Fim de jogo.

Pois é, agora realmente acabou tudo. Já se passou toda aquela história de formatura, baile e tudo que a gente passa um bom tempo esperando, mesmo que nem sejam todos pelo menos a maioria dos formandos esperam.
A expectativa era grande. Tanta dor de cabeça, stress desde ano passado, tantas coisas que senti, pensei e falei sobre essa formatura e ela finalmente saiu. E, devo dizer que muito mais do que eu esperava! Não tem como negar, fiz a coisa certa mesmo que de inicio fosse contra vontade.
Não estou muito para contar detalhes sobre a festa e nem mesmo sobre a colação, talvez um dia eu tenha mais inspiração para desertar como foi tudo, mas por hora me basta saber que quem foi sabe o que viveu, e dividiu comigo um momento muito especial da minha vida! Isso eu jamais vou poder esquecer. Assim como não esquecerei as pessoas especiais que por aquela faculdade eu conheci, amigos lindos que vou carregar pra vida inteira, não tem mais jeito.
Lendo outro dia o blog de uma amiga louca minha [da minha classe da faculdade] ela tocou no assunto que seria o primeiro ano sem fazer matricula, sem começar a rotina em uma data estipulada, e coisas do tipo como comprar material, estojo, etc. E é verdade mesmo, depois de tantos anos naquela expectativa de inicio do ano letivo, agora somos nós arremessados ao mundo, sem rumo, sem chão, meio perdidos.
Até que, sobre esse lance de estar sem rumo, sem chão e meio perdidos sobre tudo do que virá daqui pra frente eu acho que já passei da fase. Senti mais receio durante o final de 2006 e inicio de 2007, agora eu acredito que já tenho alguns objetivos traçados e já andei colocando bastante coisa em prática, inclusive esse lance da procura de um lugar ao sol. Eu já corri atrás de fazer o que estava ao meu alcance, e sempre que rola uma oportunidade eu não espero nada, estou correndo sempre atrás da bola.
Mas o que grita na garganta agora é outro tipo de realidade batendo na porta. Um dia depois da minha festa de formatura, eu sento para ver televisão e me pergunto o que será do meu futuro nesse mundo de notícias tristes e pavorosas. Um mundo que mata sem piedade, que perdeu os valores a tal ponto de alguns moleques arrastarem um menino de 5 ou 6 anos por 7 km . Em um mundo onde Bush ataca país como quem brinca de campo minado. E eu, vou ter que noticiar isso?! É verdade?!
Pensar em tudo isso hoje me fez chorar compulsivamente, porque eu gosto muito do país que eu moro, e sou uma apaixonada pelo ser humano. Adoro estar perto de gente, de confraternizar, conversar, debater, olhar. E me perdoe o excesso de sentimentalidade, de emoção ou romantismo, mas ver essas barbarias ainda me choca, me machuca e me emociona demais.
Mas, ao contrario de muitos outros, que adoram discutir um assunto em um balcão de bar, ou ficar debatendo esses assuntos na televisão como quem debate no bar da esquina, eu pretendo tomar algumas atitudes em relação a tudo isso. Quero começar por em prática as minhas idéias e principalmente cumprir com o dever da minha profissão.

Mas chega desse bla bla bla, deixa rolar!

One Response to “Fim de jogo.”

  1. Greice Says:

    noussa, e pensar que eu neeeem comecei! JÁ DEU ATÉ UMA ANSIEDADE!

Leave a Reply