Ao alcance do corpo…

Já contei em um post anterior, o quanto eu queria conhecer o Daniel de Oliveira e o quanto isso era complicado.

Sempre gostei da atuação do Daniel, principalmente quando era no cinema. Fazer Frei, Gay, Bandido e Bom Moço, Drogado, tudo isso com a mesma facilidade. Eu até posso estar errada, mas acho o cara fenomenal. Assim como Selton Mello e o Tony Ramos.

Fora isso, Daniel é mineiro, dos olhos pequeninos, e quem me conhece sabe muito bem que esse é um dos meus pontos fracos. Involuntariamente as pessoas nascidas em Minas Gerais acabam de um jeito ou de outro chamando muito minha atenção e/ou cruzando meu destino. E o Daniel não foi diferente.

Em uma conversa com uma amiga, sobre a questão da dificuldade de encontrar o Daniel, e a revolta do cara não fazer nenhuma peça teatral e nada que o tornasse acessível, comentamos a chance dele estar na pré-estreia de Jean Charles em Santos (já que estava na de Sampa) ou de um dia gravar um filme, minissérie ou novela no centro histórico de Santos. Apareceu então a notícia que teria pré-estréia de Jean Charles no Cine Roxy em Santos. Ficamos assustadas com o imediatismo dos acontecimentos e corremos atrás de informação sobre a vinda dos atores, mas descobrimos que só estaria o diretor do filme.

Na tentativa de me consolar, essa mesma amiga disse que em breve o Daniel viria pra Santos gravar alguma coisa e que então eu conseguiria vê-lo. Na mesma semana recebo via Twitter que haveria gravação de um filme em Santos e que Daniel era o protagonista. E na matéria, dizia data, hora e local exatos da gravação.

Não acreditei no que vi e corri atrás de conseguir ir até o Centro Histórico de Santos para tentar finalmente conhecer o Daniel de Oliveira! Não consegui.

Depois de tantos anos querendo conhecê-lo e não encontrando de jeito nenhum uma forma pra isso acontecer, houveram diversos desencontros ao longo desse tempo, Daniel estava pertinho de mim e os caras disseram que aquele dia ele já não estava mais lá.

Tudo bem que, minha visão pra esse assunto de “conhecer gente famosa” mudou muito há um tempo, mas conhecer o Daniel já era quase que um desafio pra mim e então perguntei se havia oportunidade de vê-lo no dia seguinte. A resposta foi positiva e os caras contaram o hotel que ele estava e disseram pra eu estar lá no Centro umas 12h que o veria.

E finalmente consegui realizar esse “sonho”. Foi na porta do hotel Atlântico de Santos, de frente para pra Praça das Bandeiras (um lugar muito especial pra mim) que ele chegou na minha frente todo sorridente e desculposo pela cara de ressaca que estava. E estava mesmo, inchado e com a maior cara de sono, em pleno 12h30.

Nós conversamos um pouco sobre tudo, filmes, novelas, cidades, gravações, resistência física, sobre família e sobre nos conhecermos. Confesso que o cérebro pensou um bucado de coisas, deixando a fala um pouco mais silenciosa. Falei pouco, mas falei o que pude. Tiramos fotos, brincamos, nos abraçamos e eu fui embora.

Coincidentemente o céu estava azul, e eu sei que as coisas especiais acontecem assim; quando o sol está sorrindo.

6 Responses to “Ao alcance do corpo…”

  1. jessica Says:

    viu viu viu viu viu
    eu falei!!!
    rss

  2. LeAnDrO Says:

    Legal ficar sabendo das novis por blog.

  3. jojo Says:

    Alguém entendeu que ela me ama no primeiro paragrafo?

  4. Rodrigo Says:

    gostei da metáfora que usou no final 😀

  5. Greice Says:

    CARA, EU NÃO ACREDITO!

    QUE SOOONHOOOOO!!!!

  6. Silvia Odete Morani Massad Says:

    Asking questions are really good thing if you are not understanding
    anything totally, however this piece of writing presents pleasant understanding even.

Leave a Reply