Archive for janeiro, 2006

Tô mesmo!

terça-feira, janeiro 31st, 2006

Desde que cheguei do RJ estou assim mesmo, folgada e sem vontade sequer de atender um telefonema, muito menos responder perguntinhas complicadas. Exaustão, conhece?! Pois é, tô com ela e misturada com aquela coisinha mensal, chata pacas!! Mas além de tudo isso, e das coisinhas do post anterior, eu acordei legal pra caramba hj. Estou com vontade de começar logo a faculdade e ver meu TCC começar a dar os primeiros passinhos! Apesar de pra mim o tema não ser tão exitante, a forma com que será feito (TV) é uma area que me dá um puta tesão, então não vejo a hora de produzir, filmar!! Taí um stress que eu “gosto” de ter. Esse ano promete voar, o que de certa forma é bom, porque janeiro de 2007 também promete altos acontecimentos!!!
Exatamente assim que acordei hoje, vontade de viver e de fazer acontecer! É muito bom quando criamos metas, isso nos dá um gáz muito foda pra fazer o que se deve ser feito e chegar logo onde se almeja! No momento quero me dedicar a viver 2006 com toda a atenção que ele merecer, andar conforme o ritmo que me for cobrado, e terminar legal, com tudo que deve ser feito. 2007 ainda está longe mas já tenho objetivos pra lá, mas pra que eu possa chegar lá e começar uma nova batalha, eu preciso viver o hoje e vencer essa que está na minha frente, em cima da mesa olhando pra mim.
Mas então, essa noite eu fui dormir e lembrei de uma conversa que tive com o Dalarte sobre objetivos e batalhar pelo que se quer, e aí a gente conversa e acaba dando conselhos para as pessoas que na verdade quem deveria ouvir era nós mesmos. E um deles foi esse de seguir o tempo que for necessario pra atingir os objetivos. Não querer tudo pro mesmo dia, muito menos achar que muito devagar se alcança. Não! O tempo decidirá o tempo certo pra tudo acontecer. Vamos aqui fazendo nossa parte, começando onde paramos sem desistir, que um belo dia podemos olhar no espelho e ver nos olhos os sonhos que já se foi alcançado, e os sonhos novos que sempre estarão brotando. Nuh! Falei biiito agorra hein?!
A mensagem e a decisão desse post é essa, de que infelizmente tem coisas acontecendo mas que se eu não posso resolver, eu vou levando e evitando que isso cresça e cause um prejuizo emocional desnecessário. Minha parte eu vou tentando fazer o mais certo possível (mesmo que pra uns seja errado) e vou me levantando todo dia como quem ganha uma nova chance de consertar os erros, passar os obstáculos e conquistar os objetivos.

Tempo de reflexão
Acalmar ânimos… desenvolver a paciência…
Tempo de preparação…
Focar objetivos… metas…
Tempo de abastecimento…
Reunir forças e seguir no caminho…
… encontrando meu tempo
… vou pegar o meu trem.

Eu sinto muito!!

domingo, janeiro 29th, 2006

Eu sinto muito. Eu estou sentindo muito que as coisas tenham de ser assim tão complicadas e machucar tanto as pessoas. Sinto muito a ausencia da minha sobrinha linda e aqueles seus olhos grandes e a força que fazia em meus cabelos. O sorriso gostoso iluminando o dia independente de meu coração muitas vezes estar no escuro, por coisas tão banais.
Eu sinto muito a falta de poder curtir todo o crescimento dela, que tem meu sangue e é tão linda. Eu sinto muito que as pessoas queiram que seja assim, na forma chata e dolorida que os dos adultos tem para resolverem tudo. Seria tão mais fácil se tudo que falam, fizessem na prática, mas geralmente fazemos o que não falamos e falamos o que não fazemos. Tudo as avessas, assim como eu sinto hoje o meu coração; as avessas de tanta saudade e tantas perguntas.
Não, apesar do amor ser grande, a saudade sufocante e a dor me causar um certo enjoo, eu não posso abaixar a cabeça para as loucuras humanas. Eu fui ofendida e por respeito (não chamaria de rancor) a mim e aos meus pais, eu escrevo pra não jogar tudo pro alto e me humulhar e acabar fazendo com que as pessoas não aprendam a viver de verdade. Mentira! No momento em que me encontro, só não vou atras para não causar maiores confusões.

Confusa
Machucada
Com muitas, muitas, muitas saudades!!

Eu sinto muito.

Tudo passa, tudo sempre passará…

sexta-feira, janeiro 27th, 2006

Pois é, o Lulu Santos já dizia que a vida era como o mar. As ondas vem e vão e tudo passa em um segundo. Verdade!! Não vou com a cara dele, mas muitas coisas do que ele diz é bem verdade, e eu me identifico em várias de suas músicas.
Óbviamente que não vim aqui pra babar o ovo do Lulu Santos, até porque ele nem precisa muito da minha opinião, mas vim pra dizer mais ou menos isso. A onda passou mais uma vez e as coisas mudaram, pelo menos aparentemente devo devo dizer que até melhorou. E, isso só faz verdade aquela filosofia meio fria e egoista de dizer que; não tem porque se descabelar por um problema se mais cedo ou mais tarde ele vai passar de qualquer jeito.
Se esse meu “novo jeito de ser” está certo ou errado eu realmente não sei, aliás acho que não existe certo e errado modo de viver, mas de fato está trazendo resultados favoráveis pro meu estado de espirito. Obrigada O Rappa, Erikitcha e até mesmo o pentelho do Lulu Santos, por abrirem essa janelinha pra mim. E, “…se eles matam os bichos, eu tomo banho de mar…”, deu pra entender?!
No mais é isso aí mesmo, vivendo um dia por vez e está tudo certo!! Vou muito bem, obrigada!!

Como ninguém é de ferro, eu tô bem sequinha sim, mas tem gente me apresentando músicas e me forçando a postá-la, e vai sem explicação mesmo, nem precisa e nem tem porque!
Valeu Nay!!!

Eu Não Preciso De Você

by Vinicius Serpa

Eu não quis te conhecer
Nem ao menos procurei
Agora só penso em você
E você não quer me ver

Eu não vou mais te esperar
A minha vida eu vou mudar
Eu não vou mais me aborrecer
Eu não preciso de você

Eu tentei te esquecer
Mas quanto mais eu tento, mais eu lembro de você
Seus retratos eu rasguei
Mesmo assim amo você

Eu não vou mais te esperar
A minha vida eu vou mudar
Eu não vou mais me aborrecer
Eu não preciso de você

** Bobinha né?! Mas tem uma estrofe aí que diz….HAHAHA

Coisas da vida mesmo!

quinta-feira, janeiro 26th, 2006

Pois é então…Eu tinha prometido pra mim mesma, e tava até fazendo involuntariamente, não escrever mais as coisas chatas que ocorrem comigo, por aqui em casa. Mas tem certas coisas inevitaveis e que e não exponho eu guardo no coração e aí a coisa é pior.
Tô aqui fazendo maior banho maria pois perdi a melancolia e a emoção de escrever sobre os desatres de uma vida privada. Mas não, não se trata de um coração sangrando por outro fechado. A coisa é pior, ao meu ver, e em fração de segundos vi minha infancia todinha ali na minha frente e eu com o coração disparado, as lágrimas escorrendo, pedia por calma e cuidado.
Meus pais brigaram e eu sei muito bem que esse tipo de coisa “faz parte”, do mesmo modo que sei que o coração disprado, o medo e a sensação de impotencia também faz parte do jogo. Mas falando claro?! Foi foda!! E foi foda porque me vi misturada em criança, filha e mulher. Essa ultima categoria ainda é novidade pra mim, ainda me assusta ver os meus pais brigando e entender a coisa de forma mais adulta, entender as cobranças, as reclamações…E, em meio a isso meu lado filha e criança fica apavorado pedindo por amor e paz, com medo de que dessa vez os laços sejam cortados de verdade, mesmo com o meu lado mulher achando que essa seria a melhor solução.
Resumindo de forma informal e mais crua e direta; fazia tempo que minha mãe se queixava do meu pai e dessa vez ela resolveu expressar isso da pior forma possível. Como se não bastasse a briga verbal entre os dois, que pra mim já é grave pra caralho, rolou ainda muitos tapas, socos e até uma tentativa mais séria de acabar um com o outro, e quase me acertando ainda por cima. Foi triste, foi muito feio e eu realmente entrei em panico de ver tal situação que eu não via desde criança, principalmente por desta vez eu estar sozinha com os dois em casa. Se pelo menos o Cauê não tivesse saido e a Nat não morasse tão longe…
Acabou que eu com minha pouca locomoção, aproveitei a sorte de estar de frente pro PC e me preparei pra mandar torpedos pra geral pedindo um help caso fosse necessário. E ainda mais sortuda de tudo, tenho amigas lindas como Erikitcha e Anne, que deixaram de ir dormir pra ficar me acalmando e segurando a barra comigo pelo MSN. O que foi ótimo, assim como ñ consigo telefonar sozinha, com elas ali bastaria apenas digitar o número e pedir que ligassem, isso caso precisasse, mas não precisou, graças a Deus. Logo me distrai com elas, e meus pais finalmente durmiram.

Espero que esse sono acalme os corações e ambos acordem em paz!

20 dias no meu lugar!

quarta-feira, janeiro 25th, 2006

Já venho tentando criar esse post desde qe cheguei, tudo bem que nem faz tanto tempo assim que cheguei, mas sabe como é, eu gostaria de ter um lap top porque escrever me fez muita falta durante esses 20 dias. Mas então, eu não escrevi antes por um bom motivo; pessoas querendo teclar comigo e até uma visita inesperada da Julipane aqui em casa (foda que foi bem no dia seguinte que cheguei!), o que é um bom sinal, pior seria se eu tivesse solidão o suficiente pra fazer varios posts. Ou seja, nada a reclamar e só a agradecer!!

Que eu gosto do Rio de Janeiro e que tenho como objetivo construir minha vida por lá, é novidade para poucos e essa certeza cresce cada vez mais para mim quando eu vou pra lá. Tudo bem que eu ouço milhares de vezes que passear é diferente de viver em um lugar. Rebato, e digo que eu consigo me imaginar perfeitamente com meus trecos (cama, pc, etc e tal) lá no RJ e levando uma vidinha arroz e feijão como levo aqui, com uma diferença bastante relevante ao meu ver; lá eu teria programações interessantes nos feriados (shows, teatros, praia) e um campo de trabalho muito maior que uma vilazinha como Santos. Desculpa se sonho grande e almejo morar na Capital do Brasil.
Mas enfim, isso tudo pra dizer que só o fato do cenário ter sido o RJ, já seria o bastante pra dizer que minhas férias foram ótimas. Acrescentando que matei a saudade da irmazinha Natália, a Tenente mais linda do mundo, estava com meus pais, a Cindy, com Fê e com Vivi; já bastava pra ser inesquecível. E teve mais (ou ñ), Patty e Mayra ajudaram sim, a escrever essa história de 20 dias na Cidade Maravilhosa. Principalmente levando em conta que tudo vale a pena quando a alma não é pequena, não era o que dizia o poeta?!
Foi bom, não, na verdade foi ótimo. Pra uma convivencia de 6 mulheres (sem contar D. Cindy) na mesma casa durante 20 dias, eu diria que foi até um milagre. Aprendi muito.
Aprendi que agora só quero ver homem na frente, chega de maquiagem, seios, piriquitas, calcinhas, sutiens e toda essa parafernalha feminina, na minha frente! Quero um pinto, fui clara?! E grossa tbm né?! Mas precisava desabafar essa minha intoxicação.
Aprendi a cada vez mais ser independente, principalmente quando quero fazer muito alguma coisa. Ninguém é obrigado fazer nada pra ninguém, fazemos em respeito, amor, carinho e compaixão, se nada disso existe, então o lance é cada um por si e pronto.
Me aprimorei na questão Amizade Verdadeira. Vi o quanto ela existe e como é linda! Vi que amigos de verdade dizem eu te amo mesmo durante uma briga brava e monte de lágrimas. Vi isso diversas vezes.
Aprendi que sou amada e gostei disso. Que minhas amigas servem pra tudo, inclusive me dar banho, passar protetor solar, trocar minha roupa, me dar leite, me carregar no colo e tudo mais que elas puderem.
Aprendi que falsidade e interesses tbm existem e isso pode nos enganar muito bem, mas ainda bem que eu saco isso muito antes e fácil quanto as pessoas possam imaginar. Sou mais esperta que posso parecer.
Aprendi tanta coisa que eu tenho a certeza de que voltei dessa viagem mais segura e consciente do que eu já estava. Aprendi o verdadeiro sentido da frase “O Sábio cala, o Inteligente fala e o Ignorante grita”
No mais foi tudo muito bom, eu curti muito a praia, principalmente a praia da macumba que é uma meio isolada e tem uma paisagem bem bonita…. Gosto mto da parte ainda preservada do RJ….Lá não tem quase turista nem farofeiro.
Fui no show lá no RioCentro. Foi um 3 em 1 né…Jota Quest, Ivete e O Rappa. Assisti do Palco, de graça e ainda fiquei livre pelos camarins. Encontrei os que cantaram, além de Deborah Secco, Wagner Santisteban, Joana sei lá oq (Jaque da Malhação) e o Felipe Dylon. Cheguei 22h lá e sai as 4h30 e fomos no Mac Donald´s. Comemos vendo o dia raiar e cheguei em casa 06h. Muuuuito bom!!
Fui duas vezes no funk de elite lá no Hard Rock Café, onde quem tocava era o DJ Malboro, que aliás me chamou no palco pra tirar foto, e fui num domingo que era roda de samba ao vivo na parte externa do Hard Rock Café, que eles chamam de terraço.Começava18h e era com o pôr do sol.Bem gostoso, pena que mais tarde começou rolar Tecnera e eu não suportei, fui embora e abandonei as meninas lá….
Além disso rolou shopping, cinema, barzinho com música ao vivo, mac donald´s (não comi viu?!), quiosque na praia…E fora a piscina, sessão DVD com pipoca (Roupa Nova, Frota (pornô), Sr. e Sra. Smith, Os Filhos de Francisco e outro não lembro o nome), além de ficar andando pelo condominio, as escapadinhas na internet, ficar conversando no Hall do prédio, etc…

Muuuuuito bom, no decorrer dos posts se eu lembrar algo eu vou postando!!!

2006

domingo, janeiro 1st, 2006

2006 chegou e eu acordei com uma sensação que já estou bastante acostumada, cólica e vontade de cagar. É, nessas horas que eu vejo que o fato de mudar o ano não significa muita coisa, já que eu acordei com aquela mesma rotina de sempre.
A diferença?!
Bom, a diferença foi abrir o olho e ver minha amiga Vivi dormindo toda bonita, e a lembrança de ter recebido grandes amigos em casa, ligado pra alguns e recebido telefonema de outros. Só isso. Se isso significa mudar o ano, eu proponho uma “virada mensal”, afinal eu que “nem” gosto de festa, ia adorar uma festinha todo mês, já pensou?! Delícia!
Ah, isso não é um discurso pessimista, pelo contrário, é um discurso de quem acredita que todo dia é dada uma nova chance de vc fazer o que vc não fez, de ser feliz e mostrar para as pessoas que vc ama o quanto elas são especiais. Parece um velho clichê, mas eu realmente acredito na comunicação e se existe tanta gente fazendo maldade, porque não seguir o poema “Só de Sacanagem” e como propósta desse ano “Só de Sacanagem” a gente amar mais, acreditar mais, se declarar mais, ser mais sincero, mais honesto, mais ético e tal?!
Mas enfim, minha virada de ano foi exatmente como eu já imaginava; antes da meia-noite rolou aquela bagunça como no Natal, vindo todas as pessoas aqui começando desde as 15h com a Fê e Bronx e a noite com Tia Beth, Tia Marga, Tia Sú, Renato, Mauro, Ana, Andréia, Tio Sid, Mah, Mariana, Tia Cristina e Pádua. Todos vieram desejar um bom ano pra minha família, outros ligaram, e alguns me deram recados lindos pela internet. A meia-noite passei com as pessoas mais importantes da minha vida; Meus pais, Cauê e a Cindy, a Nat num tava em Santos mas ela tá comigo sempre e tenho certeza que estamos sempre com ela seja onde for.
Foi engralçado que a gente só fez uma única simpatica que gerou muitas risadas. Nós quatro fomos no quintal e mostramos a bunda pro céu, já que a Fernanda Paes Leme disse que fez isso e, bom pra ela deu certo né?! Então como não temos nada a perder, fomos lá e arreiamos as calças e choramos de rir!!
Depois quando já eram umas 0h30 a Vivi chegou, o Cauê saiu pra bagunçar na praia, minha mãe foi pra festa na amiga dela e eu fiquei aqui, de papo com a Vivi e só mostrou o quanto eu sem querer acabo acertando os meus atos. Quando liguei pra um amigo e vi o clima, eu suspirei aliviado como de quem sabe que Deus sabe exatamente o que faz. Não que meu reveillon foi ruim, loooonge disso, mas foi ótimo pra mim, exatamente como eu gosto, calminho, com pessoas que eu amo e só.

É isso aí, temos mais de 365 novas oportunidades de ser feliz e de tentar acertar, então bora fazer isso, porque como eu digo :

“Nós somos aquilo que queremos ser, e não aquilo que merecemos, só é preciso saber querer!”

PS: Falto a minha Luazinha pra iluminar ainda mais meu céu, mas eu prefiro acreditar que tudo tem um motivo e que mais edo ou mais tarde tudo volta pro seu lugar.