Guns N’ Roses no Palestra Itália

Antes de contar exatamente minhas opiniões sobre o show do Guns N’ Roses, eu gosto sempre de dar uma introdução do que isso significa na minha vida.

Em primeiro lugar, porque comecei a ouvir Guns lá nos arredores da 6ª ou 7ª série. Tinha um garoto lá, daqueles típicos que adora tocar guitarra, deixar o cabelo crescer, a pele branca e jura que vai ser um Slash ou um Axl da vida, pois é. E como não podia ser diferente, me apaixonei temporariamente por esse rapaz, e acabei me dedicando a ouvir um pouco mais aquela banda que eu conhecia mas talvez não tanto quanto eu poderia. Mas continuei sabendo pouco, porque na verdade eu dei uma aprofundada, mas não ao ponto de saber tudo; eu não era e não sou necessariamente fã da banda. No fim das contas eu parei de gostar do rapaz em menos de um ano, mas ele é um amigo que eu tenho até hoje e que me dá muito orgulho com suas conquistas no mundo da música. E a música que marcou? Obvio; Don’t Cry. Mesmo não gostando do rapaz, eu ouvia ainda a banda uma vez ou outra. Já tinha colhido material, agora era só desfrutar mesmo! E além do mais, o Axl sempre me foi muito intrigante e eu gosto de vê-lo no palco, ler, ver ou ouvir histórias sobre ele.
Depois de um tempo, eu vi que saiu o novo CD do “novo” Guns N’ Roses; o Chinese Democracy, que demorou tanto tempo pra finalmente ser lançado. Não era um CD ruim, mas de fato não se tratava mais dos Guns que eu estava acostumada a ouvir e gostar. Era apenas uma banda quase nova em um CD completamente novo. Ouvia raramente no suffle da vida, mas tava lá rodando com tantas outras do Guns, ou não.
E, por fim, é sabido já para os que me conhecem, que eu realmente não sou de recusar nenhum convite sequer para show! E eu estou falando de qualquer um mesmo; basta ter acesso pra cadeira de rodas e eu ter dinheiro ou ser bancada, que eu estou totalmente dentro! Gosto de ouvir a música, de ver a estrutura do show, da banda, o comportamento em cima do palco, o comportamento da platéia e tudo que envolve o show! E, minha irmã me chamou para o show exatamente por saber que eu topo tudo que envolva música, arte e cultura! E a oportunidade de estar em família e curtir mais tempo ao lado da minha irmã então, fez com que o convite fosse pra mim; irrecusável!
Na semana que antecedeu o show, eu dei uma escutada novamente nas músicas e procurei ler um pouco do que estava previsto para o show. Tentei me antenar até o momento de sair de casa para o show. Soube mais ou menos o setlist e ainda li algumas críticas pra tentar não me surpreender demais, fosse pra bom ou ruim.

O show.

Levando em conta que o show começou um pouco depois das 0h30 e que graças a Deus nós chegamos o suficientemente atrasadas pra ver apenas o Sebastian Bach e tomar um chazinho de cansaço até a hora de finalmente o “Guns N’ Roses” entrar no palco, foi tudo ótimo; aventura e diversão.
De fato não é um show, e sim um espetáculo. A coisa começa com fogos de artifícios logo na entrada do Axl, e durante o show tem explosões, fogo de verdade e termina com papel picada, fogos e muito brilho. Isso tudo foi muito criticado por aí e eu confesso que também não são fogos, papéis picados e nem chamas de fogo que os fãs do Guns esperavam para aquela noite. Mas também, não vejo porque meter o pau, já que é uma comemoração ao retorno, e tudo mais! Deixa ele explodir o que quiser em paz, pô!
Na minha opinião, o Axl é um ícone e ponto final. O cara é foda no palco, desde cantando, tocando o piano, tratando o público, zuando e tudo mais que tem direito! O cara tem um jeito típico e é incrível como o tempo voa enquanto ele está no palco. Não sei se é carisma ou se eu sou mesmo retardada e fico assim em ver o Axl no palco pela primeira vez ao vivo. Mas devo dizer que eu gostei pra caramba de vê-lo cantando e correndo e dançando como eu costumava ver nos vídeos da vida por aí. Além do que, é gostoso a forma como ele fala dos fãs e de como canta e como anda o palco inteiro e de como pega cada presente que lhe jogam da platéia!
É muito chata e cansativa a freqüência que ele sai do palco e que troca de roupa! Acho que foram mais ou menos umas quatro ou cinco vezes. Enquanto isso, rola cada vez um solo de um instrumento no palco; guitarra, bateria, baixo e até piano!!!! Não que seja ruim, mas por volta das 02h da manhã é complicado ficar esperando o vocalista se trocar dez vezes! Mas de qualquer forma, quando ele voltava fazia o povo esquecer o cansaço e cantar e dançar com ele as músicas antigas e atuais; mais atuais do que as antigas.
A banda é boa pra caramba sim, ao vivo dá pra notar isso. Mas de fato remete a imagem do Charlie Brown Jr, onde o Chorão mantém uma banda que já não tem quase nada ver com a banda inicial e que goste ou não fez toda a história do grupo. Aliás, diga-se de passagem que isso faz uma diferença enorme. Minha irmã, que não acompanhou as notícias sobre o show e sobre a banda, sentiu muita falta do Slash e demonstrou não ter gostado muito das músicas do Chinese Democracy.
No fim das contas tive um sábado genial, e a oportunidade de poder estar presentes nesses acontecimentos são sempre indescritíveis! Uma pena não ter bolso suficiente e nem ser “ninguém na noite” pra ter entrada livre em qualquer um desses shows. Felicidades pelos que assisti e o lamento pelos que perdi e ainda vou perder! Rsrsrs.

O texto talvez esteja bem fraco, mas qualquer coisa entre em contato. :)

5 Responses to “Guns N’ Roses no Palestra Itália”

  1. Juliana Machado Says:

    da mesma forma que te marcou, para mim marcou de maneira bem diferente…a gente tem uma “pequena” diferença de idade…mas, sinceramente, não tive vontade de assistir. prefiro ficar com as referências que tenho gravada na memória…acredito que são melhores…que bom que vc gostou…quem sabe se eu tivesse ido teria outra impressão. provavelmente não. taurina prefere ficar com a referência do passado. beijos bela.

  2. Greice Says:

    Queria TANTO ter ido… =/ hunf…

  3. remedios cabelo tratamentos naturais para cabelos |tratamiento cabelos |tratamiento cabelos |caida cabelos |remedio em casa para a perda de cabelo em casa |tratamiento para a perda de cabelo em casa |tratamientos para a queda de impedir que o cabello|como Says:

    It’s appropriate time to make a few plans for the future and it’s time to be happy. I have read this submit and if I may I want to suggest you some interesting things or advice. Perhaps you could write next articles referring to this article. I want to read even more issues about it!

  4. Silvia Odete Morani Massad Says:

    Very shortly this site will be famous amid all blogging people, due
    to it’s fastidious articles or reviews

  5. all these things i've done Says:

    My programmer is trying to persuade me to move to .net from
    PHP. I have always disliked the idea because of the expenses.
    But he’s tryiong none the less. I’ve been using WordPress on several websites for about a year and
    am nervous about switching to another platform. I have heard
    excellent things about blogengine.net. Is there a way I
    can import all my wordpress posts into it?
    Any kind of help would be really appreciated!

Leave a Reply