Archive for the 'Só pra constar' Category

Constatando-me

domingo, março 20th, 2011

No domingo passado, 13/03, uma amiga minha que mora nos Estados Unidos; passou aqui em casa para nos vermos! Veio ela, os pais e o filho dela de um ano.

 

Foi um momento delicioso, porque eu a conheço desde que tenho 13 anos de idade. Estou prestes a fazer 30 anos, e aí a gente vê que tem história pra caramba nessa amizade aí. E tem mesmo, todas elas muito gostosas de lembrar!

 

Não é sempre que a vejo, e pra falar a verdade nossa amizade foi toda construída fora da internet e por isso não temos lá muito costume de papear no MSN ou seja lá o que for! Geralmente é tudo muito de passagem, só pra ter certeza que está tudo bem com uma e com a outra.

 

Em fevereiro, reencontrei no Rio de Janeiro, uma amiga que conheço desde os meus 11 anos de idade. Olha aí mais quanto tempo de amizade! E o reencontro se deu como se nos vessemos quase todos os dias, ou pelo menos uma vez por mês! E acredite, não é o que acontece.

 

Nos vemos quase de quatro em quatro anos e sempre de surpresa. Nos esbarramos em algum barzinho da cidade, ou até mesmo em formatura; uma sem saber que a outra iria! Mas todo encontro, sempre muito afetuoso e  divertido! Todos com aquela vontade de ter mais tempo, mais papo, mais tudo aquilo que quase nunca se tem na hora!

 

Dessa vez, o reencontro no Rio de Janeiro foi programado. Começou no facebook e acabou em uma deliciosa noite de conversa no restaurante Outback. E o mais gostoso de tudo, foi sentir que toda aquela intimidade e sintonia; não mudaram nada desde aquela época.

 

Nesse último final de semana, encontrei um amigo que já passamos por muitas coisas loucas e que já me fizeram ter certeza que nunca mais seríamos o que somos hoje. Estar na companhia desse amigo é sempre muito gratificante, pelo simples fato de poder sentir que com todas as ventanias que já enfrentamos; acabamos sempre conseguindo que a brisa suave sopre entre nós.

 

E o meu maior orgulho é esse; saber que mantenho contato com os amigos de ontem, hoje e sempre! Sem perder o jeito, sabe? Posso dizer que tudo flui bem desde os amigos de quando eu tinha 10, 11 anos, até os de hoje em dia!! Os que conheci no colegial, na rua, na faculdade, na internet, tudo!!!

 

E o mais legal, é que nunca cataloguei amigos. Se deixar eu misturo tudo no caldeirão e deixo a coisa ferver!!! Porque eu gosto mesmo é de ter todas as pessoas ao meu redor. Não importa onde e como nos conhecemos, mas sim a amizade que nutrimos.

 

Se tem uma coisa que me faz sorrir e sofrer, é algo que envolva a amizade. Eu sou uma pessoa que posso ter o defeito que for, pode me xingar do que quiser nessa vida! Mas se tem algo que eu sou e que eu realmente valorizo; é o termo AMIGO!!

 

E ao mesmo tempo em que tenho alguns momentos maravilhosos como esses reencontros com pessoas tão queridas, eu também acabo sofrendo e entrando em conflito com a visão dos outros sobre a tal da amizade.

 

Já fui uma pessoa 8 ou 80 com relação a amizades, ou era realmente amigo naqueles padrões que eu considerava, ou então não era ninguém na minha vida de menina blasé. Pra mim não servia (e na verdade ainda é difícil) amizades que eu considerava pela metade! Eu queria era o pacto de sangue!

 

Hoje em dia melhorei muito, eu confesso, mas ainda tenho lá os meus conflitos internos; que acabei por não expor mais pra não entrar em discussões desnecessárias e sem muita solução. Hoje prefiro acreditar que do mesmo jeito que preciso me adaptar ao próximo, preciso me adaptar a mim mesma. Saber que algumas coisas irão me machucar, devido às minhas expectativas e minhas formas de sentir.

 

Ainda acho absurdo quando apenas um lado rega a amizade. Ainda acho absurdo quando ouço expressões de “eu sumo e reapareço” (acho conveniente demais!). Ainda acho absurdo quando um lado só fala, e um lado só escuta. Ainda acho absurdo quando há “esforço” só de um lado. Ainda acho absurdo quando um lado é mais incondicional que o outro.

 

Mas, aprendi que somos responsáveis mesmo por aquilo que cativamos. E que ninguém tem direito de cobrar aquilo que nasceu pra ser voluntário, espontâneo. E que temos que ser o que somos e arcar com as conseqüências, cedo ou tarde.

 

E mesmo com todas as coisas que eu já aprendi, e que sei que ainda vou aprender muito, eu vou continuar sempre sendo fiel aquilo que eu acredito.

Contra adição.

quarta-feira, fevereiro 16th, 2011

Tenho a sina de cuspir pro alto e sempre ver cair na minha testa. Isso é tão constante e tão difícil pra mim que tenho (ou tinha, porque ando podando) um orgulho do tamanho do mundo. E tudo que eu jogo no lixo, é o meu tesouro do dia seguinte. Tudo aquilo que guardo, apodrece com o tempo. Sou uma contradição ambulante! Mas aprendi a ser assim, e daí?

A cerveja que eu tanto amaldiçoei aos prantos e também aos berros, é a mesma gelada que tomo de canudo no bar, na companhia dos amigos. Todas as frutas, verduras e legumes que tanto cuspi quando era criança, se transformou no vício de não saber mais almoçar se não tiver uma saladinha pra acompanhar. As pessoas que nunca dei trela são as que ficaram, e das que batalhei pra ter; poucas restaram.

Eu nunca quis na vida viajar assim para o exterior, e nunca gostei nem tive curiosidade de conhecer a Disney. No entanto já fui três vezes e sempre foi as melhores viagens da minha vida!

Eu que sempre detestei conversar, falar e responder qualquer pessoa; me formei em comunicação, adoro fazer seminário e sonho ser um dia Ministra da Cultura no Brasil.

O cara chatinho, sem graça, que parecia um retardado querendo ser legal com umas piadinhas infames e que me fazia sentir vergonha alheia em milhões de ocasiões; foi o cara que apareceu pra ser simplesmente o amor da minha vida. E todas as vezes que eu fugi do abraço, do carinho e dos olhares fixos, foram sempre os momentos que tudo que eu mais queria era abraçar, acarinhar e buscar o olhar.

E eu escrevo pra mais uma vez repetir a história de que a pessoa que eu tanto prorroguei, tanto evitei, tanto mantive fora da minha vida; é a mesma que hoje eu tenho tanto medo de perder, de não aproveitar tudo e que eu passo momentos pensando o quanto a gente já podia ter se conhecido e a infinidade de momentos que perdi longe dessa pessoa.

Acho que no fundo, tenho mesmo é uma repulsa à tudo que um dia posso querer pra sempre! Como se o intimo avisasse que aquele “produto” pode causar dependência! Mas no auge da minha “crise dos 30” ando aprendendo, não de hoje, a prestar mais atenção nos presentes que a vida oferece. Ando jogando lixo pra fora com mais rapidez e zelando melhor os meus tesouros.

Cinza e vermelho

sábado, janeiro 15th, 2011

Deve ser clichê escrever sobre o acontecido no Rio de Janeiro. Esse tipo de acontecimento me cala a alma, me faz ser silêncio da cabeça aos pés. Não tem o que dizer. Não é agora o momento de sermão e de demagogias e utopias. Mais de 500 pessoas morreram de uma hora pra outra, assim em um temporal. E a chuva não distinguiu a classe social. Morreram trilhardários e palpérrimos na mesma lama, da mesma água. E o pior é pra quem fica. Meu Deus do céu, ou seja lá quem for; como é que essas pessoas conviverão com a realidade de ter perdido entes queridos em um temporal? Um temporal!! E é por isso mesmo que eu respeito tudo que vem da natureza. Respeito e tenho medo. Sim, eu tenho mesmo é medo! Não sei do que esse mundo é capaz. São tremores, tsunamis, temporais, furacões, e seres humanos predadores! A vida anda cinza e vermelha!!! E eu amaluqueço e pinto meus dias com cores vivas, todas elas bem coloridas! Tento diariamente digerir uma verdade que me retorce a alma! São mais de 500 pessoas mortas! E ainda sou obrigada a engolir guela abaixo de que o fim do mundo é em 2012? Ou pior, que o horóscopo mudou e sendo assim não sou mais Taurina, da noite pro dia virei Ariana!?

Nando Reis já cantava a bola faz tempo…

“O que está acontecendo? O mundo está ao contrário e ninguém reparou…”

ReciclANO

sexta-feira, janeiro 7th, 2011

Parece que eu estava adivinhando.

Meu 2011 não veio com aquele cheirinho de novo, nem mesmo chegou embrulhado em um lindo papel de presente com laços coloridos. Ele veio assim meio amarrotado, até limpinho, mas tá longe de ser novo, sabe?!

Desconfio que ele seja um ano reciclado, entende? Ou um daqueles que a gente passa pro vizinho porque está novinho e dá pena de jogar fora! Ele é tão bom, tão útil, que precisa ser usado pela vizinhança toda!!! Vai passando dos mais velhos para os mais novos. Só tem que tomar cuidado pra não rasgar, arranhar, pra ninguém pegar o ano assim meio capenga, vazando água ou meio amarrotado.

E eu digo isso, porque não tive em nenhum momento aquela sensação de cronometro zerado, de caderno novo, de roupa nova! Esse ano, pra mim, está com cheiro de continuação. Sem pausa, sem estaca zero, sem nada!!! É como se seguisse o mesmo fluxo de sorte e azar, de trabalho, de vida, de saúde, tudo.

Tem coisa que não muda!!! E tem coisa que muda assim, do nada… sem nem precisar mudar de ano!!! É tipo assim, do dia pra noite!!!

Não sei se porque viajei pra outro País e não vi Roberto Carlos cantar “Emoções”, nem vi a Xuxa fazendo algum especial, e sequer ouvi de longe alguma música da Simone, mas a verdade é que voltei dia 28 e não entrei naquele clima nostálgico de final de ano!

Com tudo isso, eu não consigo esperar nada desse NOVO ANO. Quero só poder viver com muita paz, saúde e que eu possa conseguir meu emprego e aproveitar muito as pessoas que amo e alguns showzinho, porque ninguém é de ferro. A gente quer mesmo é só poder viver bem, um dia de cada vez. Sem essa designação de 2011, 2012, 2013…

Cantando a saudade

terça-feira, dezembro 21st, 2010

Eu tenho um amigo que pegou o rumo e foi viver ainda mais longe de mim do que já vivia. E eu sinto tanta falta de tê-lo nos meus aniversários e das minhas vontades súbita de fugir pra Minas Gerais.

Ele sabe que sou tagarela mesmo, e que sempre que transbordo eu grito ao mundo a importancia que ele tem pra mim. Porque eu nunca fui muito lá com que os outros pensam e esperam de mim, mas ele é uma das poucas pessoas nessa vida; que eu busco dar orgulho. Sempre que você me vem a cabeça, eu respiro profundo e tento ser o melhor que eu posso.

E toda vez que ouço essa música, é como se eu sentisse aqui pertinho seu cafuné e sua massagem nos pés.

Não consegui incorporar. CLICA AQUI!

Um pouco do que se lê

quinta-feira, novembro 4th, 2010

Tem épocas que a inspiração parece ficar fora do ar. É essa sensação mesmo, como se as palavras rolassem rapidamente na cabeça, fazendo um ruído tão grande que fica impossível decifrar e organizá-las em forma de texto.

Em tempos assim, não me desespero mais como costumava me desesperar. Passo a ler textos amigos e me deixar entregar por aquilo que eles escrevem por mim. Permito-me ser escrita por outros, pra quem sabe me reencontrar em alguma entrelinha.

Nessas andanças entre tantas palavras desse mundo da escrita que faço questão de me rodear, me encontro com coisas lindas de encher os olhos da gente. E aqui vou citar alguns, com dor no coração por não poder abraçar o mundo e postar tudo que dá luz aos meus olhos.

Vou começar com um projeto que quando começou a nascer, eu sinceramente não coloquei a fé que o negócio poderia realmente ir pra frente e fazer alguma coisa bacana. Acho que toda iniciativa é válida e que, em tempos como esses, qualquer boa intenção já é uma atitude louvável. E assim nasceu o Projeto Repensar.

O Projeto Repensar propõe isso mesmo! Que possamos repensar as coisas por um outro ângulo. E no site http://www.projetorepensar.org/ são publicados artigos de diversos temas, que visam uma melhor qualidade de vida para todos os tipos de seres vivos.

Outra coisa bonita e bacana que tenho ganhado meu tempo lendo, é o “CucaCult”. É um blog sensacional, daquele que toda vez que acesso eu lembro que era um blog desse estilo que eu gostaria de ter e não consigo! Além de o vizinho ser sempre melhor, é difícil pra eu ter textos bacanas e idéias diversas como a @jediroma.

Mas um dia desses ainda chego perto  de ser como o http://cuca-cult.blogspot.com/ ! Além do blog ser muito bem escrito, trata de vários assuntos interessantes; da música à arquitetura.

Outra coisa bonita de se ler é o “Circulo de Giz”, um projeto de um casal que trocam cartas entre si como se fossem dois ex-namorados! E o mais bonito disso é que todo mundo de alguma forma acaba se encontrando nas palavras Dele ou Dela.

Há rumores que terá uma leitura dos textos do http://circulodegiz.wordpress.com/ em São Paulo! Acessem o blog, se emocione com os textos e aguarde notícias do evento!

E pra finalizar, mesmo sabendo que eu poderia citar mais uns 15 blogs, eu escolhi falar sobre o “Sintonia Plena”.

A @scablef que escreve para o “Sintonia Plena” tem uma capacidade enorme de fazer ventar os cabelos e refrescar a alma enquanto seus textos são lidos.  Seus textos são invejavelmente ocultos, lindos e emocionantes!

Para sentir soprar essa brisa, acesse http://sintoniaplena.blogspot.com/

Pretendo ainda voltar com posts assim, de dicas daquilo que faz um pouco parte do que eu sou.

O Ensaio

sábado, agosto 14th, 2010

Tudo aconteceu muito por acaso e de uma forma muito louca. Pra mim, começou quando o Fernando Anitelli comentou quase que do nada, que encontrou o Renato Di Renzo e a Cláudia nas ruas da Argentina. Achamos essa coincidência muito da maluca e, após um pouco de conversa e nostalgia, resolvi seguir o Rolidei no twitter (porque agora a moda é seguir no twitter, tudo e todos!).

Depois de um tempo, já havia esquecido de toda aquela nostalgia “rolidiana” e estava com a cabeça voltada para coisas do dia-dia, quando recebi no email o convite para tirar umas fotos no Rolidei. Aceitei de imediato. Confesso que no inicio não entendi nada do que se tratava, fiz perguntas e mesmo assim segui para o lugar marcado sem muita clareza do que aconteceria. Mas isso não me inibia de forma nenhuma; sabia que por de trás daquelas paredes desenhadas, só poderiam sair coisas boas e interessantes.

O projeto chamado “Beleza? Eu sou assim” é sensacional e realmente não teria como não me identificar com a proposta. Uma sessão de fotos artísticas com pessoas expressivas para a confecção de um calendário a ser distribuído no Rolidei. Uma iniciativa que mostra a verdadeira identidade das pessoas que são fotografadas. Mais que um corpo, somos todos feitos de simbologias que traduzem quem somos em nosso interior.

Minha sessão de fotos não poderia me traduzir melhor. Não precisei de muitas palavras e as coisas aconteceram de forma cósmica. Primeiro o semi-nu que revela a minha grande dificuldade de lidar com essa coisa de que devemos andar por aí cobertos de panos e  sentirmos vergonha do corpo que temos e que é uma coisa tão maravilhosa quanto uma obra de arte. Em seguida o destaque para as tatuagens que transparecem um pouco da minha essência interior, todos os meus amores e carinhos exteriorizados à flor da pele. Meu signo de touro foi rapidamente notado por Cláudia Alonso e logo já ganhou destaque através das obras de Picasso! E como nada é por acaso, as fotos foram feitas através de um slide, usando mãos pelo meu corpo, sem que ninguém ali na sessão de fotos soubesse da minha paixão por mãos!

O ensaio ficou lindo e sensível na medida certa. E agora fica a expectativa para ver o projeto finalizado!

E de repente!

quinta-feira, julho 22nd, 2010

E de repente; a morte.

E as pessoas e animais, morrem cada vez com mais facilidade. Morrem todo dia, toda hora, de todas as maneiras possíveis e inimaginarias! E a morte dói. Seja ela qual for. Dói ver a morte, mesmo quando é a prima de uma amiga sua, o filho da atriz, a mãe de um colega seu ou a gatinha de alguém que você gosta muito. E a morte não tem volta, não tem consolo, não tem palavras. Apaga-se uma luz, fecha-se uma porta, termina-se mais um conto.

E de repente; a morte.

E as pessoas e animais morrem assim; subitamente. Morre inesperadamente, nos deixando sempre perplexos. E mesmo sendo a única certeza que temos da vida, ainda sim é a coisa que mais nos surpreende. Uma das únicas coisas que nos fazem frear de repente. Morre a criança de quatro anos, que não viveu pra expor suas idéias e ideais. Morre o jovem no auge da adolescência, sem nem tempo de se transformar em alguma, sabe-se lá no que! Morre a mulher com metade da vida já vivida, com filhos, netos e amigos. E morre aquele nosso animalzinho de estimação, que nos consola sempre nas horas que mais precisamos (mesmo às vezes a gente nem sabendo).

E de repente; a vida.

E no dia seguinte a luz do dia reascende, as pessoas caminham pelas ruas, o comércio, as portas e janelas se abrem novamente. E a vida continua até que no próximo semáforo, escorregão ou suspiro ela dê mais uma freada brusca e a gente se surpreenda tudo novamente. E assim quantas vezes forem preciso.

Esse texto é pra banalidade da vida e da morte. Acontece diariamente, mas seqüencialmente rolaram quatro que me frearam a vida. Meu carinho à @Prixila, à @Cissa_Guimaraes, à Fabi (Ravi) e ao @Fanitelli…que meu carinho afague vocês!

Trilha…

sábado, julho 3rd, 2010

Estava aqui pensando em algo pra postar, e daí que estão rolando tantos sentimentos que seria impossível colocar algo no papel. Pra se ter uma idéia; eu estou em meio a uma possível mudança para o Rio de Janeiro que é onde sempre sonhei em morar, estou em plena tensão pré-menstrual, estou apaixonada por uma daquelas pessoas que não se deve apaixonar, e um grande amigo meu está morando muito longe e fazendo uma puta de uma falta! Impossível ter alguma inspiração decente e “postável”.

Mas resolvi fazer um top das músicas que, por algum motivo, estão fazendo parte da minha trilha sonora! Não dê risada, é bizarra o “ecleticismo” das músicas.

1.

Eu nunca ouvi essa cantora. Mas a música, apesar de besta e romântica pra caralho, grudou na minha cabeça. Ela me faz sentir coisas, e me chamou atenção desde a primeira vez que ouvi um trecho minúsculo.

2.

Essa música é genial. Acho que ela sempre vai fazer parte da minha trilha sonora! Oswaldo Montenegro é a minha dor profunda, sabe-se lá porque! Eu seria capaz de separar muitas outras do Oswaldo. Amo muito!!!!!

3.

Como eu disse, mais uma do Oswaldo Montenegro!!! Essa música me lembra minhas duas Estrelas que tenho tatuadas no pulso esquerdo. Amo demais, sinto essa música como se fosse algo realacionado a cumplicidade! Choro por dentro, quando ouço.

4.

Seria difícil também escolher uma do Glen Hansard e da Marketa Irglova. Desde que fui apresentada para as músicas deles, eu me apaixonei como se fosse fã desde pequenina!!! Escolhi essa música, porque talvez eu esteja romântica hoje, mas eu poderia ouvir todas!!!

5.

Caramba!!!! Dave Matthews Band, eu gosto de TODAS deles também. Tem vezes passo dias e dias só ouvindo DMB!!! Esqueço do mundo, completamente!! Mas acho que sempre tenho esse receio e essa neura que questiona a música. Acho que é minha grande neura, e tem sido ultimamente o meu questionamento!!!

6.

Essa música eu redescobri faz algum tempo. Na época me apeguei a ela porque além de tudo ela casava com o “amorzinho” que eu estava sentindo na época! Daí esse poucos dias voltei a ouvi-la e o melhor de tudo é que consegui desvencilhar das lembranças. Hoje posso dizer que gosto da música porque ela é uma delícia e tem uma malemolência muito boa!

7.

Olha, eu devo estar com problemas!!!! Eu não gostei desse CD não, é porque eu acabo tendo o vício de me apegar em letras! E eu achei as letras desse CD bem bestas, fraquinhas!!! Mas eu gostei da sonoridade dessa música, achei que musicalmente falando ela está bacana!!! Sei lá, me irritei com a letrinha retardada, mas me apeguei na música!

8.

Porque eu sou uma raruxa assumida e incorrigível!!! Que caralho, não? Mas essa música é uma das que mais mexem comigo. Sei lá, existe tanta coisa dela em mim. Fora que é uma das poucas músicas e poucos shows e momentos, que me fazem chorar!!!! Adoro.

9.

DISPENSA COMENTÁRIOS?!

10.

Essa música é uma delícia!!! Quando tudo está na merda, você bota essa música no volume alto e não tem astral que não levante!!! Ah, não tem mesmo!!!

• Bonus!

Essa música conheci faz pouquissimos dias!!! Ela veio como uma luva para o momento que estou vivendo!! Ela me remete à toda essa mudança que estou vivendo, e me levanta o astral! Já gostava dessa banda, agora só melhorou o meu interesse!!

Querido Santo Antonio….

domingo, junho 13th, 2010

Não Santo Antonio! Não fuja de mim. Não vou te pedir um amor perfeito. Não tenho a menor pretensão de casar. Acho que não nasci pra isso, sabe? Nem teria saco pra um casamento! Além disso, sou ciumenta sabe? Acho que não teria como viver um namoro com tanta possessividade. Seria um tormento para nós dois! Sei disso! Não nego nada! Mas sabe, Santo Antonio? Eu queria te pedir um amigo-quase-colorido. Não peço muito, eu acho! Eu só queria um amigo que conforte meu coração. Mulheres as vezes cansam, não satisfazem, dramatizam muito! Eu quero um amigo que me bote no colo, que me faça cafuné nos dias difíceis! Quero um amigo. Não estou pedindo um sexo gostoso, beijos intermináveis. Eu quero um amigo bonzinho, pode ser? Não, eu não estou falando de “pau-amigo”! É amigo mesmo! Sabe, eu queria só um amigo constante. Daqueles que eu pudesse ligar sem medo. Daqueles que não somem repentinamente, daqueles que dão força mesmo sabe? Eu não quero um psicólogo, nem alguém que resolva meus problemas! Isso ninguém pode! Eu só quero mesmo alguém que eu possa contar, que eu não tenha pudor! Um daqueles amigos que abraçam forte. Que more perto! Amigo que eu possa ver sempre! Amigo que cumpra suas promessas! Não quero conversas vãs, entende? Ai Santinho, quero um amigo sincero. Um amigo que goste de estar perto de verdade! Um amigo, viu? Não me venha com micróbio, hein? rs. Ei Santinho, eu to pedindo muito? Mais difícil que namorado né??! Não vou te jogar de cabeça na água, nem te prender de cabeça pra baixo em lugar nenhum. Eu prometo! Fica tranqüilo!!! Mas quando você tiver um tempinho entre um casamento e um namoro sério, arranja pra mim esse amigo, vai Santinho!!