Archive for the 'Diálogos internos' Category

DR com o Coração

domingo, fevereiro 27th, 2011

 

I – Oi?

C – oi…

I – sabe o que é…?

C – Sem dramas Izabela, eu nasci pra amar sempre e em todos os sentidos… não é atoa que sou símbolo do amor!

I –  Mas sabe o que é… eu ando cansada de entender certas coisas. Se fosse pra ir a luta e batalhar como todo mundo, eu juro que eu não ligaria! Mas sabe, Coração, eu já cansei de começar uma guerra já perdida!

C – eu sei das tuas dores, nessa guerra quem sangra sou eu! Sei do que fala, mas entenda que é assim! Tem gente pior, acredite! E a gente, eu e você, já deveríamos aprender a lidar com isso… além do mais, a culpa mesmo é SUA!

I – Sabia que a culpa seria jogada pra mim! O que eu fiz demais? Fiz o que faço sempre, com tantas outras pessoas!

C – Naquelas né? Você sabia que ali tinha o melado que vc gostava!

I – Eu sei, mas sabe… a vida me jogou…

C – Antes eu era culpado, agora é a Vida? Sei! E outra, isso nem é de hoje… porque agora deu pra fazer drama?!

I – Não, mas agora que tá mais tchan entende? Agora que cai na real…

C – Mais ou menos, né? Você sabia onde ia dar essa estrada!

I – GRRRRRRRRRRR!! Pelo menos me ajuda a não sofrer?

C – seja controlada e reze pro Sr. Equilibrio não te abandonar! Hahaha

I – E você ainda zoa, Coração? Isso dói! Tô comendo horrores por causa disso!!! To até com um machucado novo nas costas, por causa dessa tensão!!

C – Então não fique tensa! Colha o que for melhor disso tudo… e a gente vai se sair dessa!

I – Vou rezar pra ele sempre estar por perto, assim fica menos dolorido!

C – E vá em um psicólogo pra não vir mais nenhuma neurose! Hahaha

I – Ahhh para de me chamar de louca, Coração!! Você me mete nessa e depois ri! Eu me preocupo com VOCÊ, viu? Você!!!

C – eu sei, vai lá rezar e vamos torcer pra ele não me machucar e a gente não sentir dor! Acho que se eu sangrar de novo, não resisto!

I – Disso que tô falando… mas  enfim! Sou louca! Tchau…

C- Tchau!

Inspira ação!

quarta-feira, junho 23rd, 2010

– Oi?
– Oi…
– Inspiração, deixa eu falar…
– Nem vem!
– Olha só, eu preciso escre…
– Precisa? Como assim precisa? Eu sou livre! Estou solta, quase vento, quase brisa! Não funciono com imposições!
– Não, calma! Não era isso que eu queria dizer, é que…
– Mas disse!
– Me ouve, porra!
– Ouço… fala!
– É um precisar de vontade, necessidade… sabe?
– Hum…
– Não se trata de imposição… É que poxa, eu queria contar sobre aquele filme Once… tão bacana e significativo… e o Edukators? Nossa, mexeu tanto comigo… Sobre músicas, acontecimentos…
– Mas isso fica pra depois! E, na verdade você só está querendo parecer Cult para os que acessam seu blog!
– Não é isso, não seja injusta… nunca liguei pra opinião dos outros!
– Mentira!
– Não é!
– É sim, todo mundo liga! O ser humano tem o Ego, e ele é um mimado! Precisa da aprovação e admiração de todos!!
– É verdade, mas sabe? Não é só isso! Eu me sinto em dívida comigo mesma, de não expor essas experiências! Tem coisa que já estou até esquecendo!
– hum…
– Vamos combinar? Não vou te pressionar, sei que estamos confusas com essas mudanças… mas promete que pensará com carinho?
– Aham…
– Promete?
– Prometo!
– Então combinado! Você pensa com carinho, e eu não te pressiono.
– Tudo bem!
– Falow então! Fui.

Monólogo… #3

quinta-feira, julho 30th, 2009

– Que dia, que maravilha!!!
– É! Mas não posso…
– O que não pode?
– Me empolgar… depois dói…
– Você é boba, não sei porque esse receio!
– Não??????
– Tá bom, entendo. Mas já deu, né? Tira esse escudo
– Não dá, não consigo…
– Mas não tem o que se preocupar, você já teve tantas demonstrações….
– Mesmo assim, não consigo mesmo. Tenho medo, um medo enorme!
– O medo não vai mudar nada, se for… vai ser e pronto. Encara!
– Ainda não dá. Prefiro assim…
– Então se fecha nessa concha, enlouqueça!
– Eu prefiro, estou mais segura pensando assim
– Não está!! Seu sorriso tá explodindo no rosto, não seja injusta! Nem com você e nem com ninguém
– É, outro medo meu é esse.
– É muito sério isso, e perigoso. Já pensou?
– Já, eu posso ser injusta, posso afastar, posso tanta coisa!
– Relaxa, viva e siga o fluxo… Permita-se! Não é essa a idéia?
– Seria… É… tentarei…
– Seja você, seja nós!!!
– É dificil… É tão bom se for verdade… É tão lindo… Mas se não for, que dor!
– Não faça isso, não pense! Não arranque as coisas boas da sua vida por medo… Acredita!
– Vou dormir, amanhã é outro dia e vamos ver o preço que pagarei por esse sorriso todo
– Neurotica! Não tem preço, a vida é inconstante! É só isso. Aproveite o sorriso.
– Boa noite.

Monólogo… #2

terça-feira, julho 28th, 2009

– Porque você não escreveu o e-mail?
– Ah não!! Voltou mesmo, hein?
– hihihihi … Diga, porque não?
– Escrever pra que ? Dizer o que? Não.
– Ué, o que você queria dizer!
– Não quero dizer nada…
– Ah, quer sim!
– Não quero!
– Então porque pensou em escrever?
– Bobeira, mimimi
– Esquece essa modinha de mimimi, esse cara te deixa paranoica!
– Que cara?
– Esse aí…Aliás, ele é paranoico!
– hahaha coitado!
– Enfim, esquece isso e escreve!
– NÃO TENHO O QUE DIZER!!!
– Diga bobagens… mas diga, você quer…
– Não quero, se quisesse já estava feito…
– Olha, pára com essa paranóia de querer se podar. Vai com pé na porta e pronto! Vai perder a essencia?
– Não, vou amadurecer e controlar os instintos. Pra que fazer algo que não vai mudar e nem melhorar nada? Boca fechada não entra mosca!
– Ai você anda madura demais, que chatice!
– Obrigada, mas você sou eu!
– Tá bom, não vou insistir hoje! Depois não fique aí pensando…
– Boa noite, vá!
– Tchau.

Diálogos internos #1

quinta-feira, maio 29th, 2008

– Peraí orgulho, deixa eu falar!
– Acho melhor não, o silêncio é o melhor tesouro.
– Nunca foi o meu. E agora deixa eu falar!
– Vai lá, mete bronca. Mas depois não vá se arrepender.
– Quem me faz arrepender é só você! Culpa sua neguei aquele abraço que já estava sendo dado.
– Ah, mas aquele dia eu exagerei. Desculpa :(
– Não! Estou cansada de você aparecer sempre na hora errada, valeu? Dá licença pra eu ser mais humana?
– Tá, calma.
– Deixa eu chorar, Orgulho. Deixa eu ser mais frágil quando posso ser, deixa eu mergulhar fundo, deixa eu assumir minhas fraquezas e deixa eu dizer às pessoas o que eu sinto.
– Ah, mas você já é tão transparente! Até demais, convenhamos.
– Posso até ser! Mas poxa, apareça na hora certa. Não me atrapalhe mais.
– Às vezes não me controlo. Mas tentarei.
– Acho bom mesmo! Agora posso fazer uma confissão?
– Olha lá o que vai dizer.
– Não é nada demais, seu teimoso! Que mal tem eu dizer que esperei que ele viesse? E que eu fiquei ansiosa. O que há de errado achar alguém especial mesmo não se tendo convivencia diária? Qual o mal de assumir que sim… Sim, Orgulho, eu fiquei bem triste por ele não ter vindo. É errado, me diz?
– Sei lá, eu não acho necessário certas sinceridades. Você sabia que ele não viria.
– Eu não sabia! Eu queria muito, Orgulho, queria tanto que nem você imagina! Mas você, foi você junto com a Sra Razão que me diziam que não, e que me fizeram acreditar que ele não viria.
– E não veio, ué. E graças a nós você não se surpreendeu.
– Mentira. Eu dizia que sabia. Mas na verdade, eu, a Emoção, a Esperança e o Amor sempre acreditamos que ele viria.
– Eu já disse, eles são más companhias. Comigo você não se machuca, já com eles.
– Pára! Não fale deles, são meus maiores aliados! E quer saber? Você me rasga por dentro.
– Eu? Magina.
– Você … Mas isso não vem ao caso. Agora é só isso que eu queria desabafar. Eu queria mesmo que ele tivesse vindo, eu esperei mesmo que isso acontecesse e eu cago e ando pra quem ele seja; a verdade é que eu acho ele especial e queria mesmo ter oportunidade de tê-lo mais perto. Assim como eu adoro o abraço do outro lá, eu amo a cafuné dele e os olhinhos pequenos. E aquele outro, ah eu queria tanto…
– Chega! Se eu não te cortar você perde o rumo. Preciso conversar com a Razão, ela anda tão displicente….
– Tá bom, tá bom. Agora já desabafei.
– Então sossega.
– Chega! Vou sair daqui, pra não brigar contigo! Tchau!
– …

Só pra dizer que faz falta…

sábado, novembro 19th, 2005

– Oi
– Oi…tudo bom?
– Tudo, e vc?
– Tudo ótimo!
– Desculpe, mas seu olhar ñ me diz isso!
– Meu olhar?
– É, eles dizem algo…
– Aé? O que então?
– Diga vc!
– Eu diria se soubesse…
– E sabe, é só dizer…
– Não sei, tô bem!
– Tá?
– Tô!
– Ta nada…
– Então tá…
– Ok então…
– Tá! Falta algo!
– E…?
– E é isso, falta algo!
– Falta o que?
– Nem sei, nem quero saber!
– Coragem?
– Talvez…Também…mas ñ só isso…
– Amor?
– Não, isso sobra!
– Falta o que?
– Palavras…
– Ah! Agora…
– Faltam palavras, conversas, sinto falta disso!
– Entendo…
– Pois é…

5 minutos depois…
– Vontade de conversar horas a fio, mas tá tão raro que perdi pratica acho…
– Entendi…
– 😉
– 😀 a conversa hoje foi boa, mas vou nessa…
– Conversa?! Teve alguma conversa?! ¬¬

“…Ele sempre vai embora quando eu queria que ele se perdesse um pouco, esquecesse do sono, do livro, da planta, das lembranças. Ele sempre vai embora do meu mundo quando eu só queria que ele descansasse um pouco de ser ele o tempo todo, mas ele tem muito medo de não ser ele, talvez porque ele não saiba o que ele é…. “