Archive for maio, 2007

Ele é só um cara…

quinta-feira, maio 31st, 2007

“Ele é só um cara…

É só um cara. Não o denso lago de mistérios gozosos onde você mergulhou e ainda não submergiu. Nem o sustentáculo de todos os ossos de seu corpo, tampouco o mármore onde está gravada a suprema razão de sua existência. É só um cara.

E quer mesmo saber? É um cara como todos os outros caras.

Esse que te perguntou as horas no meio da rua – podia ter sido ele e você nem ligou. O mendigo, o ginecologista, o padre, o dealer. Ele estava ali o tempo todo. E ele não estava. Ele é só um deles. Vários. Uma legião. E ninguém.

É só um cara. E não a sua vida. E não todos os dias da sua história. E não todas as suas lágrimas juntas em um único sábado solitário. Ele não é o destino. É um cara. Existem muitos destinos.

Ele é só um cara que mal sabe escolher os próprios perfumes. Não sabe sangrar. Não sabe que nome daria a um filho. Não pode ficar mais tempo. Ele é só um cara perdido como muitos outros caras que você encontrou. E perdeu.

Ele é só um cara. E você já esqueceu outros caras antes.”

[Priscila Barreto]

Outro jeito de sentir…

quinta-feira, maio 24th, 2007

As coisas andam muito diferentes dentro de mim. Hoje todo aquele sentimento bonito e mágico do amor não existe mais, pelo menos não de forma tão bonita e surreal como era da outra vez. Em contra partida as coisas agora são muito mais de verdade, mais concreto, maduro, duro e real.

Quando antigamente eu suspirava por olhos de estrelas e me deixava carregar por momentos mágicos de palavras bonitas, olhares que paravam o tempo e vivia histórias de inspirar qualquer autor de novela. Hoje não existe nenhuma história bonitinha e nenhum momento mágico que os sinos tocaram para dar trilha a um acontecimento. Hoje não existe “a nossa música”, “o nosso momento” e sequer somos “nós”.

O que acontece é claro, pode parecer duro e cruel, mas é uma verdade que não engana, que não deslumbra e nem ilude. Desde o inicio as coisas foram tratadas com tanta naturalidade, é tanto o preto no branco e vice versa que as palavras não ficam subentendidas dando margens a nada.

Isso tudo faz as coisas ficarem tão mais fáceis e mais óbvias e tão mais verdadeiras. Sem gestos bonitos pra agradar com demagogia, sem charadinhas ou coisas engolidas pra não magoar ninguém. É tão bom quando não se tem frescuras, nem cuidados desnecessários, quando não se tem pena e cenas ensaiadas, quando o que se preza é o respeito. Ah o respeito é tudo, quando se aprende a dar e receber ele é mesmo uma das melhores coisas do mundo.

Por essas e outras não espere mais aqueles textinhos bonitos e tão sofridos, tão molhados e românticos. Não espere nada disso, não queira se inspirar por aqui, pois neste espaço agora só existe uma mulher mais madura do que nunca e que tem um sentimento simples por um homem que ela adora, mas sabe que ele está longe de ser príncipe, perfeito e de lhe dar uma vida de rainha, até porque na verdade nem é isso que ela quer dele.

Querido diário …

quarta-feira, maio 23rd, 2007

Ahhh tava pensando em algo interessante pra postar aqui, alguma forma de contar os últimos acontecimentos da minha vida de forma mais informal, e aí lembrei de um e-mail que escrevi pra uns amigos (Vivi e Rodrigo) e resolvi fazer as dvidas adaptações e postar aqui…

Fica mais fácil porque dá menos trabalho, a forma que escrevi tá bem natural e já me ajuda a por em dia esse espacinho aqui, que além das opiniões sobre os acontecimentos na música, na cultura ou em alguma notícia, também quero, em devidas proporções, deixar registrado sim alguns dos acontecimentos da minha vida pra poder recordar, viver e aprender!

* * * * * * * *

Bom novidades tem muitas e ao mesmo tempo quase nada que seja assim CHOCANTE, mas isso de certa forma é bom, mostra que está tudo nos conformes.

No meu aniversário [05/05] eu fui pra SP ver O Teatro Mágico e tentar encontrar com alguns amigos de lá como; o Caco, Dalarte, Marisa e Daiane… Mas a verdade é que mais do que nunca, eu já desisti de tudo que seja dia 05/05. Geralmente ñ sai como eu quero. Ou então no dia 05/05 eu nunca estou 100% feliz, estou sempre com nó na garganta pra chorar e acabo não me contentando com as coisas, por melhor que elas sejam.

Aconteceu que eu tinha pretenção de ir umas 14h pra passar bastante tempo com o povo de SP, mas aí eu já tinha combinado da Cláudia ir comigo e eu queria muito estar com ela no meu aniversário, aliás queria estar com o máximo de gente que eu amo possível mas de Santos ela foi a única que se propos a ir comigo.

A pena é que ela tem aula de teatro daí só conseguiu sair as 17h do aula, mesmo assim saiu na metade, e eu acabei chegando em São Paulo umas 19h30… Só pra hora do show mesmo. E acabou que vi o Caco, a Daia e o Dalarte menos de 5 minutos. Porque pra piorar ainda mais a situação, eles ñ puderam entrar na parte VIP, e daí resolveram ir embora…

Foi muuuuito bom em relação ao show, apesar que o show costuma ser quase três horas e foi apenas uma hora e isso foi bem triste. Mas sem contar com essa do show ter sido só um terço, valeu porque o Fernando foi suuper fofo comigo, me abraçou, deu parabéns e tal… Depois do show eu ainda fiquei uns 40 minutos por lá, tirei foto e conversei com cada um da banda… E eles estavam muuuito emocionados porque tinha 40 mil pessoas assistindo o show…Enfim nesse quisito foi realmente óóótimo….

Depois do show reencontrei com a Marisa que foi a única que ñ foi embora, ela foi assistir outro show e depois voltou pra me encontrar e nós fomos pra um barzinho na Av Paulista. Fomos Cláudia, Marisa, meu pai, minha mãe e eu. Foi beeem gostoso mas ficou aquela sensação de que faltava os outros sabe?

Sem contar que o Dalarte e o Caco também voltaram e tudo poderia dar certo, se minha mãe ñ tivesse guardado o celular na bolsa, e ai os meninos ligaram e ñ conseguiram fazer contato porque com o celular na bolsa eu ñ ouvi!

E pior que ainda fiquei sabendo que se eu ñ ligasse dizendo que ia mais tarde e tivesse mesmo ido as 14h, o Caco ia fazer uma mini-festa-surpresa … =/ …

* * * * * * * *

Dai a semana toda foi sussa, e dia 13 teve a Virada da Paz de novo em SP, e eu tava doentona desde o dia 09… Tava com febre, dores no corpo, enjoo, uma doença mó sinistra …. Eu tava mal dia 13 mas ia ter Teatro Mágico novamente em São Paulo de graça e aí a Cláudia e minha mãe tavam super na pilha de ir, ae pensei né “ficar em casa só vou ficar mais de bode, entao vamos quem sabe animo e até melhoro”… dae fomos…. tudo bem que eu ñ tinha forças pra cantar nem nada mas valeu viu… teve varios shows, 30 minutos cada um mas já valeu pra eu ter ideia de alguns que eu ñ tinha noção como era…

Daí curti o show do Pato Fu que eu ameeeei e quero muito ver um show inteiro, me surpreendi muito com eles!! Depois assisti um de rock tosco lá que valeu pra se divertir, os caras de quase 60 anos se achando o roqueiro… kkkkk…. Aí depois teve Scowa e a Mafia que é muuuito bom também e que também quero ver novamente e inteiro.

Depois teve do Teatro Mágico, só 30 min também mas foi ótimo ter ido… Eu fiquei com pouca força mas valeu, a cabeça se divertiu. Quando acabou o show, fui falar com o pessoal e o Fernando falou umas coisas tão bacanas e olhando tão dentro dos meus olhos, que fiquei de alma lavada.

Essa história do Teatro Mágico e da forma que o Fernando fala comigo e age, me lembra muito a fase do LS Jack. Porque é uma forma de carinho que faz bem pra alma, pro espirito. Não são agrados comuns de educação, são palavras até simples mas que saem com tanta verdade e profundidade que é muito louco.

* * * * * * * *

Mas então, eu tive uma virose fodástica… Durou do dia 09 até o dia 17 por aí… Começou com uma febre, daí veio uma dor no corpo muito grande, enjoo (sem vomitos) e o corpo meio estranho… Eu também ñ enxergava direito, enfim fiquei podre total…. Daí nos últimos dias a febre abaixou mas deu uma coceirada nas maos e nos pés, uma loucura! Fiquei toda vermelha e com pé e mão meio quentes e coçando muito …. Fiquei derrubada… No dia 15 que eu dei uma graande recuperada, minha mãe pegou e ficou malzona do dia 15 até o dia 20 …

* * * * * * * *

Fora as zicas de doenças, dia 15 fomos no Jô Soares. Fomos pra ficar na platéia e quando acabasse a gravação a gente ter oportunidade de entregar pro pessoal da produção o livro que a Cláudia escreveu né….Fomos então mais a “negócios” do que propriamente esperando muita diversão.

E vou te falar que neeem foi muito legal mesmo. O programa é chatinho mesmo, o Jô é todo metido a fodao sabe e o estudio é um puuuuta frio… Quase morremos congeladas, ninguém merece o calor que o gorduxinho sente.

Mas valeu pela diversao sabe? Os entrevistados foram bem pé no saco, mas as bandas foram bem legais “Tô grávida do côco, do côco, tô grávida do côco, do côco…“. E tá ligado que por mais chato que algo possa parecer, a gente (Carla, Cláudia e eu) sempre saimos dos lugares com uma história pra contar… Principalmente que ñ é todo dia que se vê o Derico de cueca, né? hahahaha … Emocionante!!

E no final das contas entregamos tudo pra produção, agora vamos ver né. Agora precisamos é de um empurrãozão do destino, dos Deuses, porque a verdade é que agora muita gente já tem o nosso material, precisava agora as coisas começarem a dar resultado, iso sim.

* * * * * * * *

Depois disso fiquei meio de “castigo” em casa porque minha mãe tava doente e tal, daí foi quando fiquei meio assim… Ñ digo que fiquei exatamente chateada mas bateu forte uma saudades … E quinta [17/05] eu chorei um bucado por isso e mais um monte de coisas guardadas e tal…

Sei lá, eu estou bem estranha mesmo. Acho que as mudanças sempre doem um pouco dentro de mim, como movel arrastado mesmo. Me sinto um pouco atingida com as coisas que mudam na vida, eu realmente sinto as mudanças por menor que elas sejam.

Não consigo expressar nem definir direito o que estou sentindo. A verdade é que ando pensando mais do que eu gostaria e não consigo por pra fora os meus pensamentos. Acabo fugindo, anestesiando com as ocupações (quando tem) e virando páginas. Mas não posso negar que são coisas que sinto, que quero, mas que ñ me sinto muito no direito de querer sabe?! Sei lá…

* * * * * * * *

Daí no sábado (19/05) a tarde a Fê veio aqui em casa e passou o dia comigo, foi bem gostoso porque eu já estava mesmo com saudades dela… Ela fez um pouco do TCC dela, conversamos um pouco, vimos Lost e tal… Foi bem o que eu precisava, ela me faz bem e aparece nas horas que mais preciso sem nem saber o quanto aquilo era necessário pra mim naquele momento.

Aí a noite a Fê foi embora e como teve virada cultural aqui em Santos, fomos Mariana, Nara, Cláudia e eu pro teatro do sesc, mas já tinha esgotados os ingressos e aí fomos no teatro do centro ver um espetáculo de dança.

Eu achei que nem foi tão legal, mas é divertido pelas risadas que damos juntas, a gente sempre zoa e se diverte. Depois do espetáculo fomos apé até a praça lá do centro ver que evento estava rolando né… Daí fomos a pé só as 4 e rindo igual loucas pela rua e tal… A gente só zuando né… Daí chegamos na praça putz era pagode… No começo tava bacana, nós até ficamos, dançamos e tal, zuamos. Mas aí começou a ficar depressivo e nós entao voltamos a pé pro Teatro pra ver um show de uma cantora lá….

Nossa, esse caminho foi ainda maaais bizarro né, porque começou a chover, daí botei um casaco na cabeça, elas me chamaram de trombadinha e tal…Tanta zuação que eu nem sabia se ria ou se dirigia a cadeira, era uma merda atras da outra. A gente rindo o caminho toooodo né…

Aí a polícia passou né, e ao inves de oferecer ajuda eles falaram “algum problema aí?” mó bravos sabe? Dae a gente explicou que tava indo no teatro e tal e eles sairam andando… Mais palhaçada ainda né, porque elas ficaram zuando que eu parecia trombadinha e por isso que a gente ia presa… nossa bizarro….

No show de música foi bom porque a mulher cantava bem pra caralho, e as músicas eram lindas. Mas o foda é que dava sono e os convidados deles eram um pior que o outro. E o pior é que eles puxavam maior saco pra apresentar, e aí vinha o convidado que até desafinar ele desafinava…

Nossa e a gente na plateia só zuando né, até dancinha a gente fazia … Muito engraçado meeesmo… Mas aí como tava chovendo e a gente ñ tava pegando nenhuma apresentação boa, a gente foi pra casa umas 1h30 porque a noite não ia dar em naaada mesmo…..

* * * * * * * *

Daí no domingo (20/05) eu nem fiz nada durante o dia, e a noite o Fabio tocou com a Márcia e o Alexandre na quermesse. Foi bem bacana também, eu ri um bucado das merdas que sempre sai… Era merda na mesa que eu tava sentada, cada hora um que falava uma pérola ou fazia algo. E ainda me divertia com o baixista moongol que ficava trocando de chapéu toda hora… Quando a pessoa me contou que ia fazer isso eu nem botei muita fé, mas ñ tem jeito que gente louca é assim mesmo.

* * * * * * * *

Enfim…. acho que consegui dar uma resumida nos últimos acontecimentos. Como disse, aconteceram bastante coisas mas nada de extraordinário… As coisas estão mais NORMAIS do que nunca, porque pelo que escrevi deu pra ver que tem coisas boas e ruins misturadas, e é assim que a vida deve ser né?! Um pouco de tudo.

– – – – – – – – – – – – – – – –

* Perdoe todo e qualquer tipo de erro, ñ prestei atenção na ortografia.

Da calmaria….

terça-feira, maio 22nd, 2007

Adoro esse sentimento tranqüilo, adoro essa época de calmaria que precede algum acontecimento grandioso… É assim que as coisas acontecem, tem sido assim na minha vida a um bom tempo…Espero que isso seja bom como já foi tantas vezes….

Apesar de muitas vezes mostrar-me meio “urgente”, é interessante (as vezes um pouco cansativo) plantar uma sementinha e assistir seu crescimento com calma.

O ruim disso tudo é que esse sentimento de paz sempre precede outro sentimento que eu tenho tentado fugir a todo custo… E pretendo fugir até que ele se torne inevitável… Apesar de quase sempre ser meio inevitável… mas como esperança é a última que morre, e a que sempre se atrasa!

O pior é que a essa altura eu sempre estou muito vulnerável a esse temido sentimento. Bela tentativa a minha de tentar me enganar, né? Uma vez humana, (infelizmente) sempre humana.

Enquanto isso, eu fujo da realidade sempre quando essa me cansa. O sono é a melhor das fugas. Eu sonho. Ou seja, uma fuga fracassada!

Hahahahaha quanta merda! Relaxa eu também acho que ñ estou muito normal… Hahahaha….

Fazer o que se eu preciso escrever, escrever e escrever?!? É algo que foge do controle!

Quando o egocentrismo vai se acabando…

domingo, maio 20th, 2007

Acho que descobri qual é o grande problema da minha falta de inspiração. A verdade é que já não é segredo o meu egocentrismo e essa necessidade quase que absurda de falar sobre mim e sobre tudo aquilo que se passa dentro dessa cabeça louca. Já bati tanto na tecla do meu egocentrismo e dessa mania feia de se importar tanto com meu umbigo, essa chatice de teimar em separar algumas horas do dia para reflexão. Que chato!

Na verdade é que eu cansei um bucado dessas historinhas problemáticas, desses romantismos baratos e de inventar amores bonitos e imperfeitos só pra ter um motivo bonito pra sofrer. Já encheu o saco perder horas do meu dia sofrendo por algo que é tão desnecessário e que não tem motivo algum de se ficar fantasiando e sofrendo enclausurada dentro desse mundinho de menininha.

Não exagero mais. Não transbordo mais. Tenho em mim o sentimento mais cru. O muito me enjoa. Agora eu sou quem eu preciso ser entendeu?! Não que isso me faça deixar de ser eu mesma, mas agora eu sou apenas a nata, o necessário, o concreto, sou eu e pronto. Simples assim, sem muitas entrelinhas.

Toda essa simplicidade tem me impedido bastante de sentar e expor demais sobre o que anda acontecendo comigo. Já que na verdade nem mesmo eu faço muita questão de entender coisa nenhuma. Ando vivendo como se deve viver, o minuto da vez. Se é pra rir que ria, se é pra chorar que chore e que nada disso tome a proporção de nenhuma tsunami.

Perdi total interesse sobre a minha própria vida e acho surpérfulo demais as coisa que eu poderia postar por aqui. Egoísmo misturado com sei lá o que, sabe? Me faz pensar que o que acontece comigo diz respeito a mim e a mais ninguém, dá pra entender?! Mais ou menos isso.

Das experiências musicais

segunda-feira, maio 14th, 2007

Como citado no post anterior, já fazia tempo que eu queria sair da mesmice das minhas 2800 músicas e queria ouvir algumas coisas diferentes pra expandir meus horizontes. E, pela aproximidade intensa que venho tendo com a Marisa, resolvi escutar um pouco de Made in Brazil e Tutti Frutti…

Assim como já fiz com Elis Regina uma vez, eu quis fazer o mesmo com a Rita Lee, pra poder ter uma noção maior e uma opinião mais justa sobre a cantora. Afinidades a parte, eu pretendia apenas me dar a oportunidade de conhecer coisas diferentes e entender esse tal de Rock’n Roll da Rita.

Mas que eu espero que fique bem claro é que apesar das minhas brincadeiras, eu na verdade respeito todos os tipos de artistas. Como sempre brinco que detesto Elis Regina, na verdade é que não tenho muito ouvido pra ouvi-la e acabo sempre ficando meio impaciente e/ou depressiva com suas músicas. Eu respeito a grandeza da Elis e sei que se ela tem toda essa majestade é porque é sem dúvidas merecidamente. Não sou ninguém pra erguer ou derrubar ninguém, aqui nesse espaço eu apenas expresso a minha humilde opinião e sem qualquer tipo de bandeira ou imposição.

Assim foi que sentei primeiramente pra ouvir Made In Brazil, uma banda do antigo Rock’n Roll, formada por muitos integrantes que já tocaram com Rita Lee, inclusive no Tutti Frutti. Fiz questão de ouvir sem qualquer preconceito, quis apenas conhecer um tipo de trabalho que eu ainda ñ tinha sequer ouvido falar.

Made In Brazil

Bom, eu ñ entendo muito bem de técnica musical, afinal de contas não toco nada e nem mesmo estudo como gostaria de estudar. Costumo considerar bom, aquilo que agrada meus ouvidos e que entra fácil na minha vida. E posso dizer que Made In Brazil conseguiu logo a minha simpatia.

Não é nenhum som cult, não tem letras filosóficas e nem sequer muito inteligentes, se estiver em busca disso é melhor procurar outro tipo de música. Mas que não seja visto como uma crítica ruim, na minha opinião eles não possuem nenhuma qualidade fenomenal, mas posso dizer que são músicas divertidas e que de alguma maneira deixa meu animo pra cima e com uma vontade interessante de sair dançando por ai.

Confesso que durante muito tempo eu fiquei acostumada com um som limpo e letras divinas de Toquinho, Oswaldo Montenegro, Chico Buarque, DMB e tal, então é diferente ouvir uma coisa mais “suja” e mais sei lá o que. Mas o importante é que mesmo estranhando os primeiros acordes da banda, e uma sintonia diferente, eu tive uma boa aceitação.

Música para não se pensar muito, para dar algumas risadas e para animar um pouco o animo. Eu gostei e já está na minha coleção.

Tutti Frutti

Eu já conhecia de leve algumas músicas de Rita Lee, mas não me contentava em ouvir essas músicas que todo mundo sabe como “Doce Vampiro”, “Mania de você”, entre outras. Eu queria conhecer Tutti Frutti a fundo, queria saber mais e ter uma opnião mais forte sobre tudo isso.

A principio foi uma aceitação muito boa de todas as músicas. Volto a dizer; não achei as letras lá essas coisas fenomenais e nem sei se o som é tão foda assim. Mas o importante é que agradou, e viciou. Durante pelo menos três dias eu ñ parei de por pra rodar no winamp o som daquela mulher que eu nem vou muito com a cara.

Após essa febre de Rita Lee, eu parei pra ouvir novamente e já comecei a notar algumas músicas que ñ eram tão legais assim. Não gosto quando a pessoa usa a música pra falar mal de outros músicos. E na verdade foi sempre isso que na verdade eu nunca gostei na Rita Lee, essa coisa de sempre criticar os outros com prepotências, como se ela fosse realmente perfeita.

Mas no geral gostei e muito. Valeu a experiência e as músicas ficarão sim guardadas em minha coleção, e sempre que puder estarei ouvindo-a, principalmente “menino bonito” que inevitavelmente me faz pensar em um Menino Bonito.

Por hoje acho que é isso mesmo, pretendo voltar em breve pra citar a minha experiência em alguns shows que tive a oportunidade de curtir nesse domingo (13) e que me fizeram querer fazer planos de ver mais e melhor.

Falando em música…

quarta-feira, maio 2nd, 2007

Tem rolado uma certa preguiça e um desleixo com a música. O que tem rolado basicamente é um pouco de tudo que já era ouvido sempre. Sem muitos estudos e nem muita novidade musical, acaba que os posts com ênfase em opiniões musicais acabam dando uma diminuída considerável, o que eu acho bastante triste.

Dos dois DVDs de Oswaldo Montenegro que adquiri, só parei para assistir um deles. Que, aliás, devo dizer que deixou um tanto quanto a desejar. Enquanto ele tem uma voz deliciosa e forte para cantar, um talento que vale ser destacado, deixa muito a desejar em relação a presença de palco e comentários no meio do show. A verdade é que diferente das suas composições claras, sensíveis, profundas e fortes, quando se trata de uma conversa o Oswaldo me parece um tanto confuso e bastante metido. Não gosto muito de gente que se acha, humildade é bom e dá muito ponto nessas horas. Nesse caso, Oswaldo perdeu uma espectadora de show, mas não uma ouvinte de CD. Pena que CD se puxa na internet e ai ele acaba mesmo é perdendo.

Sem contar que é muito cansativo quando o cantor acredita que ser simpático é ficar durante um tempão fazendo comentários, quando na verdade o que a galera espera um show de música e não uma palestra. É nessas horas que Chico Buarque é legal pra caralho, e ainda tem gente que ousa falar do cara.

Confesso que perdi um pouco de tesão de assistir o outro DVD depois que assisti esse, mas na verdade não assisti mesmo por falta de oportunidade de ter o meu quarto em silencio de forma que eu pudesse assistir como gosto. Porque ver aos pedaços é realmente chato. Espero mudar minha opinião quanto aos DVDs dele, pois o repertório é realmente muito bom.

Andei assistindo também três vezes o show da Ivete Sangalo no Maracanã. Eu já tinha visto um show dela pessoalmente lá no RJ no inicio de 2006 e constatado que ela está muito bem equipada com uma banda boa e bem envolvida. Mas no show do Maracanã a Ivete realmente mostrou que não está aí de brincadeira.

Ivete foi a responsável por toda a produção do show, dando idéias e supervisionando cada detalhe do espetáculo que encantou a platéia e agora encanta os telespectadores. A banda tá muito boa e bem sincronizada, a escolha do repertório foi muito importante e bem escolhido na minha opinião, a ordem que foram colocadas as músicas foi essencial pra levar as emoções da galera. Tudo casou, o figurino, as luzes, as músicas e inclusive os convidados.

Em minha opinião, vale a pena se livrar dos preconceitos e assistir esse show. Vale até mais do que só simplesmente ouvir o CD e pronto. Ivete Sangalo é a prova do que a gente diz que quanto mais elogios, melhor se tem que melhorar e surpreender. Pra mim, ela está fazendo isso e bem.

Bom, esses são os últimos DVDs musicais que assisti e que posso dar minha humilde opinião, a coisa está fraca, o fluxo está bem devagar mas eu pretendo melhorar isso, dar uma escutada e outras coisas e voltar aqui para dar uma comentada.