Cantando um pouco sobre tudo…

Falando do assunto que mais me dá prazer e que realmente é um assunto que se eu tivesse de fazer um curso intensivo eu faria com todo prazer. Gosto de saber desde a parte técnica, como tocar, ler partituras até a parte que realmente está ligada ao jornalismo, que é a crítica, a entrevista, o estudo, enfim. Se eu pudesse eu largava tudo e me dedicada a 399 cursos ligados a música e a produção.
Mas vamos lá. Em primeiro eu preciso comentar sobre duas coisas que últimamente anda chocando as pessoas quando eu digo. A primeira é que eu não gosto de Elis Regina. E podem dizer pra mim toda a história dela e que uma cantora igual ela nunca existiu que eu não vou concordar. Não sou uma expert em músicas, tons e tudo mais, mas eu particularmente não gosto do modo que a Elis Regina cantava e utilizava a sua voz tão consagrada, e não tem como mudar isso, eu simplesmente não gosto e acabou. Do mesmo modo que os Paralamas do Sucesso podem ser uma banda perfeita, de ótimos músicos, mas o fato de ter Herbert Viana no vocal faz com que eu não tenha o mínimo tesão pela banda. Não me atrai. Mas não seria por isso que como trilheira (se um dia eu for) eu vá dispensar, Paralamas tem músicas lindas, letras geniais, e um vocalista de merda! Assim como não gosto de ouvir Maria Rita que, pode até ser sim uma ótima cantora ainda mais sendo filha da tão reverenciada Elis Regina e comparando-a com seus irmãos que apesar do empenho nunca tiveram o reconhecimento do público, e são muito bons músicos.
Isso é uma questão de cultura, de opinião, audição. Não é porque algum artista é tão reverenciado que eu pra não passar vergonha devo gostar. Não digo que Elis seja uma cantora de merda, mas pra mim ela não é tudo isso que é pra todo mundo, não me agrada. Como Los Hermanos que eu sou vidrada nas letras e já ouvi muito eles e realmente tocam até legal pra caramba, mas eu não gosto. Não gosto do estilo da banda, do jeito de cantar abafado, não sei, mas não gosto e pronto. Assim como tem muita merda que eu sei que é merda e não consigo parar de ouvir. Que aliás tudo isso é muito relativo, um funk pode ser muito bom e o outro muito ruim, mas a “elite” gosta de dizer “isso não é música”, e eu pergunto, porque não?! Vai lá fazer as batidas dos caras e depois vem aqui falar comigo.
Agora estou em um momento velharia, tenho escutado muito Toquinho, Baden Powell, Vinicius e todo esse estilo. E tenho gostado muito. Simplicidade, leveza e uma boa letra cantada com uma voz suave que chega a me fazer sentir a brisa de Itapuã de Toquinho.
Assim como gosto de um bom pagode, forró, funk, sertanejo, samba, axé. E costumo dizer que a música ta aí pra servir de comunicação. Pra fazer surgir sensações. Não dá pra fazer uma festa e colocar apenas DMB mesmo sabendo o quão foda eles são. E pra cada ocasião, estado de espirito e companhia tem sua música adequada.
Sempre que conheço alguém costumo perguntar o que a pessoa ouve, não que isso vá mudar a minha opinião sobre ela, mas acho que a gente sempre é um pouco do que ouvimos, e se todos podemos acrescentar algo na vida de alguém, porque não começar aumentando o playlist?!

Minha dica desse post vai pra :

Toquinho – E Suas Canções Preferidas – Vol. II
Edu Lobo – Camaleão – 1978

One Response to “Cantando um pouco sobre tudo…”

  1. Silvia Odete Morani Massad Says:

    I do trust all of the concepts you’ve offered
    to your post. They are really convincing and can certainly work.
    Nonetheless, the posts are too brief for novices. May just you
    please lengthen them a little from subsequent time?
    Thanks for the post.

Leave a Reply