Archive for outubro, 2006

Saber a hora errada.

quarta-feira, outubro 18th, 2006

É incrível como eu sou capaz de fazer as coisas nas horas mais erradas do mundo. Quando o circo pega fogo eu sento e choro, e quando tudo parece que começa acalmar eu explodo e fode tudo denovo.

É bom não discutir.
É bom, também não se irritar.
A irritação confunde o nosso raciocínio.
Quando a nossa opinião estiver divergindo da de outras pessoas, devemos analisar e tomar uma simples decisão: Mudar ou não de opinião. Só isso.
Não precisamos discutir ou irritarmos.
É certo que o confronto de idéias é importante para a formação de novos conceitos e solidificar os que já existem, mas desde que esse confronto se dê de forma civilizada e fundada em provas inequívocas. Como as verdades são relativas em função do momento, melhor é não forçar as coisas.
No início, deixar para lá uma discussão, pode parecer difícil, mas depois de um tempo acabamos nos acostumando.
Relaxe!
Sábio é aquele que não discute. É aquele que pensa, observa e faz os outros pensarem.

Pois é… Às vezes eu acho que aprendi, e outras tenho certeza que não.

Ei!

terça-feira, outubro 17th, 2006

– Ei, psiu, como é que você me vê? Estou tentando descobrir quem eu sou aí fora, aí onde você está. Ei, você! É, você mesmo! Gostaria de saber como é a visão fora de mim, essa visão aí que você tem quando me olha. Custa me dizer? Talvez assim, sabendo como você me vê, eu possa descobrir quem eu sou aqui dentro, aqui onde só vejo você.

Experiência consciente.

segunda-feira, outubro 16th, 2006

Eu, como deficiente física e com deformidades no corpo, já passei por experiências no mínimo interessantes, que em breve serão algumas divulgadas por aí, se tudo der certo. Essa é na verdade uma coisa que pra mim já passa despercebida no dia a dia.

Mas hoje, com uma maturidade que já conquistei aos 25 anos e feeling jornalístico, eu aproveitei a ida da minha prima ao banheiro do shopping na cidade onde moro, e parada bem de frente para a porta do banheiro feminino e masculino comecei a reparar em cada pessoa que saia e dava de cara comigo. Ninguém comentou nada, nem mesmo um boa noite por educação, e nem precisava mesmo, porque com os olhares, caras e bocas, eu podia ter certeza do que as pessoas pensavam ao me ver.

– “Coitada!”
– “Meu Deus! Que isso!”
– “Ai, tadinha…”
– “Nossa! Que será isso?!”
– “Ai credo, Deus me livre!”

Dando destaque a uma gordinha desengonçada de cabelo ruim que me olhou com cara de “e eu ainda reclamo…”, foram essas as caras das menininhas e mulheres que saíram do banheiro de cabelo arrumado e maquiagem retocada.

Isso me fez pensar um pouco mais na futilidade do banheiro publico feminino. Ao invés de entrar, fazer as necessidades, se higienizar e sair, as mulheres se produzem, passam tempos no espelho arrumando cabelo, maquiagem e se comparando com a moça ao lado que divide o mesmo espelho e a mesma pia com elas.

Balanço da experiência?! Cada vez mais eu prefiro o sexo masculino, além de serem rápidos no banheiro e não te deixarem tanto tempo esperando a ponto de você resolver fazer uma experiência como essas, de todos que saíram e deram de cara comigo, a porcentagem dos que me olharam com cara de estranheza é insignificante quando comparado às mulheres.

Amor antigo….

sexta-feira, outubro 13th, 2006

Já fazia algum tempo que eu o conhecia de vista, eu ainda era criança e foi minha mãe que apresentou. Na verdade eu sempre simpatizei bastante, mas nunca me dediquei a conhecer como deveria. E foi esse ano, há alguns meses que a paixão tomou conta e tudo começou a conspirar a favor desse amor.

É minha atual paixão de anos atrás, e que agora vivo intensamente e sou muito feliz por isso. Cada vez que conheço mais, aumenta a minha admiração. Admiro a família, a história e todos os seus amigos. O caso perfeito que, assim como muitos, tem tudo pra ser pra sempre!

Sua voz eu acho uma delicia e fecho os olhos pra ouvir. A canção me acalma o coração e dá uma felicidade gostosa de estar viva e me dá um orgulho imenso por saber que me pertence, e pertence ao mundo e ao País que eu moro.

Ele é maduro, tem 40 anos, mas tem um ar de menino travesso e um sorriso maroto. Seu nome é Antônio Pecci Filho, mas sua mãe começou a chamar, e agora todos o chamam carinhosamente de Toquinho.

Pois é, esse é o som que tem feito os meus ouvidos. Já marcou minha infância, e agora volta com mais propriedade marcando mais uma fase importante da minha vida.

Dica: Ouça Mosaico, dele.

One tree Hill…

quarta-feira, outubro 11th, 2006

Nesse momento há 6 bilhões, 470 milhões, 818 mil, 671 pessoas no mundo
algumas estão fugindo assustadas.
algumas estão voltando pra casa.
algumas dizem mentiras pra suportar o dia.
outras estão somente agora enfrentando a verdade.
alguns são maus indo contra o bem.
e alguns são bons lutando contra o mal.
seis bilhões de pessoas no mundo,
seis bilhões de almas…
e ás vezes tudo que nós precisamos é apenas uma!

Falta de assunto…

terça-feira, outubro 10th, 2006

De repente, sem nem um oi…

Ela diz:
caralhow!! mto sono
Izabela diz:
ué, durma!
Ela diz:
em poucos minutos…
Izabela diz:
aff
Ela diz:
ta fodaaaa
Ela diz:
bom, vou tentar deitar de novo
Ela diz:
bju iza

Cúmulos #1

segunda-feira, outubro 9th, 2006

Cúmulo do esquecimento é faltar e esquecer que tinha prova no dia.

Assuntos do meu interesse

domingo, outubro 8th, 2006

Tem um bucado de coisa que a gente gostaria de debater e se dedicar um pouco mais, mas por compromissos ou pelo próprio cotidiano, acaba não tendo oportunidade de participar como gostaria. E eu, particularmente, tenho várias coisas que me interessam bastante e eu gostaria de ter um tempo só pra isso; a música, cultura, arte, mas por falta de tempo e oportunidade, acabo deixando pra depois e não me dedicando como gostaria.

Uma das coisas é poder debater e participar mais de movimentos que discutem sobre o conteúdo que passa na televisão Brasileira. Tudo que envolva esse assunto, muito me interessa e, é por isso que acho indispensável que todo publicitário deveria ter um curso de Jornalismo, ou então como era antigamente que os cursos eram juntos e só nos dois últimos anos que separava para especificar.

Enfim, estou com pouca concentração para um post mais bem estruturado. Mas basicamente é isso, li um artigo sobre Dia Nacional Contra Baixaria na TV e pensei sobre essa idéia e/ou vontade que tenho de poder me aprofundar mais em certos assuntos e que mais pessoas tivessem pelo menos um pouco desse interesse.

Sorte ou Azar

domingo, outubro 8th, 2006

Pois é, a gente sempre quer ganhar na loto, ficar rico, ganhar prêmios, mas nunca joga pra ver se realmente ganha. Dentre tantas coisas pra ser sorteada, eu não joguei (e não me inscrevi) em nada, mas fui sorteada para…

… Fazer o provão, o tal do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) para o curso de Jornalismo.

Agora vamos ver como vai ser! Mas em todo caso, é isso que eu chamo de Sooooooooorte! E isso porque eu prefiro nem citar a data da prova.

Vinicius de Moraes – O Haver

sábado, outubro 7th, 2006

Tem coisas que só o Brasil pode ter…

Resta esse sentimento de infância subitamente desentranhado de pequenos absurdos,
Essa tola capacidade de rir à toa,
Esse ridículo desejo de ser útil
E essa coragem para comprometer-se sem necessidade.

Resta essa distração, essa disponibilidade, essa vagueza
De quem sabe que tudo já foi como será no vir-a-ser
E ao mesmo tempo essa vontade de servir, essa
Contemporaneidade com o amanhã dos que não tiveram ontem nem hoje.

Como diria Cazuza “Meus heróis morreram de overdose…”