Aparecendo…

Ai que saudades de tudo. De todos. De vocês. De acordar ansiosa pelo toque do telefone e ouvir do outro lado “qual a boa de hoje?”. De ver minha vida de perna pro ar simplesmente porque eu quis deixá-la assim, não por falta de tempo. De ser um pouco irresponsável. De não pensar muito no amanhã. De ter tempo para pensar no ontem, no hoje e no amanhã, quando der vontade. De não parar em casa, de não descansar e não precisar de descanso. De dormir depois das 22h. De acordar depois das 15h. Só sei que, de repente, acordei sabendo que precisava ser gente grande. Trabalhar como gente grande. Pensar como gente grande. Viver como gente grande. É estranho, mas é assim mesmo. Uma hora a gente percebe que tudo ficou mais sério. E os velhos tempos daquela irresponsabilidade gostosa vai ficando cada vez mais para trás, e deixando cada vez mais saudades…
Mas a criança dentro de mim continua viva, continua bagunçando aqui dentro e se fazendo presente. Mesmo quando não refletida claramente, certamente ela se mostra através do sorriso que eu não consigo deixar de levar comigo, sempre.
Ultimamente minha vida tem sido de muito trabalho, e essa história de TCC realmente não é uma lenda. Cada vez que você acha que está acabando, você vê o quanto ainda falta pra ver seu video gravado em DVD e seu relatório digitado, impresso, prontos para serem entregues à banca. Fora toda aquela parada que por mais que você se dê muito bem com seu grupo de TCC, é preciso ter muita serenidade pra não deixar as coisas sairem do controle, jogo de cintura pra saber quando ceder e quando insistir e principalmente paciência pra ver, viver e ouvir coisas que você não gosta.
Confesso que tem horas que dá um medo misturado com desanimo, raiva e um pessimismo de que não dará tempo pra nada. Mas a melhor tática pra isso é jamais parar de correr atras das coisas, e dar uma olhadinha naquele povo que ainda nem começou fazer nada, e se você tiver sorte como eu, ainda consegue achar aqueles que em pleno mês de agosto ainda nem sabem o que vão fazer de Trabalho de Conclusão de Curso. Assim sua auto-estima sobe bastante e você cria muito mais pique pra seguir em frente, porque no final, tudo dá certo não é?
Paralelamente a isso, pra não ficar louco de uma vez, a gente vai intercalando com coisas que a gente gosta. E não é segredo nenhum que eu vivo para a música, os amigos e a família, por isso mesmo que tenho me dedicado a esses três itens quando não estou envolvida com o meu TCC.
Na quarta-feira (26) eu fui a São Paulo comprar o meu ingresso para o show que eu tanto queria assistir, do Chico Buarque, e depois fui para a casa do Rodrigo visitá-lo já que ele havia operado e por fim ainda fui no Na Mata assistir a Soulfunk pra variar um pouco. Foi aqueles típicos dias em que tudo dá errado, tudo conspira contra, mas acaba dando tudo muito certo no final.
Quinta-feira (27) tive orientação com o meu professor que finalmente deu as caras. Depois a Fê, o Bronx, a Bila e a Vivi vieram e a gente ficou na sala até as 5h conversando e jogando um jogo tipo detetive e depois um outro de perguntas e respostas. Muito gostoso e muitas risadas.
Na sexta-feira (28) foi dia de morgar o dia inteirinho e a noite finalmente fui com a Vivi tomar uma batida no Marlon. Muito gostoso, altas conversas ao som de O Rappa, Ultraje a Rigor e pra terminar bem mal, Raça Negra. Realmente tudo que a gente não precisava era ouvir Raça Negra… rsrsrs…
Sabadão (29) teve churrasco do aniversário da vovó e veio todo mundo. Familia, alguns amigos, e foi muito divertido. Dias assim são ótimos quando o que a gente mais gosta é o sorriso das pessoas.
Dai por diante não teve tempo para descanso. Dormindo de madrugada para curtir um bom papo com o amigo, acordando cedo pra ir aos compromissos. Eu não parei segunda, terça, nem quarta. E já estou de viagem marcada para sexta (04), pra terça (08) e isso sem nem contar a faculdade.
No mais eu tenho pensado em muita coisa, mas aí já é papo pra outro post. Mais reflexivo.

One Response to “Aparecendo…”

  1. dqwccoelrzia Says:

    ppxyelzacgjz

Leave a Reply