Archive for outubro, 2008

Mel … Ancolia.

domingo, outubro 26th, 2008

Desculpe a maré “ruim”. Mas deixe estar que as partes boas guardo comigo.

eu procuro não dizer – talvez porque seja a maior das verdades
dessas que, de tão sinceras, não se pode acreditar.

não quero causar espanto
nem pena, nem revolta
nem quero ouvir palpites
não adiantaria.

trata-se de uma verdade… simplesmente.

dessas que vêm da essência
dessas que estão na origem
na criação do tudo
no desfacelar do nada.

acontece que, ultimamente, essa verdade vem se mostrando freqüente
por mais que eu ria, que me sinta grata
por mais que ouça palavras amigas, melodias encantadas

não tem jeito
ela não some
não sara.

então, tento não chorar
e choro.
procuro não correr
e vôo.
procuro calar
e falo.

volto ao mesmo lugar…

aprendi a te encarar
verdadeira ou não
sei que te conheço
e não ligo quando você toma meu lugar.

assim tão fria
assim tão lenta
assim… melancolia.

Por: Paula Biza

a rigor…

quarta-feira, outubro 22nd, 2008

A rigor seria isso…

“Chorar por tudo que se perdeu, por tudo que apenas ameaçou e não chegou a ser, pelo que perdi de mim, pelo ontem morto, pelo hoje sujo, pelo amanhã que não existe, pelo muito que amei e não me amaram, pelo que tentei ser correto e não foram comigo. Meu coração sangra com uma dor que não consigo comunicar a ninguém, recuso todos os toques e ignoro todas as tentativas de aproximação. Tenho vontade de gritar que esta dor é só minha, de pedir que me deixem em paz e só com ela, como um cão com seu osso”


Caio F.

Funciona assim

quarta-feira, outubro 22nd, 2008

E cada vez mais vou descobrindo coisas da vida e de como ela funciona pra cada pessoa.

Pessoas, sempre achei interessante ter, ver, sentir e ouvir pessoas. Gosto de ficar quietinha, ser mesmo a “burra” da história, e procurar absorver tudo o que essas pessoas puderem me passar. São tão diferentes umas das outras, tão fascinantes e tão cheias de coisas pra serem absorvidas.

Gosto de gente que os olhos brilham, que amam seja lá quem ou que for. Gente que vejo o coração pulsar, que sente, que vive e que revive!!

Talvez por isso eu goste tanto de ouvir Ana Carolina, O Teatro Mágico e Dave Matthews Band. Tem gente mais pulsante que eles? Tem gente que goste mais, que ame tanto quanto eles?

Deve ser por isso que eu só me apaixono por músicos. Eles são tão convictos, têm tanto sangue fervente nas veias, cheios de teorias de vida. Acho o máximo!!!

É por isso que tenho os amigos que tenho. Que amam tanto uma causa, um homem, uma mulher, uma profissão, um sonho, uns aos outros.

Hoje eu parei pra pensar foi nisso. Na vida e de como ela funciona pra cada pessoa. Pra mim a vida funciona exatamente assim: de pessoas!

A Marte

segunda-feira, outubro 20th, 2008

Esta noite eu quero me deitar contigo
Mas pode me chamar de amigo
Eu só vou ficar olhando
E enamorando seus cabelos mãos e pés
Sem toque, sem beijos a não ser que tu quiseres

Bruno Brasil

Protegido:

domingo, outubro 19th, 2008

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

Auto-cafuné

quinta-feira, outubro 16th, 2008

Hoje eu decidi me fazer cafuné. E justamente por isso hoje foi dia de

Ouvir aquela entrevista que sou chamada de “Minha Deusa”
De ler aquele depoimento que diz “não suma jamais!”
E de ver aquele texto do caderno de recordação que ganhei de aniversário

Pois é, hoje foi dia de me sentir amada.

À tudo respondo que tanto faz

quarta-feira, outubro 15th, 2008

As pessoas contam as horas para se distrair do que lhes é irremediável. E me pergunto com freqüência: a quem interessa? a quem o que eu penso interessa? a quem a minha vida interessa? À tudo respondo que tanto faz. Me nego a fazer mais escolhas. Eu sempre erro. E não sei porquê. Nem quero saber.

Maíra Viana

Tire tudo de mim.

terça-feira, outubro 14th, 2008

É, eu sou inconstante, mas a cada dia tento melhorar os aspectos negativos e o impacto que isso pode causar nas pessoas.
Bato a cabeça e a mão na ponta da faca o tempo todo, mas não deixo de tentar.

Que me tirem do sério, do centro, do solo.
Que me tirem do prumo, do rumo, do quarto.
Que me tirem a noção, a calma e a pressa.
Que me tirem a confiança, a lembrança e a régua.
Que me tirem as informações, as orações e o terço
Que me tirem o edredon, a pantufa e o berço
Que me tirem o fôlego, o canto e o toque.
Que me tirem tudo!

Só não me tirem a capacidade de tentar, sonhar e amar.

Mari.

Do jeito que eu quiser…

segunda-feira, outubro 6th, 2008

Vai que de repente,
numa esquina virada,
um pouco desse quase tudo,
faz mais desse quase nada.

Vai que de repente,
um avião de papel
leve-me livre daqui,
um arco-íris de aço,
o passo de um gigante,
um super-herói de mim
voando sobre a Babel,
Dom Quixote tupiniquim.

Ah, como ia ser legal…
tudo mais perto da gente:
puxa esse mar mais pra cá!
baixa esse sol mais um pouco,
e deixa rolar qualquer melodia!

Veja só, que coisa de louco,
o mundo parado no ar,
e a gente fazendo poesia.
Ainda vai chegar o dia,
em que tudo vai ser assim,
do jeito que eu quiser …


Transpoema

Sutilmente

domingo, outubro 5th, 2008

Tenho tanta coisa pra dizer. Já não consigo saber se tudo isso que está na minha cabeça existe realmente. Já não sei se crio coisas ou se coisas criam. A verdade é que o barulho interno é tão forte, que eu silencio por fora.

Nesse silêncio profundo e nesse barulho ensurdecedor, me eescrevo e descrevo nas palavras de outrem. Dessa vez; Fernando Reis:

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
Quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
Quando eu estiver fogo
Suavemente se encaixe

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce

Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti

Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti

Sutilmente – Skank.