Archive for agosto, 2008

De volta… será?!

sexta-feira, agosto 29th, 2008

Antes mesmo de viajar, e durante a viagem, até hoje eu ando um pouco pensativa. E, apesar de boa parte desses pensamentos girar sim ao redor do meu umbigo, tem muita coisa interessante rolando aqui nessa cabeça confusa.

Ando pensando tanto sobre as coisas, mas o que acontece é que no fundo eu acho complexo expor muita coisa do que tenho pensado e descoberto. Acabei por banalizar esse espaço e expor apenas aquelas coisinhas bobas que entalam na garganta e vez ou outra precisamos ter aquele lugar para desabafar aquilo que nos transborda.

Quando escrevemos, acabamos tomados pela vaidade. E saber que seu espaço é lido, mesmo que por três ou quatro pessoas, acaba dando uma sensação de responsabilidade e aquela cobrança de escrever não assim sem compromisso, mas algo que agrade ou cause impacto à pessoa que está do outro lado da tela. Mas ok, parei com isso já.

Enfim, depois de tanto pensamentos e ameaças (porque várias vezes abri o blog e não consegui postar) acho que agora vou conseguir desatar um pouco os nós e comentar aqui alguns de meus pensamentos. Por mais maluco ou banal que ele possa ser.

Está dada a largada!!

Sem fantasia – Chico Buarque

quinta-feira, agosto 28th, 2008

Vem, meu menino vadio
Vem, sem mentir pra você
Vem, mas vem sem fantasia
Que da noite pro dia você não vai crescer
Vem, por favor não evites meu amor,
Meus convites minha dor, meus apelos
Vou te envolver nos cabelos
Vem perde-te em meus braços
Pelo amor de Deus

Vem que eu te quero fraco
Vem que eu te quero tolo
Vem que eu te quero todo meu

Ah, eu quero te dizer
Que o instante de te ver
Custou tanto penar
Não vou me arrepender
Só vim te convencer
Que eu vim pra não morrer
De tanto te esperar

Eu quero te contar
Das chuvas que apanhei
Das noites que varei
No escuro a te buscar

Eu quero te mostrar
As marcas que ganhei
Nas lutas contra o rei
Nas discussões com Deus

E agora que cheguei
Eu quero a recompensa
Eu quero a prenda imensa
Dos carinhos teus

Chico Buarque

Na calada da noite, decisão.

quarta-feira, agosto 27th, 2008

Tem horas que bate uns sentimentos tão chatinhos. E é aí que a gente vê o quanto a cabeça comanda tudo. Sábios aqueles que usam da razão. Burros aqueles que acham que Deus nos deu o privilégio de sermos pensantes! Ai, tolos! Dera ser eu uma onça do mato.

Mas nessas conversas filosóficas que só a madrugada é capaz de me oferecer (taí outra coisas; nasci pra ser boêmia e ponto final.), acabou dando aqueles estralos onde todas as fichas começam a cair e tudo parece tão óbvio.

Ok. Decisão tomada, bora seguir em frente!

PS1: Obrigada meu amor, você é o homem da minha vida! hauhauhauha
PS2: Que bom que essas coisas agora duram menos tempo.

Eu que não.

terça-feira, agosto 26th, 2008

E eu que não chorava, chorei.
E eu que acreditava não gostar, aproveitei.
E eu que não parava de pensar, des-pensei.
E eu que achava que sabia tudo, aprendi.

Dizer o que não quer que ouçam

segunda-feira, agosto 25th, 2008

Se eu fosse dizer tudo que eu quero dizer
Eu diria que estou cansada me manter viva

Cansada de esperar o que não virá
Cansada de sorrir das minhas feridas
Cansada de ouvir o que me machuca
Cansada de aceitar o que não aceito
Cansada de acreditar no que não acredito
Cansada de viver o que não vivo

Se eu fosse dizer tudo que eu quero dizer
Eu diria pra você

Diria pra você que eu quero um abraço
Diria pra você que eu gosto de você
Diria pra você que é bom estar perto
Diria pra você que gosto de te ouvir
Diria pra você tudo o que nunca digo
Diria pra você que você é especial

Se eu fosse dizer tudo que quero dizer
Eu diria eu não quero mais

Não quero mais fingir
Não quero mais esperar
Não quero mais deixar de ser
Não quero mais calar
Não quero mais abaixar a cabeça
Não quero mais sentir

Se eu fosse dizer tudo que quero dizer
Eu diria que sinto medo

Medo de não viver
Medo de perder
Medo estar certa
Medo de errar
Medo da decpção
Medo de confiar

Se eu fosse dizer tudo que eu quero dizer
Eu diria que não diria nada
Porque há uma voz em mim que quer dizer, mas não quer ser ouvida.

Inexplicavelmente

sábado, agosto 23rd, 2008

Um dia aparentemente comum
E você veio
Tomou conta de tudo
Pensamento, audição, coração
Me invadiu sem pedir licença

A lágrima revelava o medo
O sorriso revelava a segurança
O aperto no peito revelava a incapacidade

Tão perto
Tão certo
Mas longe
Muito longe

Sentir o inexplicável é estranho.

Fui e voltei

quarta-feira, agosto 20th, 2008

Depois de tantas dores internas
Do silêncio mais barulhento
De tantos pensamentos
Eu fui.

Vivi na intensidade diária
Se foram as dores internas
Vieram as externas
Se foram os silêncios
Veio o barulho intenso
Se foram os pensamentos
Vieram os momentos

Fui sem vontade
Voltei querendo ficar

E é disso que vale a vida!
De sorrisos
De gente
De momentos
De realizações
De vida!

terça-feira, agosto 19th, 2008

o silêncio da tua voz, traz o medo que isso possa ser o que eu não quero ouvir…

Ei!

domingo, agosto 17th, 2008

…quando desvio meu olho do teu, dentro de mim guardo sempre teu rosto”

Por : Caio Fernando Abreu

Amigos

sexta-feira, agosto 15th, 2008

Eu acho que sou viciada nos meus amigos!!! Se eu pudesse eu moraria numa casa com 35 quartos e todos moraríamos juntos! Com direito à família e tudo (exceto de alguns, lógico =P)!!!

Eu queria morar com a Fernanda, pra poder sempre escutar as coisas que ela tem a dizer e aprender a ser um pouco igual ela e o seu desapego apegado. Fora que nos divertiriamos sempre jogando algum jogo e falando algumas besteiras gostosas. Além de tudo eu saberia que teria alguém pra me estimular a viver mais independente, a conhecer coisas novas e ainda seria uma amiga pra comprar minhas brigas e me defender sempre que fosse preciso.

Queria morar com a Vivi pra me sentir sempre segura. Morando com ela eu teria certeza que nunca sairia 100% da linha, porque sempre teria ela ali pra me trazer à razão e me lembrar das coisas básicas como ir ao médico e comer direitinho. Fora que ainda teria todo o carinho e cumplicidade do mundo, e um sorriso lindo todos os dias.

Eu moraria com o Diogo pra ganhar cafuné e carinho todos os dias. Ainda poderia ter alguém com quem conversar sobre música, livro e cultura no geral. Ele ainda me incentivaria com estudos, profissões e me daria forças toda vez que eu me sentisse uma inútil. E pra completar teria aqueles olhinhos pequenos todos os dias pra apreciar.

Queria morar com o Rodrigo pra ter com quem desabafar e falar todas as coisas que tenho vontade. Alguém pra fazer dramas sem restrições. Além de tudo eu teria alguem pra fazer parceria em algum projeto de teatro ou composição musical.

Moraria com a Mayra pra poder ser eu mesma de verdade e saber que ela me entende e concorda comigo. Alguém pra eu me identificar e nunca perder o elo comigo mesma. Uma prima que virou melhor amiga e que é a melhor conselheira do mundo.

Com a Cláudia eu moraria pra aprender um pouco mais das coisas. Alguém que me desse força e coragem pra quebrar esse orgulho, que me ajudasse a chorar quando dá vontade, e alguém que cometesse comigo as maiores loucuras mas sempre com muita precaução. Fora que seria uma ótima fonte de carinho, de abraços e muitos sorrisos. Ela me mimaria e me colocaria na linha ao mesmo tempo.

Seria dificil, mas eu moraria como o Dalarte sim!!! Moraria com ele pra ele me incentivar a ouvir coisas boas, me dar bons conselhos. Além de tudo é alguém que treina a minha paciência e me cutuca, me desafia. Isso seria ótimo. Fra que seria também alguem pra beber comigo e me fazer sair da linha sem culpa nenhuma!!!

Queria morar com a Nara porque com ela eu teria certeza que nunca haveria stress. Ela seria uma ótima fonte de paz e tranquilidade. Além do mais eu teria sorriso e animação todos os dias. Ela é minha coisinha deliciosa, minha boneca de estimação.

Eu moraria com a Erikinha porque eu adoraria passar horas conversando e ouvindo todos os conselhos dela. Tudo o que a Cláudia me faria derreter, a Erikinha me faria endurecer e me ajudaria a manter sempre a cabeça erguida e não dar moral pra homem nenhum nem baixo astral. Fora que ela também seria uma fonte de conhecimento… Ela me carregaria pra raves e micaretas desse mundão a fora!

Moraria com todo prazer com o Fabio. Além de ser uma boa companhia espiritualmente, ele é alguém que mesmo falando pouco me ensina um bucado. Ainda por cima ele me estimula a querer ser sempre um ser humano melhor. Fora que é alguém que posso pentelhar e ser pentelhada. E ele é uma ótima influência musical, literaria e cinematografica. Pra completar, ainda conseguimos nos comunicar sem sequer usar palavras.

Esse sonho de criança, vive em mim até hoje.