The End

Alguém aí será que é capaz de assumir que assiste novela e dizer que acompanhou uma do primeiro ao último capitulo?! Pois é, eu posso dizer que as poucas novelas que me propus a assistir, eu me identifiquei logo nas propagandas e então assisti cada capitulo, do inicio ao fim.

É lógico, que já vi algumas que peguei do meio pro final e acabei gostando e me arrependendo de não ter visto desde o inicio. Fora que, ultimas semanas de qualquer que seja a novela, o brasileiro que se preze pára pra assistir mesmo que não tenha acompanhado desde os primeiros capítulos.

O engraçado, é que sempre me proponho a ver umas novelas que são consideradas por aí bem toscas, mas pra mim tem sempre um porque. Não me recordo de todas que vi inteirinhas, mas posso citar; Agora É Que São Elas (nem sei porque, mas vi inteira!), Coração de Estudante (gostei do Clima da novela), Pé na Jaca (só porque tinha Jaca no nome e aí acabei assistindo), Cobras & Lagartos (porque tinha o Daniel de Oliveira e o Lázaro Ramos) e agora a novela Três Irmãs (por pura empatia mesmo, e por ter o Paulo Vilhena).

Esse final de semana uma sensação de vazio toma conta de mim. Lá se vão os momentos em que eu desligava o mundo pra assistir as histórias que se passavam em Caramirim, Praia Azul e Caraguaçú. Era um momento de off total, me deixei envolver por cada personagem, me emocionei, senti ódio, pena, e até me apaixonei assistindo Três Irmãs. Vou sentir saudades de cada personagem e seu respectivo interprete, vou sentir falta dos lugares, das músicas, dos conselhos e lógico dos surfistas delicinhas surfando diariamente na minha frente.

Durante essa novela, brinquei também com a imaginação e encontrei várias pessoas da minha vida em determinados personagens, e inclusive me identifiquei um bucado com uma personagem: Alma Jequitibá (Giovana Antonelli).

A Alma é toda atrapalhada, meio confusa, ao mesmo tempo em que é desligada ela também consegue estar ligada à tudo. Ela dá colo e conselhos, mas vive precisando de colo e conselhos também, é carente, dramática e prática ao mesmo tempo. Além disso, é LOUCAMENTE CIUMENTA. Sim, me identifiquei demais com o jeito dela, as neuras dela, as cagadas, o orgulho infundado, e tudo mais que ela fazia. E claro, alguma parte também da intuição que eu também tenho um pouco. Não tão forte e fictício como ela, mas dava pra me identificar um pouco nisso também.

Partindo desse principio é lógico que minha mãe tem muuito a ver com a Virginia (Ana Rosa), o Cauê é óbvio que é a “Sussu” a Suzana (Carolina Dieckmann) e a Natália é a Dora (Cláudia Abreu) que adora fazer comprinhas, viajar pra fora do País e tudo mais!!!

Mas enfim… Acabou-se mais uma novelinha, e a gente segue aí em frente esperando as próximas. Até agora nenhuma me atraiu, nem mesmo a do Bahuan.

Para saber mais de: Agora é Que São Elas

No wikipédia

Para saber mais de: Coração de Estudante

No wikipédia

Para saber mais de: Pé na Jaca

No wikipédia

Para saber mais de: Cobras & Lagartos

No wikipédia

Para saber mais de: Daniel de Oliveira

No wikipédia

Para saber mais de: Lázaro Ramos

No wikipédia

Para saber mais de: Três Irmãs

No wikipédia

Para saber mais de: Paulo Vilhena

No wikipédia

Para saber mais de: Giovana Antonelli

No wikipédia

Para saber mais de: Ana Rosa

No wikipédia

Para saber mais de: Carolina Dieckmann

No wikipédia

Para saber mais de: Cláudia Abreu

No wikipédia

2 Responses to “The End”

  1. jessica Says:

    hauaahuahuahauha tu só viu novelinha tosca mesmo! :p

    tô de brinks :*

  2. Silvia Odete Morani Massad Says:

    Wow! At last I got a webpage from where I know how to really get
    valuable facts regarding my study and knowledge.

Leave a Reply