Porque era ela…

E ela levava a vida como tinha de ser…
Carregava um amor conformado por um rapaz compromissado e de longe. Bem longe! 800 km diminuídos pela tecnologia. Bastava ligar o computador para que essa distância se reduzisse, ou então pegar o telefone. E em alguns momentos em especial, apenas fechar os olhos e sentir. Uma história turbulenta de três anos, mas que agora ela – eles – até que viviam bem!
E ela já nem sabia mais o que era ter inspirações e palavras engasgadas na garganta. Por mais que ela falasse, escrevesse e gritasse, sempre tinha algo mais por dizer. Algo que não saía nunca! E de repente saiu, assim, sem mais, deixando-a curada e feliz com o quase nada que ela tinha, e ainda achava muito.
Quando então, ele realmente surgiu na vida dela. Carne e osso! Ao vivo e em cores!
Ela viu naqueles olhos que ela já conhecia há tanto tempo, um brilho diferente. Finalmente teve o prazer de ouvir aquela voz doce e baixa dele, direcionada a ela, de perto, cada vez com mais freqüência.
Ela estava tão segura com o seu pouco – aquele que ela considerava MUITO – que nem percebeu que ele estava mexendo com ela. No início ela ainda achou engraçadinho toda essa história, e foi deixando as coisas acontecerem.
Aos poucos o sorriso dele a deixava radiante, as palavras dele eram quase como Chico Buarque no aparelho de mp3 dela. Ela foi ganhando a confiança dele, e ele o coração dela.
Os dois já conversavam todos os dias, ela sempre querendo saber um pouco mais de quem e como era ele, o que pensava, o que fazia, o que tinha vivido até então, o que queria viver dali pra frente…
E assim foram descobrindo interesses em comum, como a música, a arte em geral… Trocaram conselhos, filosofias, elogios, beijos (de amizade), abraços e até amigos.
Ah, como ela adora as brincadeiras, as zoadas, as tiradas… É como se os dois se conhecessem há tanto tempo…
E veja só… Agora ela não se contenta mais com aqueles restos gelados que o “outro” dava, como quem dá um agrado sem obrigação nenhuma. Hoje o “outro” não faz parte mais dos sonhos dela. Agora é ele – o moço da voz doce e tímida – quem invade seus sonhos.
Ela é mais feliz com essa nova história. Essa que ainda está começando a escrever, mas que já tem medo. São tantos medos que às vezes a vejo paralisada com seus temores, como quem duela consigo mesma.
Queria poder ajudar aquela menina que tanto teme pela integridade dele, que tanto se assusta com as poucas (e muitas vezes estranhas) informações sobre ele. Mas esse é seu mais antigo vício. Ela tem um vício por histórias complicadas. Chega a ser previsível que ela já o ache tão lindo, e que seria incapaz de sair ilesa dessa história, chegando ao ponto que chegou.
Porque isso eu sei que ela é igual a mim: se escreve a primeira frase, mesmo com lágrima nos olhos, ela escreverá a história até o final!

4 Responses to “Porque era ela…”

  1. Bianca Pyl Says:

    Nossa Iza que lindo isso!
    Vc escreve muito bem….vc sim é poetiza!
    beijos virei aqui sempre, Bacana!

  2. Rodrigo Says:

    nhaaaaa, kero direitos autorais 😉 huaahuahua :$

    “Nada como uma nova história… como um dia após o otro… como uma HR após a otra… pq msm em pocas hrs, as coisas podem mudar tanto… mudar o dia… mudar a vida toda…”

  3. Silvia Odete Morani Massad Says:

    I have read so many posts about the blogger lovers however this paragraph is actually a good piece of writing, keep
    it up.

  4. Ferne Says:

    Hi there! I know this is kind of off topic but I was wondering which blog platform are you using for this website?
    I’m getting fed up of WordPress because I’ve had problems
    with hackers and I’m looking at options for another platform.
    I would be great if you could point me in the direction of a good platform.

Leave a Reply