Archive for janeiro, 2011

Where?

terça-feira, janeiro 25th, 2011

Cade a Natália Freitas pra eu cuidar?

Cade a Claudia De Assis Busto pra me escutar?

Cade o Leandro Dalarte pra eu saber como tá?

Cade o Fernando Anitelli pra me mimar?

Cade a Fernanda Rocha pra me encorajar?

Cade o Diogo Freire pra me inspirar?

Cade a Vivi Ceschim pra conversar?

Cade a Mayra Cristina pra me acompanhar?

Cade a Bruna Mata Cavassani pra poetizar?

Cade a Tati Heike pra tatuar?

Cade a Patricia Oro pra se aventurar?

Cade o Fabio Machado pra me salgar?

Cade a Jessica Denise pra sorte me dar?

Cade o Rodrigo Vettorazzo pra filosofar?

Cade o Vinicius Iamonti para de cerveja me molhar?

Cinza e vermelho

sábado, janeiro 15th, 2011

Deve ser clichê escrever sobre o acontecido no Rio de Janeiro. Esse tipo de acontecimento me cala a alma, me faz ser silêncio da cabeça aos pés. Não tem o que dizer. Não é agora o momento de sermão e de demagogias e utopias. Mais de 500 pessoas morreram de uma hora pra outra, assim em um temporal. E a chuva não distinguiu a classe social. Morreram trilhardários e palpérrimos na mesma lama, da mesma água. E o pior é pra quem fica. Meu Deus do céu, ou seja lá quem for; como é que essas pessoas conviverão com a realidade de ter perdido entes queridos em um temporal? Um temporal!! E é por isso mesmo que eu respeito tudo que vem da natureza. Respeito e tenho medo. Sim, eu tenho mesmo é medo! Não sei do que esse mundo é capaz. São tremores, tsunamis, temporais, furacões, e seres humanos predadores! A vida anda cinza e vermelha!!! E eu amaluqueço e pinto meus dias com cores vivas, todas elas bem coloridas! Tento diariamente digerir uma verdade que me retorce a alma! São mais de 500 pessoas mortas! E ainda sou obrigada a engolir guela abaixo de que o fim do mundo é em 2012? Ou pior, que o horóscopo mudou e sendo assim não sou mais Taurina, da noite pro dia virei Ariana!?

Nando Reis já cantava a bola faz tempo…

“O que está acontecendo? O mundo está ao contrário e ninguém reparou…”

ReciclANO

sexta-feira, janeiro 7th, 2011

Parece que eu estava adivinhando.

Meu 2011 não veio com aquele cheirinho de novo, nem mesmo chegou embrulhado em um lindo papel de presente com laços coloridos. Ele veio assim meio amarrotado, até limpinho, mas tá longe de ser novo, sabe?!

Desconfio que ele seja um ano reciclado, entende? Ou um daqueles que a gente passa pro vizinho porque está novinho e dá pena de jogar fora! Ele é tão bom, tão útil, que precisa ser usado pela vizinhança toda!!! Vai passando dos mais velhos para os mais novos. Só tem que tomar cuidado pra não rasgar, arranhar, pra ninguém pegar o ano assim meio capenga, vazando água ou meio amarrotado.

E eu digo isso, porque não tive em nenhum momento aquela sensação de cronometro zerado, de caderno novo, de roupa nova! Esse ano, pra mim, está com cheiro de continuação. Sem pausa, sem estaca zero, sem nada!!! É como se seguisse o mesmo fluxo de sorte e azar, de trabalho, de vida, de saúde, tudo.

Tem coisa que não muda!!! E tem coisa que muda assim, do nada… sem nem precisar mudar de ano!!! É tipo assim, do dia pra noite!!!

Não sei se porque viajei pra outro País e não vi Roberto Carlos cantar “Emoções”, nem vi a Xuxa fazendo algum especial, e sequer ouvi de longe alguma música da Simone, mas a verdade é que voltei dia 28 e não entrei naquele clima nostálgico de final de ano!

Com tudo isso, eu não consigo esperar nada desse NOVO ANO. Quero só poder viver com muita paz, saúde e que eu possa conseguir meu emprego e aproveitar muito as pessoas que amo e alguns showzinho, porque ninguém é de ferro. A gente quer mesmo é só poder viver bem, um dia de cada vez. Sem essa designação de 2011, 2012, 2013…

Pra sempre…

terça-feira, janeiro 4th, 2011

– Tem horas que me dá vontade de chorar pra sempre…

– Pra essas horas deveria existir um abraço que durasse para sempre!