Archive for setembro, 2008

Consolo…

segunda-feira, setembro 15th, 2008

…Algum tipo de consolo, como se alguém precisasse chegar bem perto do sofá, onde estava, colocar uma das mãos em seu ombro e dizer que aquilo era normal. Que acontecia também com outras pessoas, e que iria passar.

Caio F.

Das vontades … #2

segunda-feira, setembro 15th, 2008

Já disse em alguns posts atrás, que eu ando um tanto pensativa. Tudo bem vai, na verdade eu sou uma pessoa que costuma pensar bastante e, pra falar a verdade, eu até gosto de ser assim. Parece que sendo assim eu tenho mais consciência de estar vivendo e das coisas que eu estou vivendo. Enfim, quase nada passa por mim assim tão despercebido. Mas nem era disso que eu ia falar.

Tava pensando ainda um pouco sobre essa coisa de como lidar com a vontade dos outros, ou a falta de vontade. Eu sempre tive muita uma relação complicada com esse tipo de coisa. Isso em vários aspectos.

Existem diversos momentos que sou capaz de fazer um esforço enorme pra sufocar certas vontades minhas tão bobas, que eu acabo não insistindo por pura preguiça ou, principalmente, falta de coragem e atitude. No entanto, já fui capaz de espernear por coisas que a única coisa que podemos fazer é respeitar.

Pensando nisso, eu cheguei a uma conclusão de que se trata é daquela velha história do tal do bom senso, que anda sendo esquecido aí pelo mundo. Todos nós, no fundo, sabemos exatamente como, quando, onde e porque respeitar a vontade alheia ou então a nossa. Eu pelo menos, acho que estou aprendendo, ou pelo menos estou tentando.

Só fica como lembrete que, tem coisas que eu não só posso como devo saciar a vontade sem culpa.

Das vontades…

sábado, setembro 13th, 2008

Outro dia acabei entrando no blog de um colega meu. E, apesar de ter um certo preconceito com as coisas que ele diz e tal, ele escreveu sobre uma coisa tão obvia e ao mesmo tão assim de lidar…

No texto ele dizia sobre essa coisa de interesse. Pera, não é sobre o interesse assim do jeito pejorativo não. É que quando uma coisa não nos interessa, às vezes pode interessar muito pra outra pessoa. Até aí é normal, e a vida é cheia dessas coisas.

Mas, o que me fez pensar foi sobre as atitudes e essas coisas. Muitas vezes agimos e falamos de acordo com o que sentimos vontade, com o nosso interesse e tal. E muitas vezes pra outras pessoas isso pode ser de extrema importância.

E ele deixou no ar uma pergunta que me fez pensar um pouco.

… Sempre que tentamos comparar nossas vontades com a de outras pessoas, pedimos para que a respeitem. Mas e se a vontade do outro for contrária a isso??? Qual devemos respeitar?

A vontade dela é de estar junto…

A minha é de não estar…

Quem tem de respeitar a vontade de quem???

Fonte: http://www.fotolog.com/gutovisk/27504496

Não é fácil esconder tão bem a dor…

quinta-feira, setembro 11th, 2008

Tem horas que a saudade bate e eu não consigo me controlar. É engraçado quando uma pessoa assim, passa a ter uma importância tão grande em nossas vidas. Já parei pra pensar nisso.

E esses dias eu confesso, me permiti sentir essa saudade e me entreguei à esse sentimento. Que falta, você me faz, que falta!

Difícil escolher uma, ou um trecho… Mas na dúvida vão dois ….

Não é fácil esconder tão bem a dor
Como é que eu faço pra não mais olhar para trás
Muito mais ainda
Se era bom tudo em mim
Não foi consumido
Mas você diz que é preciso
E só me resta aceitar

Queria ter poder pra transformar
Toda essa dor em quase nada

Sob o Céu – LS Jack

Preciso me achar
Mas em qualquer lugar estou
Rodando sem direção eu vou…

Sem Radar – LS Jack

sleep to dream her – Dave Matthews Band

terça-feira, setembro 9th, 2008

I know I’ll miss her later,
Wish I could bend my love to hate her,
Wish I could be her creator,
To twist her arms now,
She stares up at the stars when,
The stars fell from her heaven,
I bent down to collect her,
And then she was gone,
I sleep just to dream her,
I beg the night just to see her,
That my only love should be her,
Just to lie in her arms,
Oh I came there to find out,
Find out if she’s made up her mind now,
My arms are all tied up,
To me she was blind.

This space between us
We’re with this dream for your lips,
Leaning up at me reckless,
With your back to me now,
It seems so unnerving,
Still somehow deserving,
That she could hold my heart so tightly,
And still not see me here.

Oh I sleep just to dream her,
Beg the night just to see her,
That my only love should be her,
Just to lie in her arms,
I know I’ll miss her later,
Wish I could bend my love to hate her,
Wish I could be her creator,
To be the light in her eyes.

Selva

segunda-feira, setembro 8th, 2008

Outro dia conversando com uma pessoa da qual sinceramente eu não vou lá muito com a cara, ouvi uma coisa que temos tanto em comum; o medo das pessoas.

Depois do papo, parei pra pensar um pouco sobre isso. O quanto o ser humano me apavora. Talvez o fato de sermos tão inconstantes e tão imprevisíveis; assusta e dá um medo fenomenal.

É engraçado como de certa forma posso até parecer sociável, apesar de quem me conhecer sabe o quanto não sou, eu posso contar em poucas linhas as pessoas que confio de verdade. Aliás, me perdoem esses meus queridos, mas hoje em dia nem sequer essas poucas pessoas eu descarto cem por cento a chance de ser surpreendida. E sei, apesar de tentar e me dispor a ser, também não sou alguém assim; cem por centro.

Já sofri decepções que doeram tanto, que acho que me fizeram mudar um bucado. Ando preferindo sempre me entregar pouco e sempre esperar o pior da pessoa até que ela me mostre o contrário. Optei pelo caminho inverso, para não correr o risco de surpresas desagradáveis.

Desses pensamentos todos, acabam desencadeando um montão de coisas interessantes que valem a pena serem levadas pra frente, como uma auto-reciclagem. Mas devo dizer que, do mesmo modo também acabam desencadeando vários fantasmas que fazem com que nos dê uma vontade quase que incontrolável de se fechar em uma concha e nunca mais sair.

Uma luva, um medo, uma dica…

sábado, setembro 6th, 2008

Recebi como “Dica do dia”, e não é que caiu como uma luva?!

E essa tal de Venegas tá em alta.

Underneath

sexta-feira, setembro 5th, 2008

Adorei esse clipe

Mostra um pouco do que eu brinco aqui vez ou outra.

VA – VP

quinta-feira, setembro 4th, 2008

Sei que esse assunto é meio clichê, mas alguém me socorre do horário político! Eu juro que em um momento de surto de responsabilidade resolvi sentar pra olhar o que estava rolando e, meu Deus do céu!!

Assisti junto com minha mãe e a minha madrinha. Entre um comentário construtivo e outro, no geral o que rolou foi um intenso ataque de riso daqueles de fazer sair lágrimas dos olhos e de perder o ar. De professor mau humorado da minha faculdade até Mister M, Japinha do Funk e Palhaço Pudim são os candidatos.

É o comentário que tenho escutado…

– Você viu horário político?
– Ah já vi mais ou menos, vc viu quem se candidatou?
– Vi, o CG?
– Isso!! E o Mister M meu, que isso!
– Pior o Palhaço Pudim!
– Nem fale, nossa!

A gente vai brincando e zuando com tudo isso, e as pessoas que fazem análises críticas sobre isso por aí acabam passando por chatos, metidos a intelectuais. Mas cara, que isso está um absurdo sem tamanho, isso está mesmo!!!

Te juro, eu já não sei mesmo por onde começar. Já fui muito adepta ao voto nulo, confesso, mas depois entendi um pouco melhor do que eu pensava desse assunto que não me agrada muito e resolvi que quero sim fazer alguma coisa, mas vejo isso tão distante. Cara, é desanimador! Eu que gosto tanto do meu País, ter que conviver com esse tipo de coisa, e concordar.

Sei lá meu, eu ando com pensamentos muito otimistas e dispostos. Estou disposta a encarar melhor esse assunto e tentar chegar o mais perto possível daquilo que acho correto, espero conseguir. Alguns candidatos já estão escolhidos (não é o Mister M, nem o CG, nem o Palhaço Pudim e nem o Anitelli… ops o Anitelli ainda não é candidato!), espero que façam por merecer.

Talvez eu volte, com mais material, pra me aprofundar nesse assunto político.

Caminho certo…

terça-feira, setembro 2nd, 2008

Comprovando mais uma vez que o pensamento positivo funciona e, que a transmissão de pensamento é realmente uma coisa genial.

Tá certo que nada acontece assim por um passe de mágica, mesmo quando acontece de forma mais forte e evidente e que parece mesmo algo mágico, mas você pensar um pouco mais sobre determinada coisa e se esforçar um pouco (não, não é forçar a barra) pra que isso aconteça, o negócio vai indo e se torna mesmo real!

Eu poderia citar a capacidade que minha mãe tem nisso, e não é atoa que estou viva e com um carro que ela queria, uma cadeira nova e um bucado de coisa que pra quem conhece minha mãe, sabe o quanto isso funciona. Mas no caso, prefiro citar a capacidade que tenho com alguma pessoa de pensar e a parada acontecer de verdade. Ás vezes a parada é sinistra que até assusta, e outras nem tão assim, mas de qualquer modo é foda.

Não é apenas pessoas que te conhecem tanto que são capazes de ler o olhar. Tenho uma pessoa da qual eu tenho certeza que 95% eu não engano nem a pau. Eu posso dar o meu sorriso amarelo mais perfeito do mundo, que será notado. A pessoa sabe tanto, que eu sei que muitas vezes sabe mesmo até mais que eu.

Mas não se trata disso, conhecendo assim é fácil. O bacana é quando por mais aberto que seja, você sabe que não é o suficiente pra pessoa adivinhar. Mas a pessoa adivinha! E é engraçado isso, dá uma sensação de “será que eu disse algo e não lembro? Dei brecha? Quando foi?”, mas algumas poucas eu consigo encontrar.

Isso só me deu força pra continuar meus planos. Vou seguir à risca todas as paradas que ando pensando.