De quase tudo um pouco…

Ela decidiu falar na terceira pessoa porque quer tentar pela primeira vez ocultar sua identidade e principalmente seus pensamentos. A verdade é que às vezes fica cansativo se despir nas palavras e muitas vezes sair da história com a fama de chata, carente ou de quem exagera e complica as coisas. Ela cansou do posto de dramática e resolveu experimentar novos horizontes, gostos, cheiros e cores.
O que acontece é que ultimamente ela anda sem o menor saco para determinadas coisas. Ela já cansou de entender certas atitudes de algumas pessoas e, isso tem causado uma náusea gigante, mas tão grande que ela tem preferido nem chegar perto pra não sentir mais aquele embrulho no estomago e aquele vazio que ela sentia há um tempo atrás. Toquinho já disse que o perdão também cansa de perdoar, e o dela deve ter cansado. Afinal por mais triste que seja tudo tem limite, e depois de tanto tempo ela finalmente esgotou sua paciência, ainda mais agora que ela não cabe em si de tanta felicidade, que acaba tendo motivo suficiente pra não perder o tempo dela com bobagens como essa.
Uma coisa que tem a deixado profundamente irritada ultimamente é a mania que as pessoas têm de complicar a sua vida e achar que tudo que ela sente, diz ou reage tem alguma explicação racional, e ela acha super interessante as pessoas inteligentes, mas odeia essa mania de quererem achar uma explicação concreta para tudo. Sempre analisam, questionam e acreditam em algum motivo, ou ainda muitas vezes acreditam que ela tenha pouca experiência de vida e por isso confunde as coisas. Ela tem personalidade forte, mas nunca deixou de escutar com atenção os conselhos e as opiniões das pessoas. Talvez, ela tenha mesmo certa dificuldade de escutar alguns tipos de sermões.
De fato agora ela, como já foi dito, está tão feliz e realizada com as mudanças que estão acontecendo em sua vida, que tem aproveitado todo o seu tempo para fazer tudo que gosta e principalmente para estar ao lado das pessoas que fazem seu sorriso fácil brotar naturalmente. Não tem parado em casa quase nunca e sua última peripécia foi ir a São Paulo só para ver os amigos e fazer bagunça no shopping como se todos tivessem pouco mais de dez anos de idade. Deu risada alto, brincou, bebeu, correu, mexeu com estranhos e voltou feliz para casa, com a certeza que ela nunca duvidou: Seus amigos são realmente o seu maior e mais gostoso vício.
Os outros detalhes tem servido apenas para o crescimento e para ela ter ainda mais certeza das coisas que faz e acredita. Porque quanto mais as pessoas questionam, é a oportunidade de repensar e ter ainda mais firmeza sobre as coisas.

3 Responses to “De quase tudo um pouco…”

  1. Leandro Dalarte Says:

    E eu acho que isso é viver!
    Foi muito bacana temos nos encontrado lá,
    valeu de verdade!
    Beijo

  2. Rodrigo Says:

    “vamos viver td q há pra viver… vamos nos divertir…”
    huahaua é legal ler e entender doq c tratam as metáforas xD
    bomm, oq tá ae é passado, entao só digo q td q passamos é pra nos tornar melhores.

    nhaaaa, cs tavam no Sta Cruzzzz….
    q vontade de ir lá pra reencontrar alguémmmm :$ hahauhauauha

  3. Greice Says:

    ADOOOOOOOOOOOOREI!

Leave a Reply