Soum

Dedilho palavras que não direi
Sou música muda, de um silencio só meu
Sou trilha sonora de um filme de amor que nunca estreou
Sou luz que penumbra o foco teu
Sou instrumento nunca tocado
Sou batuque que matuta o inabalado
Sou palavra não musicada
Sou silêncio gritante no ouvido surdo
Sou sol, lá, “se”, dó de mim re-tenho-mi então

9 Responses to “Soum”

  1. Dario Says:

    Que poema escancaradamente contido. Esse sol enorme que não rasgou o horizonte. Lindo.

  2. Bruna Casotti Says:

    palmas!
    lindo lindo!

    ‘Sou música muda, de um silencio só meu’

  3. @mariana_nas Says:

    E mais uma vez você diz tudo que eu sinto e não consigo escrever… Lindo texto! *-*

  4. @mari_daher Says:

    Parabéns! Lindo poema. Começarei a me fazer presente por aqui.

  5. Antonio Says:

    Nossa,muito bonito e tocante…me fez pensar muito…triste…

  6. Clarissa Says:

    Nada de ‘dó de mim”, nada nada!

  7. @rampa_rampazzo Says:

    Puta que pariu que bonito isso!

  8. Marhii Muñoz Says:

    Poxa, que profundo, muito perfeito!! Amei!!

  9. Claude Seroka Says:

    What an incredible publish. Thank you for sharing. Absolutely everyone should make positive to share this wonderful position of view. I will examine back soon to glance for updates! See you shortly.

Leave a Reply