Finalmente: TCC.

Não vou negar que nos três dias que antecederam este sábado (02) eu passei um pouco mal e senti um tanto de ansiedade. A cabeça realmente dá uma oscilada entre a calma e o nervosismo, tinha horas que não parecia que já estava chegando, e horas que dava até uma certa ânsia de vomito, por causa do nervoso.
Na sexta, algumas decepções me fizeram pensar se as pessoas sabem a importância de algumas coisas. Senti indiferença de pessoas que eu esperava ter mais atenção e preocupação, e foi então que fui dormir cedo com aquela velha coisa de que o importante é mesmo você não esperar nada de ninguém. É, talvez o meu egocentrismo realmente seja maior do que eu imagino.
Mas naquele sábado eu esqueci de absolutamente tudo, e decidi que nada mais me afetaria assim. Acordei segura e no primeiro toque do despertador. Me arrumei com toda a calma do mundo e fui pra faculdade como quem vai sabendo exatamente como e o que vai fazer.
Chegando lá a ficha começou a cair, bateu até um friozinho na barriga, mas em poucos minutos depois que cheguei, comecei a receber carinho de gente que um dia cheguei até acreditar que não ia com a minha cara. Gente que não foi pra ficar, mas passou pra abraçar. Gente que eu nem considerava mais e apareceu sem eu chamar. Gente que eu nem pensava e foi logo pra não perder nada. Teve até gente que chegou no meio, gente que chegou no fim, mas que fizeram questão de marcar presença fosse como fosse.
Teve também os que não foram, mas ligaram. Os que mandaram torpedo e os que de alguma forma fizeram questão de lembrar e desejar os votos de boa sorte.
Teve um em especial, que eu não esperava, que vem de longe, e que chegou de surpresa. Um alguém que sem nada disso sempre foi muito especial pra mim, e que me surpreendeu de uma forma tão especial que até me deixou sem nem ter palavras pra agradecer. Alguém que é do caralho e que não é atoa que é meu sócio.
Toda essa manifestação de carinho, e essa responsabilidade de mostrar pra alguns o quanto eu sou capaz, me deram uma segurança inexplicável. As palavras surgiram como um passe de mágica, a perna não doeu, o bumbum não doeu e nada saiu errado.
Comecei com a palavra, abrindo a apresentação e dando uma breve explicação de como seria o formato do vídeo. Após rodar o vídeo, eu voltei novamente com a palavra, explicando um pouco da parte de produção e assim foi intercalando entre eu e a Carla, cada uma dando uma explicação de cada tópico sobre como foi feito o nosso trabalho.
Depois da nossa apresentação, foi a hora da banca, composta por três professores, fazer as críticas necessárias sobre nosso vídeo, tema e relatório. E, modéstia parte, que modesta eu nunca fui mesmo, não houve nenhuma crítica. Nada relevante como foi visto nos outros TCCs. Foram feitos muitos elogios (eu sempre disse que era foda, mas ninguém acredita né? rsrsrs…), algumas sugestões interessantes e outras que fiz questão de nem considerar, mas deixa quieto.
Momentos de elogios foram realmente emocionantes, e só quem estava lá pode saber que eu não estou mentindo e nem me gabando atoa :P. Mas pra variar eu não consegui fazer minhas glândulas lacrimais funcionarem e acabei me passando, para os amigos, por fria e pior, por mimada! Mas tudo bem :D.
Depois que terminou toda aquela coisa da banca dar o parecer, depois se reunirem e darem a notícia que estávamos aprovadas, nós recebemos carinhos e abraços das pessoas lá presentes, tiramos algumas fotos e viemos para uma festinha aqui em casa.

A festa

Festa aqui em casa praticamente já faz parte da minha vida, graças a Deus, e uma ocasião como essas é que não poderia faltar. E foi mesmo uma delícia depois da “tensão”, poder debater tudo com a galera e ainda poder jogar uma conversa fora.
Além de tudo, acho que eu não sobreviveria sem os meus amigos. Se existe ONG de dependência dos amigos, eu preciso entrar urgente! Mas então, eu sou tão viciada nos amigos, que toda oportunidade que eu tenho de “dar uma esticadela” pra poder ficar com eles, pode ter certeza que eu farei.
Nós demos muitas risadas, muito carinho e cumplicidade, mesmo estando ali pessoas de diversas formas, lugares e maneiras diferentes de pensar. Pude curtir os meus amigos de Sampa que eu estava radiante com a vinda deles, pude aproveitar o pessoal da faculdade que mesmo sabendo que não precisa ser e não é uma despedida; eu já sinto uma saudade foda, e por fim aproveitar aquelas pessoas que sempre estiveram e que nunca vão faltar em nenhum acontecimento da minha vida.
Essa brincadeira rendeu muitas coisas e acabou um pouco mais de 23h30, mas eu não parei mesmo assim, porque a Dona Luara não queria dormir de jeito nenhum, e ainda cismou que queria a atenção e o carinho da titia Iza, tem coisa mais gostosa pra se terminar o dia?!

Outros comentários e sensações, eu me dou o direito de ser egoísta o suficiente para guardar só pra mim. :)

7 Responses to “Finalmente: TCC.”

  1. Leandro Dalarte Says:

    Realmente, você conseguiu descrever exatamente os acontecimentos… Que não foram poucos, mas todos muito bacanas…
    Um salve pra banda!
    E um amém pra você. hihihihihii
    Maconheira!
    Xerooo ( aí é cocaína!) hahahaha

  2. Rodrigo Says:

    Oi amore…
    Vc não imagina a felicidade q é pra mim saber q deu td certo, e imaginar a satisfação q deve tá dentro de ti, a satisfação com si própria, com os pais q tanto colaboraram, dps de tantas dificuldades, nervoso, dores de cabeça, realmente foi recompensado né?? parabéns, vc mereceu, e sei q essa felicidade vai ficar ainda no minimo uma semana sem sumir, sem deixar vc c abalar com outras coisas.
    Keria pedir desculpa pq entendi q algumas partes desse texto foram indiretas pra mim.
    Sei q não lembrei qdo era a véspera, nem qdo tava chegando perto, talvez eu ande msm mto “egoísta” como vc disse-me uma vez… mas acredito q vc sabe o qto é importante pra mim saber q vc vai bem, e q por + q as coisas precisem SIM serem ditas, eu sempre torci e torço ainda por ti, msm sem precisar dizer.
    Não pude comparecer, devido a vários motivos q já explikei, espero q vc me perdoe por ter eskecido, por eskecer de mandar torpedo, scrap, ou qqr coisa do tipow, foi uma falha, mas saiba q eu torço por ti mto + doq vc imagina, e q é mto gratificante pra mim saber do sucesso q foi, vc nao faz idéia do qto!
    Desculpe novamente pelos deslizes!! =/
    “I’m sorry… i can´t be perfect”
    TE AMO!
    bjoss

  3. erikinha Says:

    Adorei o post… me senti um pouquinho como se estivesse junto!
    Mas como eu disse, estava presente em espírito porque pensei e torci muito positivamente pra vc!
    E fico muito feliz por ter sido tudo tão bom quanto foi, a final de contas, vc merece e sabe disso… conhece melhor do que ninguém seu potencial que é indiscutível!!
    PARABÉNS mais uma vez e que nessa nova etapa da sua vida de pessoa formada, vc possa mostrar cada vez mais pro mundo o quão talentosa vc é!
    Sou sua fã, vc sabe!
    E me orgulho mais de vc a cada dia que passa!
    Go on Izoka, go on!

    Te amo menina!
    Beijo

  4. Greice Says:

    Meu, muito legal ler isso, mesmo sabendo que já passaram anos! Pq tcc é o que todo mundo teme, um dia!

  5. Kurt Schleisman Says:

    I’m still learning from you, as I’m trying to achieve my goals. I absolutely love reading everything that is written on your blog.Keep the stories coming. I enjoyed it!

  6. Dayle Czapla Says:

    excellent article i must say. will there be a second element in addition to this info

  7. xlptwaobyrdq Says:

    gssdpwvuaeok

Leave a Reply