Archive for novembro, 2010

Closer to me

domingo, novembro 28th, 2010

Ei!

Faz tempo que eu não te escrevo, e não é por falta do que falar. É por excesso.

Queria te dizer tantas coisas, te contar todas as coisas que tenho vivido e pensado durante esse tempo. Eu queria muito te contar minhas últimas experiências, minhas conquistas e mudanças. Tenho coisas que te deixariam feliz e outras que talvez nem tanto.

Também morro de vontade de te ouvir. Quero saber detalhes das tuas experiências. Você parece um menino quando começa contar as coisas que você passa na sua vida. Acho tão bonito. Seus olhos brilham, e os meus se contagiam. Troco o melhor filme ou livro, por tuas histórias de vida. Elas me inspiram.

Sabe, eu sinto falta de quando a gente perdia o nosso tempo debatendo sobre as coisas da vida. Era quase que uma sessão no analista, mas de uma forma muito mais prazerosa! E eu sinto tanta falta disso que minha voz se calou.

Hoje já não consigo mais completar uma frase, um raciocínio. Não sinto mais prazer em conversas profundas, já não sei mais falar de mim e nem mesmo sou capaz de identificar se estou bem ou mal. Nossas meias-palavras trocadas na correria diária da vida me resumiram a menos de 140 caracteres.

Queria tanto te ter mais perto e poder me refugiar no teu abraço toda vez que eu ficasse doente. Porque adoecer me dá medo e eu preciso que alguém me acalme. Queria muito te ter mais perto pra em uma tarde vazia te roubar o silencio e a gente silenciar juntos assistindo um filme. Queria te ter aqui bem perto, pra gente ir pra um barzinho qualquer e rir das besteiras da vida. Queria te ter aqui mais perto pra poder te cuidar quando eu notar que você precisa. Queria te ter mais perto e a gente se juntar com todo mundo e esquecer da hora. Queria te ter aqui tão perto e te pentelhar pra você tocar pra mim a minha música preferida.

Não sei por que, mas eu sempre gostaria de estar onde você está. E sempre me cutuca sua ausência no meio de tantas presenças ao meu redor.

Mas eu não te tenho tão perto assim, e ando me adaptando bem com as coisas como elas são.

Uma hora a gente se cruza e conversa melhor!

Ti-ti-ti

terça-feira, novembro 23rd, 2010

Eu já disse que gosto de novela tosca? Pois é, já disse. Mas vou frisar, porque depois de me encantar por “Viver a Vida”, que milagrosamente foi a única novela do Manoel Carlos que eu gostei, agora estou viciada em “Ti-ti-ti”.

A novela é do Cassiano Gabus Mendes, que fez a primeira versão quando eu tinha meus 5 anos já completos. Hoje a Maria Adelaide Amaral fez uma adaptação divertidíssima e muito leve. Uma novela que entretém e é leve gostosa de assistir.

O que mais me surpreendeu de imediato é que eu odeio a interpretação do Murilo Benicio e pela primeira vez estou gostando de uma novela onde ele é o papel principal, praticamente. E mais doido é que eu tenho gostado de vê-lo na novela!

Além disso, sou apaixonada na Mallu Mader, e mesmo que o papel dela não seja tão marcante assim e de muita gente falar que ela é ruim como atriz, eu sou fã! Acho a Mallu linda e tenho gostado muito dela no papel da editora chefe da “Moda Brasil”. Além de tudo que já gosto, ela interpreta uma jornalista e aí eu fico mais atenta ainda a ela!

O bacana de novelas assim, é que acaba chegando na verdadeira proposta das telenovelas; que é entreter e acalmar um pouco a tensão das pessoas. Pra ver drama mexicano, problemas e “lições de vida” é só você zapear a TV por esses canais de jornalismo sensacionalista  que adoram fazer da notícia uma novela mexicana.

Eu sou apaixonada na Fernanda Souza, acho ela uma atriz fenomenal e adoro vê-la apaixonada por um homossexual. Além disso, a Maria Helena Chira que faz a Camila, também é uma atriz que está muito fofa no papel. Não dava nada, mas ela conquistou o público aos poucos! E, não poderia deixar de citar a Isis Valverde. Que apesar de racionalmente achar que ela não é tão boa atriz como aparenta ser em primeira impressão, eu sou fã da Isis! Acho linda, fofa e no papel da Marcela ela só ficou mais fofa ainda com o sotaque mineiro dela mesma!

Gosto também bastante do relacionamento homossexual da novela, do Julinho com o falecido Osmar. Acho bacana esse núcleo do Gustavo Leão, Isis Valverde e André Arteche. A abordagem não é apelativa, e mostra o verdadeiro sentimento entre os dois. É tão bacana ver a sensibilidade que as pessoas sem preconceito e paradigmas são capazes de ter e que a galera mais presa no preconceito e nos “padrões”, não tem.

Mas devo dizer. Foi Guilherme Winter, que interpreta o Renato, quem me fez prestar atenção nesse folhetim. Eu simplesmente acho o cara lindo (tá quase ultrapassando o Daniel Oliveira (uia!) ) e comecei a prestar atenção nele desde a época de malhação, onde ele era um professor. Daí li um pouco sobre ele e tal, e um dia do nada o vi na novela fazendo par romântico com a linda da Isis e aí mermão, passei a ver por conta de ele estar na novela.

Ele é todo meu estilinho, dá uma sacada…

Moreno, cabelo cacheadinho, barba, bigode e lindo! rs

Mas, como ninguém é perfeito, ele é Leonino e ainda não me conhece! rs!

Sobre a novela, confesso que não me prendo nem nunca me prendi (nem antes do youtube existir) em casa por causa de nenhum programa de televisão. Mas se estou em casa, confesso que dou uma paradinha no que estiver fazendo e sento pra ver Ti-ti-ti.

Michel Melamed e os rumos da televisão

quarta-feira, novembro 17th, 2010

Quando pensamos que não há nada de interessante para passar na televisão, eis que eu esbarro com o  Michel Melamed de volta à tela da Globo. Ele já havia feito outros trabalhos que eu, desligada, deixei passar.

De tanto uma grande amiga minha conversar sobre o Michel Melamed, resolvi prestar um pouco de atenção do cara e joguei no Google. Encontrei algumas coisas interessantes como twitter, Wikipédia, o site oficial e alguns vídeos no youtube. Optei pelo youtube, mais de três horas da madrugada me impedia de ter olhos e paciência para ler.

Assisti a um programa delicioso chamado “Viva Voz” e outro ainda mais delicioso; “Lixe-se”.  O primeiro tratava-se de ligações que o Michel fazia para famosos ou para alguns tipo de comercio, puxava assunto no viva voz e deixava fluir a conversa. Parece simples, mas  Melamed tinha o dom de articular de tal maneira que a cada telefonema resultava em algo interessante.  O segundo, “Lixe-se”, Michel Melamed saia com algum convidado pelas ruas catando e analisando alguns lixos. É interessantíssimo ver o tipo de reflexão que é gerada em um programa assim.

Fiquei horas assistindo aos vídeos e pensando como a televisão aberta precisa de programas sutis e reflexivos como esses dois que assisti via youtube. Mas ao mesmo tempo me pergunto qual é a porcentagem da massa que está aberta e ansiosa por novos modelos de programação, e qual a porcentagem de pessoas acomodadas que estranhariam ou rejeitariam uma grade de programação diferenciada. Fica essa dúvida na minha cabeça, quando se falava em liberdade e informação. Não defini ainda na mente qual é a real quanto a vontade do publico geral. Sou do grupo que está do lado da liberdade, da mudança da programação, mas será que é mesmo essa vontade das pessoas?

Acredito que tem muita coisa acontecendo. A veiculação da música para baixar, os programas voltados para youtube, live ustream, o twitter, as twitcans. O público está com um maior leque de opções e o artista está mais acessível à esse público, dialogando, tendo voz ativa e impedindo que a imprensa marrom deturpem seus atos.

Na TV aberta também tenho visto algumas tentativas de mudança e quebra de paradigmas. Mas ainda não vejo isso em horários nobres. Toda programação cultural e diferenciada começa após todo aquele modelo básico de novelas, jornais, etc e tal. O que é novo, o que é cultura, vai ao ar por volta das 23h pra cima. E eu acho isso um absurdo. A começar por Som Brasil, que é um modelo antigo, porém cultural, mas só começa passar por volta da uma e meia da madrugada.

Voltando ao Michel Melamed, o que eu queria dizer é que ele aparenta ser uma pessoa inovadora, alguém de talento e idéias. E vê-lo entrar de leve na programação da Rede Globo, me faz pensar que talvez as coisas ainda possam continuar mudando (pra melhor, espero).

Ainda por cima ele é cantor, e tem futuro… eu acho!

Ouça: Nome a Pessoa

A novidade que não interessa a ninguém…

quinta-feira, novembro 11th, 2010

E ai chega uma época que parece que suas saudades são só suas, ninguém compartilha nem divide. E aí nessa mesma fase, nada que você diga é escutado, parece mesmo que de repente você ficou afônica e nem notou. Esqueceram de avisar!

No inicio você até esboça umas frases, tenta até alguns gritos “oi, você que está aí… eu queria contar que…” e ninguém perguntou nada, logo se viram sem deixar que complete-se a frase. E daí o que eu quero contar? Seja lá o que for, não é mais importante que o compromisso nenhum que fulano tem agora. A dona fulana agora tá ocupada demais com aqueles perrengues diários e que quase nunca muda alguma coisa.

Guardo minhas novidades em cima da minha cama junto com alguns bichinhos que me acompanham há 15 anos. Deixo minhas novidades ali expostas, assim quando eu for deitar dou de cara com elas e acabo tendo um bom sonho.

Porque durante o dia, além de viver minha própria vida, eu sigo armazenando palavras e ajeitando as minhas novidades com os meus bichinhos ali, em cima da minha cama.

Tropa de Elite 2

terça-feira, novembro 9th, 2010

Finalmente me sento para escrever sobre Tropa de Elite 2.  E como é de costume, esperei cerca de uma semana pra dar tempo de digerir e analisar melhor o conteúdo do filme.

Wagner Moura disse que havia gostado mais do segundo filme ao primeiro, e tem toda razão. Pela primeira vez, na minha opinião, uma continuação de filme é melhor que a primeira. Confesso que não acreditava que poderia realmente dizer isso.

O Tropa de Elite 2 em primeiro momento, após assistir o filme, me dá uma sensação gostosa de não viver em uma ditadura e não ter nenhum órgão censurando a torto e a direita. O filme mete o dedo na ferida, arranca o pus a força e ainda joga álcool pra desinfetar! É assim mesmo, ardido!

A equipe aproveita pra mostrar descaradamente aquilo que muita gente sabe, alguns desconfiam e a maioria não entende. O problema nacional está lá no topo, no planalto central. E ainda mostra pra galera que pra mudar o cenário precisa de muito e essa resolução tá bem longe!!

Achei genial a abordagem do filme e de como mostra que muitas vezes você tá achando que está fazendo a coisa certa e pelo caminho honesto, sem saber que tá na verdade é fazendo parte do sistema! Eles te colocam na parada e você nem se dá conta disso. O pior de tudo isso é quando você toma consciência e aí já é tarde demais. Faz entender muita coisa em relação a favela, polícia e presídio.

Ainda de quebra, o filme tira uma onda com o jornalismo sensacionalista e vendido. Mas por outro lado mostra que a reportagem investigativa e honesta nem sempre tem final feliz. E o jornalista Tim Lopes NÃO tá aí pra mostrar que não tem nada de ficcção.

Wagner Moura mais uma vez arrebenta no filme, e ainda conta com um elenco de peso. Seu Jorge,  Irandir Santos, André Mattos, André Ramiro, e outros tantos. Todos muito bem escolhidos e bem conectados.

Como dizem os comentários por aí, é uma pena que o filme não estreou antes das eleições. Uma pena também que alguns não assistirão e que muitos não entenderão de fato o filme.

Gostei da trilha, bastante. Mas não gostei do final.

De costas

segunda-feira, novembro 8th, 2010

E eu que sempre fugi das coisas que já eram fato na minha vida. Eu que sou a famosa “cú doce” oficial, que vivo correndo das coisas que correm em direção a mim. É, estou sempre de costas ao que me pertence e de frente à algo que nunca irei alcançar, algo que nem mesmo sei o que é e se eu quero mesmo.

E aí você entrou na minha vida quando ainda era um menino, daqueles que sonham e guardam nas mãos todos os ideais do mundo. E mesmo de costas, eu te ouvia fazer planos e despejar aquele monte de palavras que você não sabia ainda como direcionar e pra quê. E você falava e era tão barulhento que as vezes me dava uma vontade enorme de te mandar calar a boca. Mas mesmo estando de costas eu podia imaginar seus olhos brilhantes, enquanto você falava mais do que queria. E isso sempre me encantou.

E com o tempo, eu fui me apaixonando ao seu tom e pelo timbre da sua voz. E com o tempo, eu fui me acostumando a ouvir teus planos e acabei até falando dos meus. E com o tempo a gente passou a ter planos quase idênticos. E de tanto que eu gostava dos seus, eu passei a me basear neles, para construir os meus.

Chegou a ter um tempo em que nossos planos chegavam a se encontrar em uma rua ou outra. Eu gostava tanto dos seus planos de menino crescente, e você me incentivava a ser menina-mulher. Nesse tempo a gente se fortalecia na inspiração um do outro. E eu me encantava.

Mas, ao passar dos dias, minha voz ficou mais alta que a sua. E minha voz aumentava à medida em que eu me apaixonava pelo seu timbre, seus planos e o tom que você pincelava a vida. E quanto mais eu aumentava minha voz, mais você abaixava a sua. E um dia nos conversamos aos berros e eu nunca mais esqueci seu tom duro e forte.

E o tempo foi passando e o menino que eu conheci cresceu quase que diante dos meus olhos, se não fossem os 700km de distância. E ao crescer, esse menino me ensinou uma porrada de coisas que eu deveria saber antes dele. E cada vez mais o seu blá blá blá de menino foi se extinguindo e dando espaço à frases curtas, seguras e de efeito. O menino tava a cada dia virando mais homem.

E hoje eu já não estou mais de costas para esse homem. Hoje eu estou de frente, como raramente já estive de frente pra alguém, algum dia. Hoje aprendi a falar baixo, como eu costumava falar antes de conhecer você, menino falante e cheio de idéias. Hoje em dia aprendi a medida exata das palavras. E eu aprendi a falar com o menino, e a baixar o tom, com o homem.

Mas hoje em dia nossas vozes são quase nulas. Assemelham-se a um sussurro. E hoje em dia, quem está de costas na minha frente é você. De costas, há quilômetros de distância e há 15 horas na minha frente.

Um pouco do que se lê

quinta-feira, novembro 4th, 2010

Tem épocas que a inspiração parece ficar fora do ar. É essa sensação mesmo, como se as palavras rolassem rapidamente na cabeça, fazendo um ruído tão grande que fica impossível decifrar e organizá-las em forma de texto.

Em tempos assim, não me desespero mais como costumava me desesperar. Passo a ler textos amigos e me deixar entregar por aquilo que eles escrevem por mim. Permito-me ser escrita por outros, pra quem sabe me reencontrar em alguma entrelinha.

Nessas andanças entre tantas palavras desse mundo da escrita que faço questão de me rodear, me encontro com coisas lindas de encher os olhos da gente. E aqui vou citar alguns, com dor no coração por não poder abraçar o mundo e postar tudo que dá luz aos meus olhos.

Vou começar com um projeto que quando começou a nascer, eu sinceramente não coloquei a fé que o negócio poderia realmente ir pra frente e fazer alguma coisa bacana. Acho que toda iniciativa é válida e que, em tempos como esses, qualquer boa intenção já é uma atitude louvável. E assim nasceu o Projeto Repensar.

O Projeto Repensar propõe isso mesmo! Que possamos repensar as coisas por um outro ângulo. E no site http://www.projetorepensar.org/ são publicados artigos de diversos temas, que visam uma melhor qualidade de vida para todos os tipos de seres vivos.

Outra coisa bonita e bacana que tenho ganhado meu tempo lendo, é o “CucaCult”. É um blog sensacional, daquele que toda vez que acesso eu lembro que era um blog desse estilo que eu gostaria de ter e não consigo! Além de o vizinho ser sempre melhor, é difícil pra eu ter textos bacanas e idéias diversas como a @jediroma.

Mas um dia desses ainda chego perto  de ser como o http://cuca-cult.blogspot.com/ ! Além do blog ser muito bem escrito, trata de vários assuntos interessantes; da música à arquitetura.

Outra coisa bonita de se ler é o “Circulo de Giz”, um projeto de um casal que trocam cartas entre si como se fossem dois ex-namorados! E o mais bonito disso é que todo mundo de alguma forma acaba se encontrando nas palavras Dele ou Dela.

Há rumores que terá uma leitura dos textos do http://circulodegiz.wordpress.com/ em São Paulo! Acessem o blog, se emocione com os textos e aguarde notícias do evento!

E pra finalizar, mesmo sabendo que eu poderia citar mais uns 15 blogs, eu escolhi falar sobre o “Sintonia Plena”.

A @scablef que escreve para o “Sintonia Plena” tem uma capacidade enorme de fazer ventar os cabelos e refrescar a alma enquanto seus textos são lidos.  Seus textos são invejavelmente ocultos, lindos e emocionantes!

Para sentir soprar essa brisa, acesse http://sintoniaplena.blogspot.com/

Pretendo ainda voltar com posts assim, de dicas daquilo que faz um pouco parte do que eu sou.