Archive for julho, 2008

quinta-feira, julho 31st, 2008

“Quando eu te invado de silêncio
Você conforta a minha dor com atenção”

Por: Tico Santa Cruz

Era você.

terça-feira, julho 29th, 2008

Um dia claro.
Tudo meio confuso
Várias pessoas
E você

Um medo
Um entardecer
Várias pessoas
E você

Um bar
Um anoitecer
Várias pessoas
E você.

Uma angústia
Um abraço
Um beijo molhado
No rosto
Era você

Um sonho
Foi com você.

* Forma sutil que encontrei para registrar um sonho.

– Estou ótima, juro!

segunda-feira, julho 28th, 2008

Ouvir sua voz ao telefone nunca foi tão bom.
Um carinho, um cuidado e bastou pra me sentir protegida.

– Mas você está bem?
– Estou ótima, juro!

E um sorriso estampou nos meus olhos durante o resto do dia e do outro…

Blá

segunda-feira, julho 21st, 2008

Entre altos e baixos e um final de semana sem voz e com a cabeça confusa, porém pra lá de gostoso. É assim que as coisas se encontram atualmente. Várias bobagens e não-bobagens apunhalando o coração e a mente. Mas graças a Deus, boas coisas acontecendo paralelamente; o que dá força pra gente erguer a cabeça e se preparar pra próxima jornada. Agora a ordem é criar força, afinal essa fraquesa de espirito repentina já está dando efeito na saúde. E com isso, já vimos há alguns meses que não se brinca MESMO.

Da dor interna.

sábado, julho 19th, 2008

Desculpa a franqueza, mas eu não sei mentir. Estou triste e é do fundo do meu coração. Sei de todas as teorias e sei também que tudo isso passa, uma hora passa. Só que, neste momento eu só consigo dar um sorriso forçado e sentir muita dor por dentro. Juro, estou fazendo tudo e seguindo à risca toda a receita, que eu já sei de cor, pra dar a volta por cima. Enquanto a nuvem não passa; eu só consigo dizer que estou triste, muito triste, por tudo.

Eu estou com medo de afundar
Você é o único que me conhece
e é quem não ignora
que minha alma esta chorando

Eu sei, eu sei, eu sei
Parte de mim diz vamos lá
Tudo tem seu tempo
Indo e indo as coisas acontecem
Um dia de cada vez
Mas dessa vez, dessa vez
Eu vou tentar qualquer coisa apenas pra me sentir
melhor

Just Feel Better – Steven Tyler

Sentidos.

sexta-feira, julho 18th, 2008

Parei pra lembrar da gente
Senti saudades
Senti cheiros
Senti gostos amargos e doces
Senti ternura
Senti dor
Senti amor
Senti ódio
Senti emoção
Senti felicidade
Senti músicas
Senti silêncios
Senti risos
Senti lágrimas
Senti vergonha
Senti pena
Senti rancor
Senti perdão
Senti paz
Senti orgulho

E no final das contas entendi tudo:

Por você eu SINTO AMIZADE.

Por : Iza Freitas

Pensando sobre….

quarta-feira, julho 16th, 2008

A negação mais afirmativa
O desapego mais apegado
A cumplicidade de um olhar
A verdade mais direta
A provocação mais gostosa
A chatice mais legal

O silêncio
O ato
O sentimento
A verdade
A suavidade

Um aprendizado
Um nascimento
Um tempo
Uma brisa suave…

Um carinho.

segunda-feira, julho 14th, 2008

Da cor: rosa
No peito: amor vermelho intenso
No rosto: um sorriso
Na amizade: Você

Vermelha de tanto amor
Rosa de tanto carinho
Laranja de tantos sorrisos

sábado, julho 12th, 2008

Hoje à noite ao admirar o luar
Percebe que estou triste
E que todos os sorrisos do dia não foram de alegria
Apenas um foi fiel ao sentimento de felicidade
Foi o que se manifestou não apenas nos meus lábios
Mas no fundo dos meus olhos ao ver tua foto
Teu sorriso e teu mistério
Foi o que confortou por ler tuas palavras
Então, é certo ou errado admirar um desconhecido?
Admirar pela beleza que está escondida no encanto do olhar cheio de brilho e interrogações
E afinal, o que é o certo e o que é o errado?

Hoje à noite assustei-me ao recordar
Do quanto já vivi, do quanto já sorrir, e do quanto já sofri…
A escuridão da noite me deixa estranhamente bem
Porque penso em pessoas que nunca vi
Penso em caminhos que nunca percorri
E almejo desejos ilimitados!!

Quem disse parte do que eu quis dizer foi: Indiara

Da recaida.

quinta-feira, julho 10th, 2008

Uma noite maravilhosa. Feita das coisas mais simples do mundo, e mais indispensáveis também. Tudo bem que faltaram duas amigas e mais umas duas ou três garrafas de vinho. Mesmo assim, gostei de rir até doer a barriga, de ver os olhos de todas elas sorrindo muito. Isso pra mim é o que realmente faz valer a pena acordar todos os dias. É o que me faz optar sempre pelo SIM.

E de repente toda aquela angústia tomou conta de mim. Depois de dar o último tchau e ver toda aquela gente ir embora, o meu peito doeu até meus olhos lacrimejarem. Senti todo aquele vazio e aquele medo de nem sei o que, amargando a boca e retorcendo o estômago.

Depois de tanto tempo livre dessa sensação que eu chorava baixinho todos os dias pedindo pra passar, parece que tudo aquilo voltou a bater na porta do meu peito. E eu chorei. Chorei da dor, chorei do vazio infinito e chorei de medo que toda essa falta de não sei o quê resolvesse ficar.

Pensei em esquecer, deitar e dormir. Mas eu não havia possibilidade de eu estar de TPM pra ter a segurança que logo tudo iria passar. Era impossível, aquela dor é velha conhecida, e não seria uma noite bem dormida que a apagaria. Eu precisava vomitar palavras, expelir sentimentos e deixar vazar até a última gota de lágrima que havia em mim. Me entreguei à na dor, ao desabafo e chorei todo choro que podia. Esperei passar tudo aquilo que tanto me doía!

Adormeci feliz e amanheci radiante!!! Descobri que tudo aquilo era passageiro. E que o tal vazio, graças a Deus era sim; finito.