Outro jeito de sentir…

As coisas andam muito diferentes dentro de mim. Hoje todo aquele sentimento bonito e mágico do amor não existe mais, pelo menos não de forma tão bonita e surreal como era da outra vez. Em contra partida as coisas agora são muito mais de verdade, mais concreto, maduro, duro e real.

Quando antigamente eu suspirava por olhos de estrelas e me deixava carregar por momentos mágicos de palavras bonitas, olhares que paravam o tempo e vivia histórias de inspirar qualquer autor de novela. Hoje não existe nenhuma história bonitinha e nenhum momento mágico que os sinos tocaram para dar trilha a um acontecimento. Hoje não existe “a nossa música”, “o nosso momento” e sequer somos “nós”.

O que acontece é claro, pode parecer duro e cruel, mas é uma verdade que não engana, que não deslumbra e nem ilude. Desde o inicio as coisas foram tratadas com tanta naturalidade, é tanto o preto no branco e vice versa que as palavras não ficam subentendidas dando margens a nada.

Isso tudo faz as coisas ficarem tão mais fáceis e mais óbvias e tão mais verdadeiras. Sem gestos bonitos pra agradar com demagogia, sem charadinhas ou coisas engolidas pra não magoar ninguém. É tão bom quando não se tem frescuras, nem cuidados desnecessários, quando não se tem pena e cenas ensaiadas, quando o que se preza é o respeito. Ah o respeito é tudo, quando se aprende a dar e receber ele é mesmo uma das melhores coisas do mundo.

Por essas e outras não espere mais aqueles textinhos bonitos e tão sofridos, tão molhados e românticos. Não espere nada disso, não queira se inspirar por aqui, pois neste espaço agora só existe uma mulher mais madura do que nunca e que tem um sentimento simples por um homem que ela adora, mas sabe que ele está longe de ser príncipe, perfeito e de lhe dar uma vida de rainha, até porque na verdade nem é isso que ela quer dele.

4 Responses to “Outro jeito de sentir…”

  1. Leandro Dalarte Says:

    Ouvindo agora:

    Cadeira Vazia

    Entra, meu amor, fica à vontade
    E diz com sinceridade o que desejas de mim
    Entra, podes entrar, a casa é tua

    Já que cansaste de viver na rua
    E os teus sonhos chegaram ao fim
    Eu sofri demais quando partiste
    Passei tantas horas triste
    Que nem quero lembrar esse dia
    Mas de uma coisa podes ter certeza
    O teu lugar aqui na minha mesa
    Tua cadeira ainda está vazia
    Tu és a filha pródiga que volta
    Procurando em minha porta
    O que o mundo não te deu
    E faz de conta que sou teu paizinho
    Que tanto tempo aqui ficou sozinho
    A esperar por um carinho teu
    Voltaste, estás bem, estou contente
    Mas me encontraste muito diferente
    Vou te falar de todo coração
    Eu não te darei carinho nem afeto
    Mas pra te abrigar podes ocupar meu teto
    Pra te alimentar, podes comer meu pão.

  2. Claudia Peito ... rsrsrsrs Says:

    Eu li todos os novos, mas aí naum consegui deixar depoimento… meu computador naum deixou…
    Queria dizer no último q amo aquela Izabela…. aquela q escreveu aquilo, mas do q amo as outras… naum q naum as amo… apenas amo mais essa!!!!

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Te amoooooooo

  3. Celly Says:

    É, as coisas mudaram por aí a dá pra perceber a km de distância.
    Amooo te

    PS: Eu ja tinha lido … hehehe

  4. Rodrigo Says:

    huahuahua ahhh gostei desse texto… bonitinho xD
    é, as coisas mudam, nós mudamos… e passamos da fase dos amores adolescentes para os amores + maduros… q nao sao tao intensos, nao sao tao fortes… mas sabemos q estao lá!
    mas amor como o nosso, nao acaba 😉
    esse sim é o melhor 😀

Leave a Reply