Archive for dezembro, 2005

Um Desabafo Homenagioso…

sexta-feira, dezembro 9th, 2005

Aviso à quem possa interessar, que a tendência desse texto é ser maior ainda que o normal.

Eu já tinha programado fazer esse texto, me deu a inspiração lá na rua e eu não podia escrever então registrei na memória pra quando chegasse eu fizesse. Confesso que rumo seria outro, mas mesmo com os imprevistos eu achei que mais do que nunca eu deveria dizer o que já tinha me programado.
Minha mãe. Eu nunca parei pra fazer um texto traduzindo o que a minha mãe significa pra mim, é tudo tão grande e intenso que as vezes penso que acabaria na redundancia e não sairia o que realmente tem pra ser dito. Amor demais é assim, tão forte que muitas vezes atrapalha a nossa inspiração. Digo por mim que dá uma emoção, uma vontade de largar tudo e ficar lá grudadinha nela pra aproveitar cada minuto junto com ela.
Hoje vou esquecer tudo e vou fazer o texto do tamanho que for, e fodam-se as redundancias, as regras de português e as poesias. Vai do jeito que for, sincero como é, e detalhado como merece ser. Pois hoje ela merece meu aplauso, meu e te todos, pela pessoa que ela é.
Minha mãe, sem querer me “gambar”, é a melhor do mundo e eu tenho certeza que no fim desse texto muitos vão concordar comigo. Ela é forte como eu nunca vi ninguém, tem uma alegria contagiante e um amor que não cabe no peito.
Tudo começou pela dificuldade que ela sempre teve para poder namorar meu pai, foram 10 anos de namoro sendo 9 sem a permissão dos pais. Ela era rica e jamais poderia namorar um filho de uma marmiteira quatro anos mais velho que ela. Durante esses nove anos foram surras, castigos, mentiras, fugas, tudo para poder estar com o amor de sua vida. Tão digna ela é que rolou até um aborto em meio a tudo isso, porque ela jamais queria dizer que meu pai estaria com ela por obrigação, pelo filho. Casaram-se quando ela já tinha 23 anos.
Dessa união, minha mãe teve quatro filhos, a minha irmã Natália, eu, Antônio José que nasceu morto e o Cauê. Aí então ela começou a se mostrar ainda mais uma mulher forte e maravilhosa que ela é. Além de já ter uma filha com uma deficiência rarissima, ela ainda engravidou do Antionio José, e mesmo ele morrendo ela engravidou pela quarta vez onde nasceu o Cauê.
Minha mãe foi e é até hoje uma Super Mãe, com tudo que ela passou comigo, indo em milhares de médicos pra descobrir o que eu tinha, lutando com todas as forças pra me manter viva enquanto os médicos diziam que eu tinha horas de vida apenas. Viajou o Brasil (Brasilia, Recife, Maceió, Botucatu) e o mundo para me ajudar. Só Deus sabe tudo que ela fez, as inuições maternas, e as milhares de vezes que ela foi chamada de louca por querer algo pra mim. Foi internada e tudo por querer apenas o melhor pra mim.
Eu posso dizer que ela é responsável por eu estar viva não por simplesmente me ter dado a vida, mas por me manter viva até hoje enquanto os médicos juravam que eu não chegaria completar um ano de vida. Eu não comia e ela me dava sopas,sucos, geléia de mocotó, casca de ovo em pó, ovo galado, remédios, oxgênio e ainda escrevia cartas para o exterior afim de encontrar um médico que pudesse descobrir o que eu tinha. Andou todas as lojas de adaptação pra encontrar cadeiras que me acomodassem bem, lutou por conseguir um carro que coubesse a cadeira e tudo mais que pudesse transformar a minha vida um pouco mais fácil.
Se hoje eu estou passando para o 4º ano da Faculdade de Jornalismo e sou quem eu sou, eu devo a muitas pessoas, anjos que passaram em minha vida durante todo esse tempo. Mas se não fosse a força que minha mãe sempre teve e a coragem dela de lutar por tudo aquilo que ela acreditiva ser o certo, eu não chegava nem na metade do percursso.
Minha mãe criou os três filhos muito bem (modestia parte), uma é médica, um quase biologo e eu quase jornalista. Me levou ao EUA duas vezes pra fazer a cadeira (que me deu liberdade, o que colaborou 90% pro meu desenvolvimento) e me tratar no melhor médico de genética, conhecido como O Papa da Genética, e tudo isso sem grana, porque ela perdeu toda a fortuna antes de casar com meu pai. Foi na base da humilhação, juntando latinha, fazendo o SOS IZABELA e ouvindo muita merda das pessoas, alguns da família inclusive.
Com todas as conquistas, tudo que ela já conseguiu com muita luta até hoje pra mim, ainda falta muita coisa. Não é questão de luxo não, ainda falta o esencial. E hoje minha mãe merece mais uma vez o meu aplauso porque…
O Governo Federal conta com uma lei de Isenção de Impostos como IPI, IOF, ICMS, e IPVA de automóveis para portadores de deficiência com carteira nacional habilitação. Porém este programa não inclui veículos utilitários e também não é direito para portadores de deficiência, impossibilitados de dirigir.
Os deficientes não habilitados, como tetraplégicos, deficiente mental, entre outros, só é isento do Imposto sobre produtos industrializados (IPI).
Diante disso, como precisamos trocar de carro porque a Kombi está muito ruim pra mim, pra minha mãe e pro meu pai por causa do desconforto ela está piorando muito as minhas dores e dos meus pais, minha mãe como já teve câncer de mama ela tem direito a tirar carro com desconto (mesmo assim não seria oq a gente realmente precisa) e pra isso ela precisaria tirar a carta de motorista novamente já que a dela nem vale mais. Acontece que ela não enxerga, mas mesmo assim ela foi corajosa e foi fazer tudo que deveria pra legalizar a documentação.
Hoje foi o dia do exame, e ela reprovou na baliza. Não enxerga e acabou derrubando o pau que marcava o lugar de estacionar. Agora só daqui um mês, pois é banca especial pra deficiente mas ela ficou tão decepcionada que resolveu não fazer mais nada. Faremos então todo o processo em nome do meu pai agora, alegando problemas no joelho.
Mesmo assim, eu continuo dizendo que ela é a melhor mãe do Universo, e que eu sou a filha mais orgulhosa do mundo.

* O texto não está bom como ela merece, nem tão detalhado como eu gostaria (são tantos desafios que torna a história muito complexa), mas eu precisava expor o orgulho que tenho de ser filha dessa Super Mulher, que é a base forte da família.

Sexo Banal

quarta-feira, dezembro 7th, 2005

O assunto que quero tratar eu nem sei ao certo como devo escrever, tanto que resolvi escrever o titulo por último e esse post só vai ao ar se realmente ficar bom, senão será mais um texto meu que ficara guardadinho mesmo. Mas tudo que passa na minha cabeça precisa ser transformado em caracteres, não tem jeito!
Estive notando e hoje tive um dia virtual bastante sexual. Calma, vou explicar direito isso. Não tive muito o que fazer e passei boa parte do meu dia aqui na internet, já cansada de pensar muito e sem paciência para ler coisas realmente interessantes, resolvi dar uma olhada no site Paparazzo afinal não sou de ferro e olhar uns gatinhos semi-nus é algo bastante divertido muitas vezes. Depois fui para uma realidade mais próxima e fucei os orkuts dos carinhas que eu pago um pau fudido, e obviamente que não sou santa, entre uma fotinho e outra vem aqueles pensamentos mais sujos, normal.
Depois que acabei com essa sessão do “ah se eu pudesse” em todo o Paparazzo (quase todo, e na parte masc.) e terminei o tour “ah se ele soubesse” no orkut, me acalmei e resolvi ouvir música quieta no meu cantinho. Eis que vem um amigo e manda um link com fotos da Playboy da Fê, completamente nua. Confesso que meu primeiro pensamento foi “daria minha mão pra ver a cara dele vendo essas fotos!”, mas vendo as fotos eu fiquei naquele pensamento de o que uma Playboy causa em um homem, e é loucura pensar tudo isso. A cabeça da mina que posou imaginando o que fazem os homens com sua Playboy, e a loucura de imaginar que geral te viu nuazinha….Loucura, loucura, loucura!!
Após toda essa filosofia que me fez perder quase uma hora, resolvi ir ver televisão, comer e passar gelou, estou com dores no ombro, no joelho e no pé, mas acho que é da gripe, isso não importa muito agora né?! Tudo bem. Depois de fazer tudo isso, conversei com uma amiga (FSR), depois brinquei com outra (Jô) e aí em um novo momento tédio, minhas filosofias eróticas voltaram e resolvi ver o blog da tal “Bruna Surfistinha”, desde que ela surgiu na mídia eu ando bastante preocupada, se pra ganhar fama você tinha que parecer uma prostituta ela fez ao pé da letra e foi uma!
Tudo bem, cada qual no seu lugar, mas não é muito louca essa história?! Sim, fiquei mais chocada ainda ao ler os posts dela e realmente achei algo muito diferente e louco pra mim, que levo uma vidinha normal e sonha com o principe encantado. Tá eu sei que tem de tudo, coisas que eu nem imagino, mas daí postar detalhes da transa no blog?! E a reputação desses caras, e a vergonha na cara, e o pudor e todo aquele respeito, realmente foi tudo por água baixo?! Devo dizer que sou virgem, isso não é nenhuma novidade, mas depois de uma boa lida que dei naquele blog, sei (tá eu já sabia, mas agora sei mais ainda!) direitinho como funciona e mais, já sei como enlouquecer um homem na cama!! Eis o Cama Sutra virtual e completamente atualizado.
Essas paradas são realmente sinistras e confesso que já nem sei o que pensar sobre toda essa banalização do sexo, amor e derivados. E o que mais me deixa assim, é que não existe censura, controle de nada que é colocado aí na internet e daqui amanhã serão as nossas crianças tomando esse tipo de coisa como um modelo de vida. Faço Jornalismo, amo escrever e não vou dizer que gosto de censura, mas é triste pensar que sem ela a coisa acabs fugindo do controle. Ah sei lá! Não quero que isso pareça preconceito, mas esse assunto daria muito o que falar, daria não?!
Deixa, enquanto isso eu fico aqui, sabendo dos meus amigos (e amigas) que praticam mais sexo virtual que o real, vou “conhecendo” toda essa tecnologia pra gozar hoje em dia, e tentando acreditar que ainda existe aquela coisa de quimica, de pele e de casamentos que dão certo. Pra quem pratica o popular Sexo Virtual, o blog dessa Bruna Surfistinha é uma grande fonte de informação, vale a pena.

Eu tô sim, e dai?!

quarta-feira, dezembro 7th, 2005

Sei que tudo ñ é pra sempre, e eu que detesto rotina confesso que agora estou começando a enxergar melhor a vida. Nem todo dia eu vou acordar como quem fosse a pessoa mais feliz do mundo, chegaria uma hora que essa felicidade plena cansaria, e ninguém é palhaço pra ficar rindo 24 horas por dia.
Não não, eu não estou triste, de verdade!! Nem teria motivos pra isso, e se eu procurasse eu até acharia desculpas pra choramingar, mas não que fosse um motivo, ainda mais comparado aos motivos que tenho pra sorrir. Mas hoje eu acordei baixa, sem motivo, sem nada, hoje tudo que eu queria mesmo é colinho, carinho e as pessoas a minha volta me fazendo feliz entende?! Não que todas elas já não façam pelo simples fato de existirem, mas hoje eu queria paparico mesmo, dá pra entender?!
Amanheci com dor de garganta, carente e morrendo de saudades!! Eu sinto uma saudade constante, crônica, de uma única pessoa, que eu acabo sempre remediando com outras coisas, pessoas, etc e tal….Últimamente tenho feito isso muito bem, até demais que venho notando grandes diferenças, mas hoje essa saudade está maior, está muito forte e a presença ta gigantesca. Ao mesmo tempo está tudo tão diferente do normal, do que eu já estava acostumada. É, tá tudo muito diferente pra mim mesmo. E, além do que, a saudade que amanheci hoje não foi única, estou com saudades da Dani, das minhas três Fê´s, do Rodrigo, Dalarte, Celly, e se eu continuar cultivando as lembranças e cozinhando esse sentimento a banho-maria, vão surgir milhares de outras saudades e esse vazio só vai crescer. Mas paro por aqui, só com o que estou realmente sentindo, sem começar fantasiar aumentando tudo isso. Melancolia saiu do meu dicionário, mesmo que isso sacrifique minha poesia. Eu prometi a mim mesma, não deixar esse vazio se alastrar.
Estou muito bem, eu só não acordei tão bem como eu estou nos últimos tempos, mas quando se está dodói a gente sempre fica assim mesmo, vira nenem e quer carinho. E hoje é assim que estou. Quero ser menininha cor-de-rosa, indefesa, frágil, falar tudo “elado” com voz baixinha e ser tratada como uma flor delicada.

Amanha (ou daqui a pouco mesmo!) eu juro que viro homem, chuto essa dor de garganta pra bem longe, como igual menino esfomiado e sexta vou pra Sampa ver revista de mulher pelada ok?!

Sou daqui e é tudo que tem aqui, que eu AMO!

terça-feira, dezembro 6th, 2005

Me orgulho demais em ser Brasileira, de nascer aqui nesse País tão bonito, abençoado e tão grande (o que ás vezes nem acho tão bom assim). Mas eu tenho orgulho mesmo é por ser um País tão rico de culturas. Temos tanta gente boa, tantos profissionais maravilhosos, isso sem contabilizar os que vivem no anonimato e os que ainda buscam o seu lugar ao Sol.
O artesanato Brasileiro é inigualavel. Cada arte que é feita com pano, madeira, palha, tinta, matérial reciclável e muito mais. Eu poderia citar uns exemplos, mas agora me foge da cabeça e eu tô com preguiça de pesquisar, mas é só assistir um Canal cultura, Canal Futura, GloboNews ou então algum canal Universitário que sempre mostra os valores do nosso País.
Quem me conhece sabe que esse é o assunto que mais me chama atenção, que me faria ficar horas debatendo sobre as nossas riquezas culturais. Na poesia, na música, dramaturgia, gastronomia, artesanato, enfim. Somos os mais ricos em termos de cultura e infelizmente muitas pessoas ainda preferem buscar em outros Países, não que eu tenha Xenofobia radical até porque devo muito aos Norte-Americanos (infelizmente), mas me deixa bastante puta que as pessoas preferem correr pra lá, ao criar técnicas de aperfeiçoamento aqui mesmo.
Um dia ainda vou realizar o meu maior sonho, de viajar o Brasil inteiro conhecendo as pessoas, os costumes, culturas e as comidas de cada cantinho dessa nossa terrinha. Esse é meu maior objetivo, além de fazer pós-graduação em Cultura Brasileira. Quero ter um programa de TV só disso, sobre a Cultura Brasileira, aliás, apesar de não ter, mas pelo o que eu leio o Canal Brasil é um canal que concretiza muito os meus ideais. Odeio politica, mas eu bem que adoraria trabalhar na Secretaria de Cultura de algum Estado, se possível, Rio de Janeiro, ou aqui em Santos mesmo.
Como de todas as culturas a que acaba tomando maior parte da minha vida é a música, eu acordei com uma dúvida (até ridicula, se tratando de uma futura jornalista), que é se existe uma rádio voltada a música Brasileira. Me revolto ao ligar o Rádio no carro e ficar pulando de estação para encontrar alguma música Brasileira. Se não tem, é uma grande falha e, eu já consigo até idealizar um projeto legal de uma radio Brasil. Divididos entre Pop, Rock, Funk, Bossa e aquela MPB de Maria Rita, Djavan, etc. Os anunciantes?! O máximo possível de empresas brasileiras!! Não sei c essa idéia já existe ou se é uma proposta impossível ou pior, se não existe público alvo o suficiente. Mas com certeza eu sou uma que seria fã assídua!
Diante de tudo isso, quero fazer um apelo ao Papai Noel, já que eu fui uma boa menina e ainda passei de ano com notas boas, comi muito legumes e tomei bastante suco natural; quero o DVD Ana & Jorge que está saindo agora quentinho no mercado. É um show muito bom que assisti com a Mah em Sampa, de Ana Carolina e o Seu Jorge. Eu desse dia em diante passei a virar fã do Seu Jorge e cada dia gosto mais. Esse DVD eu quero muito, aliás em matéria de DVD eu precisava fazer uma conta absurda de todos os DVDs que tô querendo: O Rappa, Coleção Chico Buarque, Nando Reis, Kid Abelha, nossa tem tantos que eu perco as horas viajando nas lojas virtuais com a quantidade de coisa boa que tá aí no mercado.

PS: Só pra constar, passei direto na faculdade. 2006 estou no 4º ano de Jornalismo, o temo não passa, ele corre!

Sem compromisso!

segunda-feira, dezembro 5th, 2005

Quero falar sem compromisso, estou oficialmente de férias e quero falar sem regras de português nem me preocupar com o público alvo. Hoje não tenho um público alvo, sou eu e meu coração falando ao vento.
Hoje eu quero dizer tudo que está entranhado aqui dentro da cabeça, que rouba meu tempo e minha concentração. Tudo isso que está transformando minha vida (pra melhor eu acho), e que ao mesmo tempo que me incentiva, me assusta demais onde tudo isso pode parar.
Além de tudo que vem mudando em todos os sentidos, desde o modo de levar a vida e os estudos (ta, td bem que tô de férias agora, mas mudei mt nos estudos!) até o ponto do coração; onde estão os amores, as amizades, toda a minha sentimentalidade. Isso ñ mudou, meus sentimentos ainda me guiam, mas acho que tô sabendo um pouco mais como não me fazer escrava do lado ruim disso tudo.
Estou m uma fase confusa da minha vida, as mudanças sempre são assim mesmo, bastante sentida e muito assustadora. Todo mundo que me conhece sabe bem a necessidade que tenho de ter o coração preenchido, eu presto demais atenção nesse assunto mesmo! E entre as tantas coisas que mudaram isso é uma das mais marcantes.
Tá tudo tão confuso na cabeça que nem sei se devo ou consigo transferir pro papel, mas o fato é que mudou. Não sei se o amor acabou, se o sentimento baixou mas realmente estou “ligada” em duas pessoas ao mesmo tempo. Não sei até onde isso vai chegar, mas prefiro desta vez seguir a risca a lei de ñ buscar explicação pra tudo, afinal o que é que mudaria?!
Um é um grande AMOR que sinto há um pouco mais de dois anos. Um sentimento complicado, que me trouxe muitos problemas mas que me fez amadurecer e colaborou muiiiito pra pessoa que me tornei hoje. Muitas histórias, muitas alegrias, emoções, intimidade e carinho, e a drástica perda desses dois elementos. Hoje ñ busco mais solução, culpados nem explicaçoes. Vivo com o que é me dado e com o que posso oferecer. Arrisco dizer que a nossa relação (de amizade) mais madura, como se ambos soubessem o que está nas entrelinhas, cada qual decifrando como convém.
De outro lado foi surgindo assim inexperadamente um outro alguém, alguém que já estava alí ha algum tempo e foi sem aviso entrando cada vez mais na minha vida e quando me dou conta está lá, me fazendo dar um giro na vida sem entender o que o destino me guarda. Nada sério, nada nítido e tudo muito reservado. Ninguém sabe, quase ninguém sabe, mas já me pego pensando, lembrando, me inspirando e vasculhando seu mundo.
Ao contrario de antes, desta vez não venho entender meu coração. Estou pondo algo que se passa em minha cabeça, algo que pensei hoje e que em muitos pontos me deixou feliz, e em outros me assustou pra caramba!

Uma hora talvez eu continue neste assunto, bateu sono e eu sou obediente à minha cama!

Neste caso é…De verdade verdadeira!!

domingo, dezembro 4th, 2005

Muitas vezes sumiço pode significar falta de assunto, palavras engasgadas, presas e proibidas. O silencio pode ser na verdade um choro baixinho no escuro do quarto.
Neste caso não, neste caso as palavras estão sendo usadas de outra forma, estão pelo ar pra quem tiver afim de ouvir. Está tudo nos meus olhinhos sorridentes, no coração que bate forte e nas músicas que trilham minha vida. Nesse caso a ausencia é um bom sinal, é perdoável, bom e deve ser estimulado!!
Abri a porta, saí do quarto escuro e tudo mudou. Nem durante a noite ele volta a ficar escuro. Tá bom assim, tá muito bom. A janela tá aberta e a luz do Sol tá entrando. Não é por uma frestinha não, a janela tá escancarada, o quarto iluminado e eu clareando minhas idéias. Estão bem claras, na verdade. Mas eu quero mais, eu sempre quero mais. Sempre vou querer mais quando for bom! Todo dia, toda hora, tudo melhora! Cansei de neurose (por enquanto). Será que tem alguma coisa a ver com a proximidade das festas de final de ano? Pode ser, eu sempre fico mais feliz nessa época.

O legal da minha felicidade é que não preciso ficar buscando, ela está sempre dentro de mim!

CHA-TA!

quinta-feira, dezembro 1st, 2005

Bom de mim é que sei assumir! Hoje tô assim, chata, chorona e carente. Não me desobedeça, não me contrarie, não me maltrate (nem de brincadeira!!), não me faça chorar mais do que já estou chorando. Acordei assim, não chorando com os olhos, mas chorando fácil, de tudo, por tudo. Chorei por dentro e por fora.
Eu chorei de saudades de ser criança e jogar a comida ruim da escola na privada, de brincar de casinha, de escolinha e de fazer o batizado das bonecas. Deu saudades também, dos bailinhos, dos bilhetinhos, as cartas, os amigos, a copa do mundo, a cantoria perto da lareira, o monstro no galinheiro e de me perder perto do lago. Eu revirei o baú da saudade e vi também o Clube da Pesada, o namorinho bobo, a pulseira de presente, a casa de atibaia e a viagem pro Paraiso do Sol. Eu vi tanta coisa que nem daria pra descrever, mas por cima estava o LS Jack, a vodka, fotos de webcam com recadinhos lindos, das maratonas de show de Sandy & Junior, o YMCA, um olhar, os VMBs, as conversas na madrugada e muito mais….
Hoje eu quero carinho, demonstrações de amor, palavras bonitinhas assim meio sem querer. Quero amigos e um abraço bem apertado (se possível vários, mil, milhoes!). Um beijo no rosto como aquele de domingo passado, demorado e com amor. Sentir -me importante e ser importante de verdade. É pedir muito?! Desculpa mas eu preciso disso tudo uma vez por mês, tá entendendo?! Preciso de mais, mas isso já é muito, já me faz a pessoa mais feliz que eu sou!
Se não entendeu eu desenho:

Eu estou carente por motivos óbvios e quero carinho e atenção!!!

Isso vai passar antes do previsto, disso eu tenho certeza.