Archive for the 'Fiz merda! Pra variar.' Category

Touro com ascendente em cancer = merda

segunda-feira, outubro 26th, 2009

Tenho mania de não acreditar no instinto. Coisa de menina travessa, teimosa! Sabe quando uma voz assopra no teu ouvido, quase como a voz da sua mãe falando pra não ir porque vai cair um temporal? Eu estava sentindo isso e mesmo assim fui com toda aquela força do touro bravo. Dito e feito! Caí sentada na lama, com aquela cara de “e agora?”.

Falei palavras indevidas na hora, do jeito, e pra pessoa errada. E a vida é assim mesmo, segue em frente sem que você consiga voltar rapidinho naquela cena que era muda e você falou! Cadê a porra do diretor desse filme pra gritar “CORTA!!!!”. Acho que ele até gritou, mas quem disse que eu parei, né?!

Agora estou aqui, pequenininha com medo de perder o brinquedo mais esperado, o tesouro mais desejado, e de sair de cena desse filme que eu tomei tanto cuidado pra não pegar o personagem errado. Estou chorando internamente, e chocada sem saber que atitude tomar.

Um lado meu lembra daquele de uma frase; Don’t panic! E diz que tudo vai dar certo no fim das contas, e o importante é manter a serenidade não me perder do azul.

O outro lado meu, nublou todo. Cai uma chuva tímida e angustiante. É um medo, o medo de ter cometido um erro estúpido e ter perdido uma grande conquista.

No fim das contas, eu continuo aquela garota errada. Que nega o que quer afirmar, cala o que tem pra dizer, diz o que tem pra calar, duvida do que existe e acredita no que não existe!

Maldito lado canceriano!

quinta-feira, junho 4th, 2009

Ando em um silêncio destruidor. Diferente de pouco tempo atrás, que o silêncio me trazia paz e uma sensação profunda de bem-estar, esse silêncio me estraçalha por dentro e sinto como uma louça quebrada em vários pedacinhos por dentro. Esses pedaços me cortam e os cortes são inúmeros, e todos sangram e doem ao mesmo tempo.

Quero, não parecer forte, mas sim SER forte diante do tudo que me acontece. Não quero dramas, nem pena e nem me fazer de coitada. Mas de fato a coisa aqui por dentro dói tanto, que passa a doer por fora: minha gastrite me detona e meus machucados pioraram todos ao mesmo tempo e inexplicavelmente.

Inexplicavelmente o escambau!!! A menina que quer ser uma mulher forte, tem um emocional filho da puta que acaba com a imunidade e tudo começa a pipocar!!!!

Pior de tudo, é no fim das contas sair chutando o mundo e atacando faíscas de fúrias em pessoas que não tem nada ver. É querer que o mundo se exploda e que todas as pessoas voem pelos ares!!!! O pior é acabar sempre com a velha e idiota mania de descontar nas pessoas erradas, e por uma covardia retardada não fazer o que deve ser feito.

Mais grave ainda é não curtir os dias maravilhosos que tem feito lá fora, e não estar degustando como deveria das coisas lindas que vem acontecendo paralelamente à essa rajada de sentimentos doloridos.

ás vezes um erro é só um erro. como quando você cozinha e erra a mão no sal. um erro passa a ser um tormento quando afeta a sua vida e/ou a de outra pessoa por tempo demais. um erro passa quase despercibo e pode até ser esquecido quando um simples pedido de desculpas resolve. um erro vira uma maldição quando nada mais pode ser feito, quando as marcas que esse erro deixou são tão profundas que não podem ser escondidas.

as lágrimas derramadas não voltam, as noites em claro já foram perdidas. e o erro já não é mais só um erro.

as promessas foram feitas, mas já não as quero. e foi preciso passar muito tempo pra entender isso.

Maely Freitas

.

Em pouco tempo, a coisa se resolve. E os dias lindos que tem feito lá fora terão mais sentido.

Assumidamente triste.

quarta-feira, junho 11th, 2008

Tem dias que eu penso em sumir
Um tempo pra pensar

É difícil te ter
Mas sem você não dá!

Não é por nada. Esse trecho em especial, as vezes me resume tanto. Eu queria só poder sumir. Me livrar de mim mesma, e das cagadas que faço. Será que um dia, um diazinho eu aprendo? Tá difícil. Eu não estou ME suportando mais.

:'(

Eu juro que eu tava muito alto astral, orgulhosissima de toda esse jeito de ser e estar. Fiz uma cagada, tentei arrumar e bola pra frente. Mas depois do tiro no pé que me dei desnecessariamente, eu assumo que tô (muito) triste. E não tem quem mude.

Saber a hora errada.

quarta-feira, outubro 18th, 2006

É incrível como eu sou capaz de fazer as coisas nas horas mais erradas do mundo. Quando o circo pega fogo eu sento e choro, e quando tudo parece que começa acalmar eu explodo e fode tudo denovo.

É bom não discutir.
É bom, também não se irritar.
A irritação confunde o nosso raciocínio.
Quando a nossa opinião estiver divergindo da de outras pessoas, devemos analisar e tomar uma simples decisão: Mudar ou não de opinião. Só isso.
Não precisamos discutir ou irritarmos.
É certo que o confronto de idéias é importante para a formação de novos conceitos e solidificar os que já existem, mas desde que esse confronto se dê de forma civilizada e fundada em provas inequívocas. Como as verdades são relativas em função do momento, melhor é não forçar as coisas.
No início, deixar para lá uma discussão, pode parecer difícil, mas depois de um tempo acabamos nos acostumando.
Relaxe!
Sábio é aquele que não discute. É aquele que pensa, observa e faz os outros pensarem.

Pois é… Às vezes eu acho que aprendi, e outras tenho certeza que não.