Tenho fases, como a Lua…

Se tem algo que sei de verdade é ser sincera, encarar de frente e assumir sem máscaras o que realmente sou. Não sei se isso é bom ou ruim. Na verdade, não sei se me amo ou se me odeio, mas sei que sinto algo muito forte por mim mesma, tenho uma ligação forte e poética com meu eu. Horas chamaria isso tudo de egocentrismo, e isso eu acho feio, na verdade eu nem sei mais, e estou com uma preguiça enorme de saber qualquer coisa agora.
Mas como eu ia dizendo, estou aqui assumindo tudo de uma vez. Assumindo que não estou bem (também não diria que estou mal, ah eu sei o que é ficar realmente mal), estou confusa, irritada, com preguiça e com um medo enorme. Estou confusa sobre tudo que estou sentindo, uma instabilidade apavorante que me fazer rir e ter vontade de chorar (porque chorar na prática pra mim agora é raro) em questão de minutos. Irritada, com ódio, vontade de brigar com tudo e com todos! E é tão injusto, que isso sempre acontece com as pessoas que mais amo, são elas que nessas horas são as maiores vitimas da minha intolerância. Quero brigar, falar coisas que não se diz, e é engraçado como nessas horas surge tantas coisas a serem ditas, tantas bobagens disfarçadas de coisas importantes. Estou com uma preguiça tão grande que desanimo de ir à aula, de fazer tudo que deveria fazer e depois me irrito pela inutilidade do dia e de ver as coisas todas empacadas por um capricho forte de querer ficar debaixo das cobertas escutando música, comendo e tomando leite.
Mas, maior de tudo isso, é que com essa minha ansiedade e tudo mais que eu e todo mundo já estamos cansados de saber e apontar, ta rolando um medo máster que, mesmo tentando controlar, mascarar e distrair, eu não estou conseguindo deixar de sentir. Medo de que tudo aquilo de ruim volte com força total, medo de me sentir frágil, fraca e impotente diante dos fatos, das pessoas e principalmente de mim mesma. Eu estou com medo de fracassar, de ver que no fundo aquela força era só uma reação (ação e reação, sabe?) de uma situação favorável. E isso tudo me embrulha o estomago, dá um nojo e uma raiva de mim mesma por dramatizar tanto o que é simples, o que na verdade nem existe, e eu mesma estou me deixando fantasiar.
No final das contas eu acabo por achar também, que não passo de uma menina mimada que só sabe viver feliz quando a vida está em festa e todas as pessoas que ela ama ao redor mimando, fazendo carinho e provando (sim, mesmo sabendo o quanto isso é desnecessário, pesado, feio e forte) o quanto a amam.
Diante de tantas dúvidas, medos, raivas, inseguranças e sentimentos tão embrulhados dentro de mim, a gastrite ataca, a vontade de vomitar e de dormir se tornam gigantes e minha vida vai parando, ou segue lentamente quando consegue se arrastar.
Apesar desse post meio depressivo, meio down, eu estou bem feliz. Mesmo com tanta coisa chata (que descrevi acima) rolando, eu posso dizer que a minha felicidade interior continua firme e forte. Antigamente (final de 2003 e 2004/2005) eu tinha fases tristes e alegres, mas a minha essência parecia ser triste. Por mais alegre que eu pudesse me sentir, se eu parasse e pensasse eu descobria um vazio enorme e uma tristeza que parecia que iria me engolir. E, no entanto hoje, ah! Eu sinto ao contrario. Por mais que eu esteja nesse conflito todo, e algumas vezes bata até uma tristeza, quando eu paro e jogo as coisas na balança, eu vejo o quanto eu sou feliz. E é isso que me dá a certeza de que, seja o que for que eu estou sentindo, vai passar antes do que se possa imaginar.
No mais, sem grandes novidades a não ser essa ansiedade para o show da Marisa Monte, mesmo sabendo que tudo que preciso agora é um bom e velho show pesado da galera estilo O Rappa em diante. Mas a Marisa é uma paixão incorrigível e pelo que vi o show está realmente imperdível. Praticamente uma orquestra no palco, deve estar uma coisa de enlouquecer. Não vejo a hora!!

Um trecho de Cecília Meireles que me descreve um pouco…

Tenho fases, como a lua.
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua…
Perdição da minha vida!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.
Fases que vão e que vêm
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso
.”

One Response to “Tenho fases, como a Lua…”

  1. Greice Says:

    É, mas a Lua tem fases e tá sempre linda….dias mais , dias menos, mas tá sempre maravilhosa e inspiradora! Mulher é assim

Leave a Reply