Preguiça de tudo, menos de ser feliz!

Eu tenho escutado frases diferentes ultimamente. No meio de tanta coisa repetitiva, eu reparei em duas expressões que, por uma ignorância minha talvez, nunca tinha escutado aí gostei.
Uma delas é a expressão “estou com preguiça”, sei que vão dizer que isso é velho, mas da forma que foi colocado me interessou, principalmente por descrever meu estado atual, como eu descrevi no post de titulo “As minhas últimas atuais”. O “estou com preguiça” pode ser completado com muitas coisas além da frase comumente usada, que logo você imagina a pessoa jogadona na cama com aquela preguiça de levantar e tudo mais.

Nesse caso, eu estou com preguiça de algumas coisas:

• Me preocupar com o que não tem solução
• Pensar além do hoje
• De sentir saudades
• Provar alguma coisa
• Pessoas chatas
• Ser politicamente correta

Enfim, e muitas outras coisas que nem valeria ficar enumerando. O fato é que eu estou com preguiça de ficar pensando no que os outros acham ou deixam de achar das coisas. Preguiça de engolir sapo pra ser educada ou pra estar politicamente correta. Ah! Eu to em uma busca insana da minha felicidade diária, e da mesma forma que não pretendo pisotear ninguém, eu não estou mais pra servir de tapete. Quero estar com quem me faz realmente bem, sem pensar se isso é certo ou errado, quero perto de mim quem ta no mesmo clima que eu, quem segue o mesmo caminho e na mesma marcha. Se bobear fica pra trás e eu sigo em frente. A verdade é que cansei de ficar no ponto esperando tartaruga e de beber vodka com qualquer fruta pra ajudar engolir os sapos.
Agora eu estou no comando, quem tiver sorriso fácil, coragem, saúde, sorte e amor no coração, pode vir que sempre cabe mais um na garupa.
Baseada em toda essa minha nova forma de ver a vida e nas coisas chatas que vem acontecendo, que eu realmente estou com preguiça de me stressar e de ficar triste, resolvi correr atrás das coisas, ir onde está o movimento, o sorriso, a boa companhia, enfim…
Sabendo que o feriado seria longo (e se eu permitisse difícil e triste), já tratei de fazer meus contatos, bater o pé e ir à luta de um bom programa, ou algum programa que fosse. Na quinta-feira fui curtir com a Fê e o Bronx o filme “A Era do Gelo 2”, achei legal, dei boas risadas apesar do primeiro sempre ser melhor, e curti muito a companhia do casal. Só de estar perto, de olhar nos olhos, de dar risada junto, já foi pra mim o suficiente.
Sexta-feira a galera (Fê, Vivi, Mah e Bronx) veio pra cá assistir DVD, “Guerra dos Mundos”, mas eles assistiram tudo e eu dormi o tempo inteiro, não posso nem dizer o que se trata, mas sei que tem o Tom Cruise, só. Depois mamãe fez bolinha de queijo e nós ficamos lá comendo bolinha e bebendo coca-cola, no meu caso e da Vivi bebemos suco de caju =P. Nesse dia a Mah dormiu aqui e tivemos uma longa e sincera conversa; bom demais.
Ainda não parando, no sábado eu recebi a Gabi, o Daniel, Maya, Gilbert, Tio Sid, Tia Marga e Tia Beth. Foi uma delicia; uma bagunça que só. Eu tava realmente com saudades do Daniel, que eu não via nem lembro desde quando.
Depois de todo mundo ir embora fui ao Santa Aldeia, uma balada no Guarujá, com Vivi, Mah, Ju e o Dassler. Fomos na faixa (grátis) já que era show do Jeito Moleque e a Fê (PL) colocou meu nome e do pessoal na lista. Muito bom o lugar, sem escada, sem nada que eu não pudesse andar, a não ser a multidão. E o show e tratamento dos meninos, da “Família JM” foi realmente muito perfeito, ser mimada assim às vezes é bom pra caramba. Ainda encontrei duas gatas que adoro demais, a Brunilda, e a Dani Matsuda…Delícia total!!!
Eu não sou uma freqüentadora assídua de balada, caio nessas por acidente quando tem algum show que realmente me interessa, então no caso aproveito pra curtir o lugar, o agito e dar aquela liberada nos ânimos. Contudo, não posso deixar de reparar e me surpreender com certas coisas que vejo nesses lugares, acho que minha convivência com amigos críticos e leitura extensa em blogs têm aflorado ainda mais o meu senso critico quanto ao que vejo por ai. Me deprime de verdade o quanto de “crianças” estão freqüentando baladas, bebendo, fumando e se amassando, com a idade que eu me divertia com minhas amigas e primas brincando de boneca. A vulgaridade feminina é realmente algo que me deixa bem triste. E se eu for fazer uma critica geral do que vi e não achei nada bacana, eu faria um post extenso (mais ainda que já está) e passaria a imagem de chata e mal-humorada, que eu não sou, são só pensamentos, opiniões. Mas ah, como eu já disse antes, estou com preguiça de achar e opinar qualquer coisa.
No domingo de Páscoa foi bem gostoso, veio toda a galera da família pra cá (ao todo 16 pessoas contando comigo e com a Cindy) e fizemos um churrasco adaptado lá na frente, já que a chuva resolveu cair com vontade o dia inteiro (e continua caindo). Foi muito bom, e eu realmente adoro dias assim com a família todinha reunida; só faltou a minha irmã, que acabou passando o feriado por lá mesmo.

Agora vem a segunda-feira, tudo de novo novamente! Ainda bem que só até quinta-feira, e lá vem outro feriado. Eita abril danado de bom!

One Response to “Preguiça de tudo, menos de ser feliz!”

  1. Moderowany katalog stron Says:

    Thank you for another great post. Where else could anyone get that kind of info in such a perfect way of writing? I have a presentation next week, and I’m on the look for such information.

Leave a Reply