– Bem, agora conte-me coisas – Pérsio pediu.
(…)
– Que coisas?
– Coisas, ora coisas. Excitantes, escabrosas, melancólicas, excêntricas, depressivas, estimulantes, atrevidas, mesquinhas, loucas, maravilhosas.
– Mas não há nada para contar.
– Então inventa, inventa rápido. Falei a noite inteira. Agora entrei em alfa. Aproveita, se não recomeço. É a sua vez.
– Eu gosto de ouvir.
– Claro que você gosta. Eu sou interessantíssimo, não é mesmo gente? Mas pelo amor de Deus, pare de fazer o ouvinte omisso e respeitoso, se não vou morrer de sono antes que venha a pizza. Faz mal morrer de sono com o estômago vazio, sabia?

Caio Fernando Abreu » Triângulo das Águas » Pela Noite

2 Responses to “”

  1. Carine Says:

    Achei seu blog no google!
    Gosto do que escreves!

    Continue escrevendo!
    Beijos

  2. Greice Says:

    Olha que legal Iza – NÃO É SÓ EU QUE NÃO TE CONHEÇO, NUNCA FALEI COM VC PESSOALMENTE E MESMO ASSIM, ADORO OQ ESCREVES! Hehehehehe…

Leave a Reply