Archive for the 'Dai-me paciência!' Category

Porque não gostar do Jô Soares?

segunda-feira, dezembro 13th, 2010

Algumas pessoas já sabem que tenho certa birra com o Jô. Daí tem gente que não entende, e muitas pessoas me perguntam se isso é gratuitamente ou se houve alguma coisa. Na verdade; os dois, e eu vou explicar.

A principio nunca gostei da parte comediante do Jô, sempre achei meio bobo e um pouco pejorativo. Sempre preferi o Chico Anysio e na verdade acho que nem tem comparações, mas soube que houve um desconforto entre os dois, que eu não sei detalhadamente mas sei que algo competitivo de humor e coisa e tal.  E isso só me fez gostar menos do Jô.

Depois eu vi o Jô Soares como apresentador, lá no SBT ainda, e já passei a não gostar. Eu não gosto de gente que se mete a ser o mais entendido do assunto. Gente que fala mais do que o entrevistado e pega sempre um gancho da entrevista para falar de si próprio. Sei lá, o Jô segue todas as regras do Jornalismo; ao contrário. Ainda por cima treme como uma vara, quando a entrevista foge da pauta! Coisa de gente desinformada! Faça-me um favor!

Além disso, não gosto do Jô sendo entrevistado em eventos, não gosto do modo que se comporta, como fala, como se veste e como dirige sua carreira! E essa parte é por gosto mesmo, eu não gosto e fim de papo!

Achando que já tinha motivos suficientes pra não gostar do cara, soube que ele tem um filho deficiente internado em uma clínica e que ele tem dificuldade de aceitação. Não sei até onde isso é realmente verdade ou boatos que se ouve por aí. Eu mesma nunca vi o Rafael, esse é o nome, e nem nunca vi uma matéria falando sobre a aceitação ou não-aceitação. Mas pra um cara tão vivido, estudado como o Jô gosta de demonstrar que é, acho muito ruim ter esse tipo de preconceito.

Trazendo isso pra mais perto, eu mesma já fui no Jô Soares uma vez e a forma como ele olhou pra mim foi realmente desconfortável. O cara arregalou os olhos como se eu fosse uma coisa de outro mundo, uma outra espécie do “Et Bilu”, o “ET Belinha”. Olha, eu sei que nem todo mundo é igual e nem todo mundo lida com os problemas da mesma forma. Mas sabe, o cara é apresentador de programa de televisão, é viajado, é “Cult”, tem um filho autista, e não sabe lidar com o “diferente”?! Acho isso meio contraditório.

Além disso acho muito desrespeitoso o fato dele nunca, ou quase nunca, estar presente nas apresentações musicais do programa! Porra, faz a gravação do programa de forma que ele assista os musicais. Acho que fica feia a edição e feio pra ele mesmo. Parece que tá cagando pra apresentação da pessoa.

Sobre as humilhações que rolam com alguns entrevistados, e que o ele parece adorar caçoar da cara desses entrevistados, eu nem preciso desenvolver um parágrafo, né? Todo mundo sabe, todo mundo vê, todo mundo se irrita e todo mundo odeia.

quinta-feira, junho 4th, 2009

Ando em um silêncio destruidor. Diferente de pouco tempo atrás, que o silêncio me trazia paz e uma sensação profunda de bem-estar, esse silêncio me estraçalha por dentro e sinto como uma louça quebrada em vários pedacinhos por dentro. Esses pedaços me cortam e os cortes são inúmeros, e todos sangram e doem ao mesmo tempo.

Quero, não parecer forte, mas sim SER forte diante do tudo que me acontece. Não quero dramas, nem pena e nem me fazer de coitada. Mas de fato a coisa aqui por dentro dói tanto, que passa a doer por fora: minha gastrite me detona e meus machucados pioraram todos ao mesmo tempo e inexplicavelmente.

Inexplicavelmente o escambau!!! A menina que quer ser uma mulher forte, tem um emocional filho da puta que acaba com a imunidade e tudo começa a pipocar!!!!

Pior de tudo, é no fim das contas sair chutando o mundo e atacando faíscas de fúrias em pessoas que não tem nada ver. É querer que o mundo se exploda e que todas as pessoas voem pelos ares!!!! O pior é acabar sempre com a velha e idiota mania de descontar nas pessoas erradas, e por uma covardia retardada não fazer o que deve ser feito.

Mais grave ainda é não curtir os dias maravilhosos que tem feito lá fora, e não estar degustando como deveria das coisas lindas que vem acontecendo paralelamente à essa rajada de sentimentos doloridos.

ás vezes um erro é só um erro. como quando você cozinha e erra a mão no sal. um erro passa a ser um tormento quando afeta a sua vida e/ou a de outra pessoa por tempo demais. um erro passa quase despercibo e pode até ser esquecido quando um simples pedido de desculpas resolve. um erro vira uma maldição quando nada mais pode ser feito, quando as marcas que esse erro deixou são tão profundas que não podem ser escondidas.

as lágrimas derramadas não voltam, as noites em claro já foram perdidas. e o erro já não é mais só um erro.

as promessas foram feitas, mas já não as quero. e foi preciso passar muito tempo pra entender isso.

Maely Freitas

.

Em pouco tempo, a coisa se resolve. E os dias lindos que tem feito lá fora terão mais sentido.

Das coisas que eu viverei pra entender

quinta-feira, abril 26th, 2007

Eu só gostaria de entender o que se passa na cabeça do infeliz que tem a brilhante idéia de colocar um Som Brasil em homenagem a Vinicius de Moraes e com a presença de Gal Costa, Ed Motta e alguns outros bons nomes no ar após o Programa do Jô

Na boa cara, eu ainda viverei pra entender a grade da Televisão Brasileira….

Um tapa na cara, isso sim.

segunda-feira, outubro 30th, 2006

O que será que será
Que dá dentro da gente e que não devia
Que desacata a gente, que é revelia
Que é feito uma aguardente que não sacia
Que é feito estar doente de uma folia
Que nem dez mandamentos vão conciliar
Nem todos os ungüentos, vão aliviar
Nem todos os quebranto, toda alquimia
Quem nem todos os santos, será que será
O que não tem descanso, nem nunca terá
O que não tem cansaço, nem nunca terá
O que não tem limite

Eu não acho bonito tudo isso e nem acredito nesse lance de “eu não gosto de ser assim, mas sou.”. Se a pessoa tem tanta consciência de que está tendo uma conduta incorreta, que pare de se explicar e trate logo de agir de modo que dê verdadeiros resultados.
E tudo isso deveria ser dito a mim mesma, pois é comigo que eu fico, e estou neste momento, revoltada quando tenho ataques infantis, de gente mimada e não digno de uma quase-jornalista de 25 anos. Não é gênio, num é o signo, personalidade e nenhuma dessas desculpas confortáveis de se dar. É um defeito grave e vergonhoso que precisa ser resolvido com máxima urgência.
Estou com nojo de mim, principalmente porque nada que eu diga aqui, nem mesmo o nojo de mim mesma, justifica determinadas atitudes que eu tenho. É hora de levar um tapa na cara, ver que sou uma idiota completa e crescer, isso sim.

Saber a hora errada.

quarta-feira, outubro 18th, 2006

É incrível como eu sou capaz de fazer as coisas nas horas mais erradas do mundo. Quando o circo pega fogo eu sento e choro, e quando tudo parece que começa acalmar eu explodo e fode tudo denovo.

É bom não discutir.
É bom, também não se irritar.
A irritação confunde o nosso raciocínio.
Quando a nossa opinião estiver divergindo da de outras pessoas, devemos analisar e tomar uma simples decisão: Mudar ou não de opinião. Só isso.
Não precisamos discutir ou irritarmos.
É certo que o confronto de idéias é importante para a formação de novos conceitos e solidificar os que já existem, mas desde que esse confronto se dê de forma civilizada e fundada em provas inequívocas. Como as verdades são relativas em função do momento, melhor é não forçar as coisas.
No início, deixar para lá uma discussão, pode parecer difícil, mas depois de um tempo acabamos nos acostumando.
Relaxe!
Sábio é aquele que não discute. É aquele que pensa, observa e faz os outros pensarem.

Pois é… Às vezes eu acho que aprendi, e outras tenho certeza que não.

Falta de assunto…

terça-feira, outubro 10th, 2006

De repente, sem nem um oi…

Ela diz:
caralhow!! mto sono
Izabela diz:
ué, durma!
Ela diz:
em poucos minutos…
Izabela diz:
aff
Ela diz:
ta fodaaaa
Ela diz:
bom, vou tentar deitar de novo
Ela diz:
bju iza

Sorte ou Azar

domingo, outubro 8th, 2006

Pois é, a gente sempre quer ganhar na loto, ficar rico, ganhar prêmios, mas nunca joga pra ver se realmente ganha. Dentre tantas coisas pra ser sorteada, eu não joguei (e não me inscrevi) em nada, mas fui sorteada para…

… Fazer o provão, o tal do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) para o curso de Jornalismo.

Agora vamos ver como vai ser! Mas em todo caso, é isso que eu chamo de Sooooooooorte! E isso porque eu prefiro nem citar a data da prova.

Sandy véia coroca

sexta-feira, setembro 29th, 2006

Essa mídia que invade e desgasta tanto a vida das pessoas tem me deixado um tanto quanto a sensação do que eu mais detesto nessa vida, a rotina.
A busca pelo furo de reportagem no mundo das tais celebridades chega a ser tão intenso que nem mais podemos dizer que “a história é a mesma, só muda o personagem”. O que acontece é que as pessoas já não estão nem preocupados em mudar o personagem da história, e a maior prova disso é quando paramos pra pensar quantas vezes a Sandy virou mulher. Que, de tanto ouvir essa informação, cada vez que ouço essa afirmação me pergunto se não está na hora dela virar é uma velha. Quem sabe assim não muda um pouco o disco?!
Piadas a parte, que a Sandy virou mulher eu já entendi, mas não me venham dizer que a Sandy cresceu, porque isso meu bem, só mesmo em cima do salto.

E tenho dito.