais

Eu falo demais?
Já nem sei mais…

As vezes acho que calo demais
As vezes acho que engulo demais
As vezes acho que espero demais

As vezes acho tanta coisa! Mas…

… e eu, falo demais?

Puxão de orelha n’eu!

domingo, novembro 15th, 2009

Nunca mais eu postei sobre filmes e shows por aqui, e isso é uma coisa que realmente tem me deixado um tanto angustiada. Primeiro, porque isso mostra que minhas atividades culturais andam em baixa, tenho visto poucos filmes e já até esqueci qual foi o último show que assisti. Segundo, porque o pouco do que vejo tem me dado uma preguiça enorme de escrever minha opinião detalhada sobre.

Sem querer me fazer de coitada, até porque isso é apenas parte do problema, mas é foda você não andar e depender dos outros para fazer as coisas que você faria sozinha sem nenhuma nóia; contanto que tivesse possibilidades físicas pra isso. No SESC de Santos rolaram vários shows bacanas, de jazz, samba, e até do Zeca Baleiro que eu nem gosto tanto. Não fui em nenhum, e o Sesc nem é absurdamente caro, e eu também não fiz nada que fosse infinitamente melhor que os shows. Mas de fato, não tenho como ir sozinha e obrigar papai e mamãe a ir comigo em programinha Cult é realmente difícil, só em casos extraordinários. Sendo assim, sigo o fluxo, sendo quem sou muitas vezes, e outras tantas me deixando em casa e indo só com a casca e o sorriso falso.

Por um motivo ou por outro o fato é que acho que tem faltado um pouco de cultura aqui nesse blog. São tantas coisas de dentro, tantas verdades profundas, que anda em falta de um conteúdo mais útil pra quem acessa esse meu canto.

Mas nesse post fica o meu puxão de orelha, em mim mesma, pra tomar coragem na cara e escrever sobre filmes que andei vendo, sobre Ballet que assisti e sobre músicas que tenho escutado. Shows? Não lembro quando e nem qual foi o último não…

Não, O Teatro Mágico não vale. Pra mim não é show mais, é encontro.

Dando espaço…

quinta-feira, novembro 5th, 2009

Ando em momento de silêncio. Nada na minha cabeça se concretiza e tudo parece mais um turbilhão. Nenhuma novidade até então, só resolvi calar e deixar passar.

Enquanto isso, pra não deixar água para, e pra ver se me inspiro, faço desse post um mural. Empresto meu canto pra outro desabafo. O “meu menino” agora quer falar:


Até que ponto sabemos o limite da sinceridade? Vale a pena ser sincero 24 horas? Vale a pena ter momentos de sinceridade, com hora marcada? Eu acredito piamente que a sinceridade tem a ver com momentos, com educação.

Eu não acredito muito nas pessoas que são sinceras o dia todo. Será que essas pessoas que se dizem sinceras, estão sendo realmente sinceras com a sinceridade em si? Ou estão criando um personagem dizendo que são o que não são, só porque a grande parte das pessoas dizem que gostam desse tipo de pessoa, mas na verdade não gostam. Porque todo mundo gosta de ser elogiado naquilo que faz e talvez no máximo, ganhar uma crítica construtiva. Eu, simplesmente, não posso ser neutro? Se eu não sou sincero o tempo todo, logo eu sou falso meio período? E se eu resolver me calar? Não criticar, nem elogiar? Eu vou ficar em cima do muro?

Acho que sempre ou boa parte do tempo, deveríamos expor o que achamos. Falar dos nossos pensamentos, das nossas conquistas e perdas, seria egocentrismo?

Ao mesmo tempo que me vem um sentimento de ódio pelo ser humano, por “n” defeitos que eu vejo nas outras pessoas e que eu sei que tenho igual, me vem também um sentimento muito bom de saber que o ser humano não é só coisa ruim, não. Ele também cresce, se desenvolve, colabora. Isso é incrível.

Leandro Dalarte (Vulgo “Meu Menino”)

Coração tirou férias

quinta-feira, outubro 22nd, 2009

E de repente eu fui me descobrindo diferente. O sorriso fácil, e aquele azul infinito me tomava por inteira, mesmo quandos os dias insistiam no cinza. A chuva caia lá for a e aqui dentro um azul infinito trazia a paz e a calma necessária.

Demorei a entender que o meu coração estava vazio. De repente olhei pra dentro e vi um salão enorme, sem mobilia , sem nada!!! Um espaço vazio, com muitas janelas abertas e uma brisa suave ventando pra lá e pra cá. Foi isso! Era a tal da “herança” deixada ali.

Quando a gente ama, há um negócio na gargantuan, uma coisa enorme que dá vontade de gritar, de falar aos quatro cantos o tamanho e toda a beleza daquele sentimento. É como se as palavras fossem intermináveis, como se nada conseguisse traduzir aquilo dentro do peito!! E não dá mesmo! O amor, a paixão, são sentimentos que não existe palavra ou gesto que traduza!

Mas sabe, estar com o coração vazio é algo maravilhoso também! Uma sensação de leveza, tranquilidade e contentamento constante. Não que amar seja ruim, é lindo!! Mas estar de coração vazio é amar mais a gente, é olhar pra outros cantos, é estar aberto pro mundo. É ouvir música e absorver a verdadeira beleza dela, é ler poesia pelo que está escrito e não porque dizem respeito ao que você gostaria de dizer!

Estar de coração vazio é ter o bichinho (monstrinho) mais calmo, é ter mais liberdade, mais graça, menos nóia!!! Estar de coração livre é não se preocupar em agradar ninguém, é não querer causar boa impressão! Estar de coração livre tem muito mais coisas boas do que se imagina!!

Eu digo e repito; só me apaixono por pessoas MARAVILHOSAS. São as pessoas mais especiais do mundo!

Mesmo assim, não é fácil amar. Amar as vezes dói um pouco, as vezes te dá uma sensação de insatifação constante! E o pior; não é culpa de ninguém! As pessoas não sentem, pensam, agem da mesma maneira. E isso em determinadas situações podem se tornar mais complicado do que normalmente deveria ser.

Melhor assim, pelo menos por um bom tempo! Coração tirou férias e descansa em paz! A sensação de uma liberdade imensa e de estar em meio a um parque de diversões!

A velha novidade…

segunda-feira, outubro 5th, 2009

Tem coisas nessa vida que não tem mesmo uma explicação. Não dá simplesmente para você descrever motivos, fazer uma análise completa sobre assunto. Dizem que o amor é uma delas. Não dá pra dizer por que, nem como, nem onde. É e ponto final. E eu não vim falar do amor, pode relxar que não vai escorrer mel e poesia nessa página.

As pessoas não cansam de se surpreender e me perguntar “Mas Sãopaulina porque, oras?!”, e eu já sou São Paulina faz tanto tempo! E não tem um porque! Na verdade, nem sei muito de futebol, não sei bem dos jogadores, e luto pra acompanhar as tabelas de classificação. Mas gosto do São Paulo, de graça, assim sem explicação nenhuma!!

Eu nasci e vivo até hoje a poucas quadras da Vila Belmiro, me criei vendo aquela luz na esquina clarear o bairro em noites de futebol. Meu irmão é Santos, minha mãe, meu avô materno, meu padrinho, meu tio, primos, e meu pai é o único Corinthiano simpatizante do Santos que eu já vi! Mas eu nunca me apeguei ao time, sei lá… O coração não vai na boca, não vem um – “Vai, faz um gol porra!”, não rola, não ligo, não tem jeito!!

Meu pai é corinthiano, meus amigos, meu avô paterno, minha prima, boa parte da família e muita gente que eu amo muito é do Corinthians! Mas eu não sou! Eu já fui, confesso. Mas não deu! Como torcer pra um time se você torce contra? Não dá, não tem jeito! Tenho um carinho afetivo pelo time, devido a todos que eu gosto e que sofrem torcendo pra esse time. Mas tive que deixar a torcida ainda quando jovem, pra assumir minha paixão!

Eu sempre namorei o São Paulo de longe. Gostava, me interessava e torcia mesmo sem saber que aquela sensação era a de torcedora. Quando o time tava em campo eu parava pra ver o placar, me interessava saber se tava ganhando. Mas menina retardada e desligada em futebol, quase nunca ligou pra isso. Seguia a vida em frente e deixava o time do coração pra lá.

Até que fui crescendo e entendendo que futebol é como música! Você gosta daquela que te chama atenção, que te toca, te inspira, interessa, que te move! E eu vi que, eu podia assumir meu amor platonico pelo São Paulo sem receio, sem vergonha nenhuma! É meu time, é por ele que eu paro pra ver um jogo (quando paro) e é ele quem me faz sentir alguma sensação diferente!

– Oi! Sou São Paulina, e você?

E assim se deu a coisa. Já faz muito tempo que eu sou tricolor, e não entendo realmente o choque de uma galerê aí… rs! Não torço por causa de ninguém, apesar de conhecer muita gente amada que torce pro São Paulo. Não vou e nem quero enumerar motivos e fazer declarações mil pra te provar que e porque o São Paulo é o melhor time!! Ele prova por si só, sem precisar de mim para defendê-lo!

Sou tricolor com muito orgulho sim!!!! Se tiver alguma dúvida, por favor fique a vontade.

Desde sempre…

segunda-feira, setembro 14th, 2009

Desde sempre, fui chamada de muitas coisas nessa vida. Além da tão comum mania alheia de te rotular tal como bem entende e confia em seus entendimentos; ainda me tornei uma criatura de tantos nomes, tais quais com sua personalidade quase própria.

Nasci e cresci sendo Belinha, pra toda a família. Sempre foi assim, até nascerem os derivados como Bela, Bebela, Beleca. Esses todos me remetem à família, infância, cheirinho gostoso da pureza e do amanhecer.

Ao entrar na escola me tornei Iza. E ser Iza sempre me soou ser eu mais independente mais auto-suficiente. Iza me soa forte, de quem acredita que eu vou lá e faço o que devo fazer. Foi na escola onde me tornei mais independente que me tornei Iza.

Durante um tempo meio paralelo, me tornei por vontade própria; Duduzinha. E ser Duduzinha quase que me transformou em um personagem paralelo do meu verdadeiro EU. Muitas pessoas me conheceram Duduzinha e nunca sequer souberam meu verdadeiro nome. Outras souberam, e outras se surpreenderam por não se tratar de nenhuma Eduarda.

Depois eu virei Izolda, pra uma pessoa especial que passou em minha vida. Izolda me soava como um agrado, um particular, um carinho mútuo que rolava entre a gente. Izolda era espontâneo, automático, era e pronto.

Cheguei a ser Eza, Izoca, Ezolda, Iza até chegar em Jaca. E Jaca me soou de inicio um xingamento, uma coisa feia, medonha, grande, desajeitada, torta, crespa, dura. Mas acabou passando e já não mais importando o significado, mas de onde veio e o que pra mim representava. Jaca hoje pra mim tem uma definição particular, que nem sei se foi na verdade a intenção inicial. Jaca é crespa, é dura, é pesada e resistente, mas basta você partir a Jaca que encontrará um interior mole, frágil, doce, saboroso. Talvez no fundo seja isso mesmo, resistência grande por fora e fragilidade interior. Talvez sim… talvez…. não.

Já cheguei a ser Izulina, Izuda, Izoka, e outras tantas derivações carinhosas. Todas essas tão putas, tão sem personalidade, tão nada e tão tudo. Que no fim das contas pingam por aí e serão especiais nos momentos certos.

Fui também vaca, puta, pretinha, neguxa, cabeção, louca, e tantos outros xingamentos carinhosos que nem sei. Só sei que amo todos, com um amor infinito!

Cheguei a ser Entojo!! Assim, em um dia qualquer, desprevenidamente.

Twitter

quarta-feira, agosto 26th, 2009

Eu nunca vim aqui pra falar sobre uma coisa que eu tenho há bastante tempo, mas que agora acabou virando “o assunto do momento”, que é o tal do Twitter. Mas aos poucos, algumas coisas foram acontecendo graças ao Twitter, e já posso dizer que até colegas eu já andei fazendo por tweetadas!!

Criei meu Twitter há algum tempo atrás e como tudo o que tenho na internet, conheci e me inscrevi graças a um amigo, o Diogo Freire. Ele me passou o link e eu fui lá despretensiosa, me cadastrei e deixei ali, sem muita empolgação. Na época eu não estava na vibe, e nem tinha me tocado o porquê dessa ferramenta.

Aos poucos, e eu sinceramente não sei como, o twitter foi tomando uma proporção inacreditável. Quase que como um passe de mágica, eu comecei a ver diversas pessoas “descobrindo” uma ferramenta que eu tinha há tanto tempo lá jogada às moscas. E hoje, confesso me assustar com algumas pessoas que por lá eu vejo.

Confesso que possivelmente eu não uso o twitter da maneira e na freqüência mais correta. Sei que o twitter fez crescer os olhos de muitos publicitários, produtores, etc. Mas posso dizer que, em pouco tempo de explosão; o twitter já fez grandes realizações no meu dia-dia.

Realização de Desejo

Foi pelo twitter, que finalmente conheci o Daniel de Oliveira. Eu vivi um bom tempo querendo conhecer o ator, mas foi de uma notícia via twitter que eu soube que ele estaria na minha cidade. Fui lá e conheci o moço, desejo realizado.

Compartilhamento musical

No fim das contas, o twitter virou mais um meio pra que eu pudesse ouvir mais músicas. É uma troca de myspaces, uma divulgação de links, de músicas, que eu fico louca querendo devorar tudo ao mesmo tempo. É uma delícia!! Já descobri várias coisas novas através do twitter.

Acesso à informação

O twitter é uma ótima fonte de informação, isso é fato. Mas o bacana, ou não, é que com o twitter eu posso receber informações somente daquilo que me interessa e resumidamente; de forma que eu não perca meu tempo procurando. E caso eu quero maiores detalhes, as notícias chegam sempre com um link para a matéria completa. Se me interessar, eu clico no link e leio os detalhes.

Contato com pessoas distantes

Através do twitter pude me sentir ao lado de um amigo, durante a virada cultural de SP. Enquanto ele estava lá assistindo os shows, eu de casa compartilhava todas as sensações pela troca de tweets via celular. E, consigo conversar com uma amiga de Nova York enquanto eu twitto daqui e ela recebe minhas mensagens no celular dela, lá longe.

Emprego

Com o twitter, eu posso seguir essas agencias de emprego e estar sempre recebendo notícias sobre ofertas de emprego em todo o Brasil. Se me interessar, eu mando o meu currículo e é só torcer pra dar certo. E olha que já quase consegui um emprego.

Além disso, o Twitter é muito bom por diversas coisas peculiares. Serve pra ler aqueles “pensamento do dia”, pra saber dos amigos, receber notícias dos seus ídolos, e até mesmo (acredite) pra aguçar sua inspiração de postagem. Eu mesma, já fiz alguns posts inspirados em tweets que li e já vi muita gente fazer o mesmo. Aliás, já vi gente compor música e outros fazerem posts no blog através do twitter. Um bom exemplo é o músico Fernando Anitelli que compôs música com ajuda dos “twiteiros” e a arquiteta Thais Frota, que “bloga” com informações passadas pelos “twiteiros”.

Mas, como tudo tem o lado ruim também, o twitter usado de forma errada pode ser uma cilada. Existem vários sites por aí que ensinam as “boas maneiras no twitter” ou “as 10 piores coisas do twitter” e, mesmo que na verdade o bacana dessa ferramenta seja a liberdade total de expressão e de follow ou unfollow quem você quiser, acho que senso é o que muita gente anda precisando nesse mundão aí de Deus

Não há nada pior que, quando você segue alguém/algo de muito interesse seu, e que diversas vezes tem ótimos tweets, mas que infelizmente na grande parte do tempo é um pé no saco. Você não quer dar unfollow porque não quer perder os bons tweets, mas fica de saco cheio dos floods.

O primeiro exemplo de cilada é você seguir (follow) pessoas que mandam excesso de publicidade. Mesmo sendo uma ferramenta ótima pra divulgação, é bom ter bom senso ou então ganhará diversos unfollows.

Outra coisa insuportável é essa enxurrada de tweets desnecessários, principalmente falando em picados, sobre o mesmo assunto!! Quer escrever opinião? Faz um blog e depois divulgue no twitter. Porque fazer redação no twitter, é o fim!! E pior ainda que isso; é ficar batendo papo via twitter. Amor, quer conversar; instale instante message ou então conversa em Direct Message.

É ruim também o que vejo algumas (sim, mais que uma!!) bandas fazerem. Primeiro manda um recado via twitter da banda, depois cada integrante vai lá e retwitta o tal recado. No fim das contas, se você é fã da banda e segue a banda e mais os integrantes dessa banda; você recebe no mínimo 6 vezes o mesmo recado. Isso contando que a banda tenha apenas 5 integrantes. Mas, meu bem, se você segue a banda, os integrantes da banda e ainda alguns amigos seus que também sejam fãs da banda; fudeu, você receberá a mesma mensagem uma caralhada de vezes!!

Eu poderia enumerar infinitas atitudes nonsense no twitter, aqui. Atitudes essas que até mesmo eu, cometo uma porrada de vezes. Mas vou citar uma última coisa que é total VA (Vergonha Alheia):

É péssimo ver aquelas pessoas que ficam a todo custo tentando chamar atenção dos famosos. E, além de desejar diariamente “bom dia”, “boa tarde”, “boa noite” em vão para os “Globais”, ainda tentam responder e debater assuntos com eles. Heeelloooooo people!!! Borá ter umpouco de noção, né?! Não que uma coisa ou outra seja errado, mas daí achar que é intimo a ponto de ficar dando “bons dias” e desejando “bom show” toda hora é uó né? Convenhamos…