E que assim seja, sempre!

Pois é, minha semana foi até movimentadinha, tenho saido bastante e estou gostando muito disso, quero curtir toda a galera o máximo que eu puder, afinal de contas eu vou acabar indo viajar (ou eles) e ai acaba nem se vendo direito. Portanto o que combinam eu tô dentro, mesmo que as vezes não seja exatamente o que eu gostaria, como diz; com os amigos sempre e não importa onde seja! Pra mim é bem isso mesmo.
Mas a semana que passou, eu recebi um “presentinho” da minha priminha Mayra, ela me deu uma dor de garganta e de brinde vinha rouquidão e tosse. Fazia tempos que eu não ficava mal, nem quando o Cauê teve aquela mega master dor de garganta eu num peguei. Mas dessa vez facilei feio, eu tava numa fase de falta de apetite, aí já viu né?! Acabou que a dor nem era tão forte assim, mas passei sexta, sábado e domingo sem poder me comunicar verbalmente, a voz não saia de jeito nenhum!!
Interessante disso tudo é que quando isso acontece é bem quando você mais precisa falar! Na sexta (09) teve a noite de autógrafo da Fê (PL) na Playboy, lá em um shopping de Sampa, ainda que fui com a Cláudia da Faculdade e lá encontrei a Jenny, o Dalarte e a Yoko. Fora a própria Fê, a Neca, a Ju e etc…E tudo isso eu sem ter a mínima voz pra dialogar, pra dar atenção as pessoas que estavam comigo. Nossa fiquei tão nervosa, queria tanto falar, conversar e não podia, mta agonia!!! Mas deu pra aproveitar porque eu adorei a Jenny, amei rever a Yoko, o Dalarte, a Cláudia, Neca, Fê, Ju e até a Mariana Sobral eu encontrei por lá (o choque!)!!!
No sábado (10), como tive uma sexta muito cansativa e muito boa, resolvi que iria ficar na minha o sábado todo descansando e cuidando da garganta. E não é que meu tio Jorge dos EUA que eu queria tanto ver apareceu sábado aqui, do nada?! Bom, eu só fiquei olhando pra ele e ouvindo a conversa dele com meus pais, porque conversar que era bom eu não tinha voz. Até que eu tentava, mas sem condições, não saia!
Domingo (11) a voz até começou a aparecer, mas ñ estava a mesma coisa, tanto é que fui mostrar pra três ou quatro amigos na NET e fui zuada por alguns poucos e maus amigos. Mas deu pra descansar bastante e curtir a Luara que veio no finalzinho da tarde e ficou ate umas 21h30 por aí…Deu pra divertir um pouco com ela sim!
Já tô (infelizmente) me acostumando a vê-la por pouco tempo e bem quando interessa o lado de lá, mas fazer o que?! Eu sei que quero distancia das loucuras do povo sem noção viu…Tô indignada mas é por pouco tempo, quando eu acordar tomara que eu já tenha esquecido essas merdas que a galera faz pra aparecer. É só ver que tá tudo calmo que fulano liga dizendo que contratou advogado. FODA-SE!! Povo que teima em ir no caminho contrario viu…Ainda bem que eu obedeci minha mãe, ainda bem!!
Segundona (12) foi uma delicia porque as meninas da faculdade (Carla e Cláudia) vieram passar o dia todo aqui em casa! Chegaram por volta das 15h e ficaram até quase 23h. Nós conversamos bastante, desde coisas pessoais até planos pro futuro, sonhos e atores de TV. Desenhamos e pintamos uma caixa pra dar de presente pra minha madrinha, lanchamos, vimos novelas e mais papos, e papos…Muito bom mesmo poder reencontrá-las agora de uma forma light, amigável e sem o stress de ter que fazer provas e trabalhos.
Foi um dia daqueles bem gostoso, bem longe do computador e que eu gostaria que se repetisse sempre, é tudo muito saudável os papos e produtivos, gostoso demais estar perto delas. A Mah tbm veio mas acabei que nem dei muita atenção, eu estava com as meninas e ela já veio ficar aqui no PC, quando vi ela já tava indo embora :( …Mas depois eu explico melhor pra ela. Preciso mesmo dar uns toques nela, tá fazendo coisas com ela mesma que não estão me agradando.

Segunda (12) também completou 5 anos que eu conheço o traste do Diogo. Eu sempre fui muito carinhosa com meus amigos, de escrever cartas, bilhetes e falar carinhos, com ele então, por estar muito distante e não poder combinar de se ver e nem dar (ou pedir) um abraço assim do nada como faço com o povo daqui, eu sempre fiz questão de demonstrar com palavras (principalmente) e com atitudes, o quanto pude pra ele saber o quanto é querido por mim.
Mas especialmente desta vez eu não sei muito bem o que dizer, acho que tudo já foi falado e as palavras se esgotaram dessa vez. Dizer que amo esse pentelho já nem é novidade e não causaria mais efeitos, então costumo (agora) pensar que, se não se sabe o que dizer, é porque já está dito.

Leave a Reply